Incluído em investigação sigilosa contra adversários de Bolsonaro, Gastão Vieira exige explicações de ministro

Caiu como uma bomba um relatório sigiloso do Ministério da Justiça sobre mais de 500 servidores públicos da área de segurança identificados como integrantes do movimento antifascismo e opositores do governo Jair Bolsonaro.

Segundo reportagem do UOL, a pasta “produziu um dossiê com nomes e, em alguns casos, fotografias e endereços de redes sociais das pessoas monitoradas”. O relatório foi feito pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi), ligada ao ministério.

Incluído entre os investigados, o deputado federal Gastão Vieira afirmou nas redes sociais que ele e os demais deputados investigados clandestinamente exigiram explicações e lamenta que o ministro André Mendonça demonstrou “normalidade” de um caso tão sério. “Ao tomarmos conhecimento do relatório sigiloso do Ministério da Justiça autorizando investigações sobre 579 servidores, seis deputados federais, dentre os quais me incluo, exigiram explicações do MJ. A coisa ficou muita séria, o ministro tentou aparentar normalidade da ação”.

O deputado maranhense diz que prefere dar o benefício da dúvida ao ministro e que a ilegalidade pode ter sido feita por radicais sem o consentimento de Mendonça. “O pessoal do MJ foi trocado todo por ele, mas talvez a pedido de superiores, e ele realmente não esperava que fizessem o que fizeram. O melhor é adotarmos a dúvida, que ele talvez não soubesse de nada, tudo interferência dos radicais. Estamos atentos..nosso papel”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *