Após disparo de ataques no Whatsapp, Neto Evangelista protocola representação na Polícia Federal

O candidato a prefeito de São Luís, Neto Evangelista (DEM), compareceu à Polícia Federal nesta terça-feira (13), para denunciar prática ilícita realizada por milícia digital. Na representação protocolada, crimes de propagação de fakenews e difamação foram registrados pelos advogados da coligação “Vamos juntos por São Luís”.

Neto Evangelista declarou que repudia o ato de  algumas pessoas de tentar denegrir e atingir a sua imagem. “As pessoas estão confundindo o debate eleitoral sobre São Luís com ataques a mim e a minha família. Hoje protocolei uma denúncia sobre um vídeo que está sendo divulgado na cidade inteira, atrelando a minha imagem à de um ator pornográfico, que chegou ao conhecimento da minha filha de 13 anos. Eu tenho mãe idosa, tenho esposa e filhos que utilizam redes sociais e é inadmissível esse tipo de conduta. Não irei aceitar práticas como essa que constrangem a minha família e espero que sejam identificados os autores o mais rápido possível”, desabafou o candidato.

No vídeo intitulado “Kid Bengala tem um recado pra você de São Luís”, Neto Evangelista é colocado junto ao ator de filmes adultos, proferindo termos vulgares e, por consequência, ridicularizando o candidato. O vídeo divulgado em diversos grupos de WhatsApp e outras redes sociais, foi divulgado por um número que em outro momento compartilhou elogios e notícias positivas sobre outro candidato à Prefeitura de São Luís, autointitulado “filho do povo” em suas propagandas eleitorais.

De acordo com o advogado Daniel Leite, a representação será encaminhada para o delegado de crime eleitoral para que as medidas cabíveis sejam tomadas.

“Pedimos urgência para que se descubra, com a maior brevidade possível, os autores dos ilícitos praticados. É importante saber quem está por trás dessa campanha difamatória e baseada em fake news. A sociedade tem o direito de conhecer eventuais candidatos e patrocinadores envolvidos com esse tipo de conduta. Apresentamos a notícia crime e agora cabe à polícia e ao judiciário elucidar-la, requerendo, inclusive, quebra de sigilo dos perfis envolvidos, busca e apreensão de aparelhos de celular e computadores, oitiva de pessoas, etc. Vamos acompanhar e aguardar as próximas medidas”, explicou o advogado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *