Em entrevista, Jeisael aponta que Braide, Neto, Duarte e Rubens são mais do mesmo

Em entrevista ao programa Abrindo o Verbo, da rádio Mirante FM, o candidato à prefeitura de São Luís Jeisael Marx, não poupou críticas aos demais candidatos, que só tem a política como ofício de vida e outros que ainda tentam se vender como “novo” atrelado às velhas práticas e raposas da política maranhense.

“A política está desacreditada porque nessa época o cara come mocotó, vai à feira e come pastel, finge que é da comunidade, do povo”, afirmou. E pontuou as peripécias dos principais candidatos a prefeito.

“A começar pelo Eduardo Braide que nunca teve uma carteira de trabalho assinada. O primeiro emprego quem deu foi o pai em uma negociação com o governador que deu em troca de apoio e ofereceu a ele o cargo de presidente da Caema. O outro, Neto, foi deputado com 22 anos de idade sem ter antes tipo outra ocupação. Com 22 anos eu estava ralando muito para sustentar minha família. Essas pessoas são profissionais da política. O Rubens Júnior está na terceira geração de político: é o avô, o pai, a mãe e o filho. E nesse momento joga futebol na rua. Ainda tem mais um que se pinta de herói [Duarte Júnior]. Na política não tem herói, tem que tem vontade de fazer e quem não tem. Ainda se junta com a raposa velha, que é Josimar de Maranhãozinho pensando na eleição de 2022. Está pensando no seu candidato a governador e não na cidade”, afirmou.

Jeisael disse que os adversários não passam de produtos de marketing. “São Luís precisa de um gestor e não de um produto de marqueteiro. Estão todos preparadinhos para falar o que o marqueteiro manda. Esses você já conhece que não fizeram nada. Me dê uma chance e se eu não fizer pode me dar ‘pé na bunda’ daqui a quatro anos. Comigo o eleitor tem 50% de chance de acertar e com eles 100% de chance de errar”, pontuou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.