Presidente do PT de São Luís quer aliança em 2020 visando Flávio Dino candidato do PT em 2022

Presidente do PT, Honorato Fernandes, quer relacionar 2020 com 2022, tendo PT e PCdoB juntos em São Luís

Em um texto publicado através das suas redes sociais, o presidente do Diretório do PT de São Luís, vereador Honorato Fernandes endossou as declarações dadas pela presidente nacional do PT, a deputada federal Gleice Hofmann, quanto a possibilidade de uma eventual composição de chapa com o então governador Flávio Dino (PCdoB), nas eleições presidenciais de 2022.

A declaração da presidenta nacional do PT foi feita durante entrevista concedida ao jornal Valor Econômico, publicada nesta segunda-feira (27), e repercutiu em vários sites de notícias. Segundo ela, a aliança entre o PT e PC do B, com o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad encabeçando a chapa e Dino como vice é um caminho a se considerar. Gleice não descartou, no entanto, a possibilidade também de Flávio ir como cabeça da chapa.
Na postagem, ao comentar a possível aliança, o presidente do PT de São Luís lembrou que o acordo se dará, caso se mantenha “a injustiça contra o presidente Lula nas eleições”. Ou seja, se até 2022, Lula permanecer inelegível, por conta da Lei da Ficha Limpa.
Considerando esse cenário, Honorato destacou a força do nome de Flávio Dino em meio ao quadro atual do campo progressista, razão pela qual os PT almeja a aliança.
“O governador Flávio Dino é sem dúvida uma grande liderança para a chapa presidencial em uma frente de esquerda, seja encabeçando ou na condição de vice”, afirmou o presidente do PT de São Luís.
Honorato aproveitou o ensejo para jogar com as eleições municipais de São Luís preparando o campo para a aliança nacional. Ele sugeriu que a costura da aliança entre PT e PC do B, para 2022, já pode ser considerada agora em 2020, nas eleições municipais, com o PT apresentando um nome para a prefeitura e o PCdoB na base de apoio.
“Em São Luís, a exemplo do cenário nacional, devemos manter uma conversa propositiva. O PT precisa apresentar nome para a prefeitura e, em seguida, iniciar diálogo com a base do governo e do PCdoB, levando em consideração uma conjuntura em que também possamos ter o apoio dos comunistas”, disse Honorato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *