Até na pesquisa Escutec/Palácio, Weverton e Brandão estão colados

O cenário eleitoral segue o caminho que vinha sendo desenhado desde o final de janeiro: uma subida de Carlos Brandao com a violência da força da máquina e estabilidade de Weverton Rocha para polarizar a disputa. E mesmo na pesquisa do instituto mais amigo do Palácio dos Leões, o cenário é o mesmo.

O Escutec, ligado ao sistema Mirante, que hoje é abarrotado de dinheiro de verba pública da secretaria comunicação do estado, realizou pesquisa de intenção de votos. O instituto entrevistou 2 mil pessoas em 73 municípios nos dias 26 a 30 de abril. Com margem de erro de 2,19% para mais ou para menos e com grau de confiança de 95%.

Segundo o levantamento mais importante, que é o cenário sem Roberto Rocha (o senador irá declarar nesta segunda-feira que vai disputar a reeleição para o senado), Brandão tem 26% contra 23% de Weverton. Edivaldo Júnior com 15% e Lahesio Bonfim com 14%. Simplício Araújo aparece com 3%.

Apesar da estranheza de ser Edivaldo aparecer à frente de Lahesio, é estranho que os votos de Roberto se diluam praticamente entre todos os candidatos, inclusive o governador. Na prática, parece certo que o eleitor de Roberto não vota no candidato de Flávio Dino. Isso implicaria que o eleitor ainda tem pouco conhecimento de quem é quem no jogo. Muitos ainda sequer parecem compreender que Brandão é o candidato de Dino, o que indica ainda mais perda quando a campanha começar.

Rejeição

No quesito rejeição, o deputado Josimar de Maranhãozinho é o que tem a maior rejeição: 24%. O senador Roberto Rocha vem em seguida com 21% e Weverton com 15%. Carlos Brandão tem 13% de rejeição e Edivaldo Júnior, 11%.

Maranhãozinho já confidenciou a apoiadores que não será candidato a governador. SUa posição também será importante no cenário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.