Maracrioula leva oficina de Tambor de Crioula para Escolas do Maranhão por meio da Lei Aldir Blanc

O Tambor de Crioula Maracrioula, por meio da Lei Aldir Blanc do Governo do Maranhão e Governo Federal, está realizando ao longo do mês de novembro o “Projeto Saberes Tradicionais”, com oficinas, ações e promoção de salvaguarda do tambor de crioula, voltado para os estudantes da rede de ensino do Maranhão.

O projeto teve início no último dia (16), no Centro de Ensino Estado do Pará, no bairro da Liberdade. Ao todo foram cinco dias de oficinas ministradas pelos mestres e coreiras do Maracrioula: Wellisson Barbosa (percussão), Rosy Santos (dança), Mariana Mendes, Beata e Alex da Silva (artesanato). As atividades contaram com a participação de estudantes, professores e membros da comunidade escolar.

O resultado das oficinas, foi apresentado no 1º Festival de Talentos, Professor Luiz Alves, em alusão ao Dia da Consciência Negra, com uma exposição de fotografias contando um pouco da história do tambor de crioula do Maranhão, além de peças artesanais retratando o dia a dia das coreiras, tambozeiros e outros personagens dessa manifestação cultural, que é Patrimônio do Brasil.

Para o presidente do Maracrioula, José Nascimento, aproximar a cultura popular maranhense da sala de aula, significa resistência e continuidade.

“O Maracrioula está completando 21 anos de existência e resistência, nós desempenhamos uma importante função sociocultural no bairro da Liberdade em São Luís, envolvendo desde crianças a idosos, nessa que é uma importante manifestação cultural maranhense. É nossa missão dar continuidade às iniciativas de valorização da cultura local e difusão de conhecimento, o nosso grupo sempre realizou diversas oficinas de tambor de crioula e agora por meio da Lei Aldir Blanc, conseguimos levar as oficinas e o conhecimento para a sala de aula da rede estadual de ensino.”, disse José Nascimento.

Oficina de Saberes no Anjo da Guarda
Na segunda-feira (22) o Maracrioula deu início as atividades do projeto Oficina de Saberes, no Centro Educa Mais Y Bacanga, no Anjo da Guarda. Nessa etapa do projeto, participam alunos do 1º, 2º e 3º ano do ensino médio, dos turnos matutino e vespertino. Todo trabalho desenvolvido pelos estudantes nas oficinas, serão apresentados na culminância do projeto que acontece nesta sexta-feira (26).

Programação:
08:00 – Exposição do Tambor Maracrioula e de material confeccionado por alunos
14:00 às 15:00 – Palestra com a cantora Gisele Padilha e o professor Neto de Azile
15:00 às 15h30 – Coffee Break
15:30 – Apresentação do Tambor de Crioula
16:00 – Apresentação do Bloco Afro Netos de Nanã com a participação do cantor Luiz Carlos Guerreiro .

O Tambor de Crioula revalidado

Revalidado como Patrimônio Cultural do Brasil, durante a 97ª reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural. O tambor de crioula, tem sua origem na África, sendo formado por mulheres com saias longas que se revezam na roda, enquanto os homens, tocam tambores. Registrados como Patrimônio Cultural, a manifestação popular do Maranhão, passa pelo processo de revalidação a cada dez anos, de acordo com o estabelecido no Decreto nº 3.551/2000.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.