Roberto Rocha também tentou filiar Madeira ao PSDB e matar sua candidatura

A candidatura de Wellington do Curso à prefeitura de São Luís poderia não ter sido a única vítima da estratégia do senador Roberto Rocha de eliminar adversários de Eduardo Braide para tentar vencer a eleição no primeiro turno.

O senador chegou a convidar o pré-candidato Carlos Madeira para se filiar ao PSDB pouco depois que ele deixou a magistratura para entrar na política. Roberto ofereceu o partido para o ex-juiz mesmo tendo Wellington já filiado à legenda e, como ele revelou há poucos dias, com um acordo firmado desde 2018 para apoiar Eduardo Braide.

Ou seja, se já estava definido há dois anos que o PSDB iria com Eduardo Braide, o convite de Rocha para que Madeira se filiasse ao partido não poderia ter outro objetivo a não ser o mesmo que ocorreu com Wellington. Deixá-lo preso na legenda passando o prazo de filiação e o impedindo de ser candidato a prefeito.

Para sorte de Madeira, após chegar a ficar tentado a ir para o PSDB, acabou tendo maior garantia do secretário Simplício Araújo de que no Solidariedade não teria nenhum melindre para sua candidatura. E fechou com o partido de Simplício.

Caso Madeira tivesse caído no conto de Rocha seriam duas candidaturas retiradas na marra do processo e três vítimas: Wellington, Madeira e o eleitor – que teria menos opções por jogadas como essas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *