Jeisael se destaca no debate do Imirante

O debate do Imirante foi melhor aproveitado do que o primeiro embate entre os postulantes à prefeitura de São Luís. Se no debate da Band, o candidato Yglésio foi o melhor, neste debate, em que os deputados candidatos se engalfinharam, Jeisael Marx (único fora desse contexto) foi o principal destaque, com um tom mais sereno, propositivo e sem entrar na “delação” promovida .

Neste novo debate, Neto Evangelista, Duarte Júnior, Bira do Pindaré e Rubens Júnior decidiram ir pra cima de Eduardo Braide, que se viu mais acusado tendo que responder os adversários a todo instante e implorando para ser esquecido. Braide teve alguns bons contragolpes, mas saiu muito ferido, sempre tergiversando sobre suas fraquezas, como a fraca gestão como presidente da Caema e os escândalos de corrupção (Anajatuba e Icatu) que envolvem seus mandatos parlamentares.

Yglésio foi bem, mas com menos destaque do que no primeiro debate. Falou de suas propostas, mas pareceu incomodado e irritado por ser ignorado. De qualquer forma, ficando fora da arena de acusações conseguiu passar bem o seu recado.

Jeisael se aproveitou bem do fato dos deputados candidatos estarem se digladiando para passar bem as suas propostas e alfinetar todos os adversários pelos seus privilégios, colocando-os em vala comum. Bira cresceu em relação ao primeiro debate e impôs incômodo a Eduardo Braide

O termômetro das redes sociais durante o debate mostrou um incômodo dos internautas por candidatos rasos e com tantos “podres” na disputa.

Mais uma vez a participação de Duarte Júnior, que é o segundo colocado nas pesquisas, foi decepcionante. Até tentou atacar Braide e Neto, mas foi muito acuado e sem resposta nos contragolpes. Duarte também é deputado e de uma forma ou outra tem os mesmos privilégios que tenta aparentar que só os outros têm (verba indenizatória, verba para publicidade mesmo com a Assembleia fechada). E acaba perdido no discurso de “diferente”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.