Desembargador federal arquiva processo contra Carlos Lula

O Desembargador Federal do Tribunal Regional Federal da 1ª Região arquivou o inquérito que investigava o Secretário de Saúde do Estado do Maranhão, Carlos Lula, em relação a Operação Pegadores.

A decisão foi tomada com base no pedido do Ministério Público Federal, por inexistir “subsídios fáticos ou probatórios que autorizem a deflagração de uma investigação em relação a Carlos Eduardo de Oliveira Lula”.

As investigações sobre desvio de verba da saúde foram iniciadas em 2010 e resultaram na deflagração da operação em novembro de 2015, quando várias pessoas foram presas por desvios de verbas da saúde pública no Maranhão, no período de 2010 a 2013.

Na época, até o ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad foi conduzido coercitivamente por causa do modelo de terceirização adotado em sua gestão da saúde pública e pelo uso da ‘folha complementar’, implantada por Murad e usada para distribuir benesses aos apadrinhados políticos.

No início deste ano todas as fases da “Operação Sermão aos Peixes” foram redistribuída para o Desembargador Federal Néviton Guedes, que determinou o desmembramento do caso em relação ao Secretário de Saúde.

Na argumentação, o MPF deixa claro que “iniciar uma investigação contra alguém nessas circunstâncias não seria somente inócuo: seria contraproducente e até mesmo temerário. Não existem, nem nunca existiram (até o presente momento), suspeitas de sua participação (Carlos Lula) nos crimes apontados”.

Diante do pedido, o desembargador Néviton Guedes homologou o arquivamento do inquérito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.