Para atender possíveis aumentos de casos na região vizinha ao Piauí, Flávio Dino anuncia novos leitos para Timon e Caxias

Enquanto o Maranhão tem apresentado melhoras no quadro sanitário decorrente do novo coronavírus, o vizinho Piauí enfrenta ao que parece ser um pico de contágio. Seria a vez, se afeito a revanchismo, de Flávio Dino culpar a capital piauiense pelo possível aumento de casos em municípios maranhenses próximos a divisa – como fez o prefeito de Teresina, Firmino Filho, meses atrás, ao tentar responsabilizar o Maranhão pelos casos de Covid-19 no Piauí. Ao contrário disso, Flávio Dino anunciou, durante entrevista coletiva pelas redes sociais, na manhã de sexta-feira (26), a expansão de leitos em Caxias e Timon.

Tendo o Maranhão sempre mantido boas relações com o estado, de forte identidade cultural, causou espanto à época, quando vídeos e áudios viralizaram nas redes sociais em que o prefeito Firmino Filho dizia que o vírus entrava no Piauí pelas fronteira com o Maranhão e exigia uma postura de Flávio Dino. Na época, ocupado em dar celeridade à implementação do lockdown e à expansão da rede de atendimento, Dino não retrucou, numa clara preferência em não comprometer as relações diplomáticas com o estado irmão.

A resposta ao prefeito de Teresina seria clara: não há barreiras para a nova doença e é o que se vê pelo mundo. A hora é de dar as mãos e cuidar dos seus. Parece que é o que fez Dino que, mesmo diante do crescimento dos casos no Piauí, se ateve a procurar as saídas para resolver o que cabe à gestão maranhense: o suporte às vítimas do Covid-19 na região.

“Nós estamos agora, hoje e amanhã, implementando uma medida de ampliação de leitos, no leste do Maranhão, especialmente nas cidades de Caxias e Timon, porque lá houve um crescimento, acompanhando inclusive o que está acontecendo no vizinho estado do Piauí, onde há notícia até de saturação da rede hospitalar do vizinho Piauí, especialmente em Teresina”, relatou Dino, anunciando além dos novos leitos, a disponibilização de UTI aérea para trazer pacientes da região para tratamento em São Luís, se necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *