Helicóptero parado da PM do Maranhão teve panes logo após ser comprado por Roseana

O helicóptero da Polícia Militar do Maranhão que está parado com uma série de defeitos foi comprado no fim de 2010. É dessa época também que vêm os problemas que impedem o funcionamento da aeronave.

A aeronave foi comprada por R$ 15 milhões no governo de Roseana Sarney. O helicóptero foi anunciado como de última geração e eficiente. Mas não durou muito para que ficasse claro que a compra foi um mau negócio.

Os problemas começaram a aparecer de forma bastante grave. Logo em 2011, pouco depois da compra, a aeronave começou a apresentar defeitos. A situação piorou em 2012, 2013 e 2014.

Nesses três anos, a aeronave ficou 356 dias parada por problemas técnicos. Em resumo, por defeitos.

Ou seja, mais de cem dias parado por ano durante o governo Roseana Sarney, após a compra.

Tudo isso está documentado em uma auditoria da Secretaria de Transparência e Controle do Maranhão.

Defeitos

Não é comum que uma aeronave com tão pouco tempo de uso fique tanto tempo parada. Havia algo muito errado com a aeronave.

Para agravar a situação, o contrato feito em 2010 não exigia que a manutenção fosse realizada de forma ágil. Nem mesmo um prazo foi estabelecido. Tampouco as inspeções tiveram prazo definido.

Uma das principais razões de o helicóptero ter ficado parado foi a pane de sistema chamada Engine Slipt. Isso perdurou por mais de quatro anos e demandou 13 intervenções da vendedora, a Helibras, até 2017.

Prejuízo

O helicóptero tem tantos problemas que é mais barato deixá-lo parado do que consertá-lo. É um clássico caso perdido.

A auditoria concluiu que a compra representou uma série de prejuízos para o Estado, contrariando o princípio da economicidade – segundo o qual o dinheiro público deve ser aproveitado da melhor maneira possível.

Além disso, o preço da manutenção foi aumentando ao longo dos anos. O fato de o contrato ser vago em relação à manutenção e à inspeção gerou um desequilíbrio da relação contratual em prejuízo do interesse público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *