Política maranhense em notas

Prefeito irá se filiar ao PCdoB

IMG-20150817-WA0016_resizedO prefeito de Barra do Corda, Eric Costa, deverá mudar de legenda para disputar a reeleição. O gestor acerta os últimos detalhes de sua filiação para o PCdoB com o presidente estadual do partido, Márcio Jerry, e o deputado estadual, Othelino Neto. Os três tiveram mais uma reunião nesta segunda-feira (17). O prefeito foi eleito pelo PSC.

Clayton Noleto diz que é pré-candidato

claytonimperatrizPela primeira vez o secretário estadual de Infraestrutura, Clayton Noleto, afirmou categoricamente que é pré-candidato a prefeito de Imperatriz. A candidatura de Noleto antes se restringia às articulações de bastidores. Durante evento na sede do PCdoB de Imperatriz, o secretário se apresentou aos militantes como pré-candidato. Como muitos preferiam o deputado Marco Aurélio por ser mais conhecido pelo eleitorado, o préoprio deputado estadual reforçou a pré-campanha de Noleto nas redes sociais exaltando as qualidades do secretário e afirmando que ele é seu candidato.

Rosângela se reforça politicamente

Já a pré-candidata a prefeita de Imperatriz e subsecretária de Saúde do estado, Rosângela Curado, ganhou grande reforço político neste fina de semana. O presidente da Câmara Municipal, José Carlos Barros (PTB) e mais quatro vereadores declararam apoio à candidatura da pedetista. Também declararam apoio Enoc, Pimentel, Chiquinho De Ferro, Zé da Farmácia. O líder comunitário Antônio Marcos se filiou ao PDT também neste final de semana.

Rose Sales pode trocar novamente de partido

Pessoas próximas à vereadora Rose Sales (PP) tem notado o descontentamento dela com o presidente estadual do PP, deputado Wladir Maranhão. O vice-presidente da Câmara se reuniu com a pré-candidata a deputada federal Eliziane Gama neste final de semana e seus movimentos têm dado desconfiança a Rose de que ele realmente dará legenda para que a ex-comunista dispute a prefeitura de São Luís. Rose já começa a sondar possibilidades de troca. O PV é o favorito para uma possível mudança.

PDT filia Gil Cutrim dia 28

gilcutrimE os maiores partidos da base aliada do governador Flávio Dino seguem se fortalecendo nos maiores colégios eleitorais. Em São José de Ribamar, o PDT filia no próximo dia 28 o prefeito do município, Gil Cutrim. “Gil é prefeito da terceira maior cidade do Maranhão em número de habitantes. Preside uma entidade que congrega os municípios de nosso estado. É um gestor jovem, com grandes ideias e que tem um futuro mais do que promissor. Para o PDT, sem dúvida alguma, sua chegada fortalecerá, ainda mais, o partido e contribuirá para que cresçamos cada vez mais”, disse o deputado Weverton Rocha, que assumirá a presidência estadual do partido.

Ausência no evento do PRB

marquinhosO vereador de São Luís Marquinhos faltou ao evento do PRB no último sábado (15), quando o partido reuniu as maiores lideranças nacionais e estaduais no Maranhão. O vereador disse que já pediu oficialmente a desfiliação do PRB com a anuência para se filiar a outra legenda. Com muitas divergências com o presidente estadual da legenda, Cléber Verde, o vereador da Vila Luizão já anunciou há cerca de seis meses que não disputará a reeleição pelo partido. Marquinhos já tem inclusive convite para uma nova legenda com a garantia da presidência do diretório municipal. É aguardar pra ver.

UDI Hospital recebe homenagem na Câmara

Há 20 anos atuando no estado do Maranhão, o UDI Hospital recebe nesta terça-feira (18), uma homenagem ?na Câmara Municipal de São Luís. De autoria do vereador Gutemberg Araujo, a solenidade terá início às 10 da manhã no Plenário Simão Estácio da Silveira e contará com a presença dos sócios fundadores do hospital Dr. Carlos Gama, Dr. Bonifácio Barbosa e Dr. Lourival Gama.

Política maranhense em notas

Clayton não é candidato de Flávio

marcoaurelioO editor do Blog conversou com o deputado Marco Aurélio (PCdoB) sobre suas declarações de que o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, seria pré-candidato de Flávio Dino à prefeitura de Imperatriz. O deputado afirmou que houve erro de interpretação na sua fala quando disse “estamos trabalhando para consolidar o nome do Clayton”. O comunista disse que se referia ao PCdoB de Imperatriz, que pretende ter candidato, sem nenhuma relação com o governador. Marco Aurélio disse inclusive que trabalha por uma composição com a pré-candidata Rosângela Curado (PDT).

Sem consenso, Flávio se isenta

rosangelaclaytonEm entrevista ao Blog em maio (relembre), Noleto já dizia que o grupo governista deveria ter só um candidato a prefeito. Caso não consiga se tornar mais competitivo até o período eleitoral, Clayton tem consciência de que terá que compor com Rosângela. Caso não haja entendimento, inclusive com o Pastor Porto, que também é aliado do grupo dinista e pode ser candidato, o governador irá se isentar na disputa. Mas se os líderes do campo em Imperatriz se unirem, a candidatura terá certamente o melhor Cabo eleitoral do Maranhão.

CPI já tem membros

ricardomuradA CPI da Saúde já tem seus membros definidos. São eles Rogério Cafeteira (PSC), Fernando Furtado (PCdoB), Rafael Leitoa (PDT), Levi Pontes (SD), Marco Aurélio (PCdoB), Josimar de Maranhãozinho (PR) e Roberto Costa (PMDB). A composição deverá ser publicada nesta quinta-feira (6) no Diário Oficial da Assembleia. Após a publicação, haverá a definição de presidência e relatoria. Depois de instalada a CPI, esta terá 120 dias para encerrar os trabalhos. A Comissão investigará as irregularidades da gestão da Saúde entre abril de 2009 e dezembro de 2014.

Novos secretários empossados

Foto3_NaelReis - Posse secretáriosO governador Flávio Dino empossou nesta quarta-feira (5) Felipe Camarão, como secretário de Estado da Cultura, e Lilian Guimarães, como secretária de Estado de Gestão e Previdência do Maranhão. Camarão disse levar consigo a vontade de aprender e de trabalhar com o mesmo empenho quando esteve à frente Segep. Lilian Guimarães, agradeceu o voto de confiança se colocou à disposição do povo do Maranhão para trabalhar com a mesma dedicação de quando era adjunta da Segep.

Nome social para transexuais

zeinacioUma bela iniciativa do deputado Zé Inácio (PT). O Projeto de Lei nº 144/15 de autoria do deputado visa o reconhecimento e a ampliação dos direitos desta população que necessita ter suas garantias constitucionais preservadas, evitando os constantes constrangimentos registrados quando se nomina uma pessoa com um nome masculino, enquanto, na verdade, esta mesma pessoa se denomina do sexo feminino ou vice-versa. Zé Inácio lembra que o Movimento LGBT, através de suas entidades, tem demandado o direito de uso do nome social das pessoas trans por intervenções no Poder Judiciário e nas políticas da administração pública do Estado, notadamente a exemplo de condutas não vexatórias e não discriminatórias.

Sampaio começa grande no basquete 

izianesergiofrotaO Sampaio Corrêa anunciou a criação de seu time de basquete feminino, já contratando uma grande estrela do basquete nacional: a maranhense Iziane. O time boliviano estreia na LBF 2015/2016, marcada para novembro. Iziane foi convocada para defender a seleção brasileira no torneio pré-olímpico. O Sampaio ainda irá montar a comissão técnica e o restante da equipe.

Clayton Noleto: grupo de Flávio tem que ter só um candidato em Imperatriz

Clodoaldo Corrêa e Leandro Miranda

Clayton Noleto diz que PSDB, PCdoB e PDT devem estar unidos nas eleições municipais em Imperatriz

Clayton Noleto diz que PSDB, PCdoB e PDT devem estar unidos nas eleições municipais em Imperatriz

Titular de uma das pastas mais poderosas do governo Flávio Dino, o secretário estadual de Infraestrutura, Clayton Noleto, falou sobre as ações da secretaria em entrevista exclusiva aos Blog Marrapá e Clodoaldo Corrêa. Noleto também resolveu falar sobre a sucessão do prefeito Sebastião Madeira, e afirmou que o grupo deve trabalhar pela união para ter apenas uma candidatura, ou corre o risco de perder a eleição para o grupo de Ildon Marques.

O secretário criticou as obras inacabadas do governo anterior, entregues às pressas e que estão causando transtornos à população. A Via Expressa e o Corredor Metropolitano são os maiores exemplos na capital.

Noleto explicou que as ordens de serviço assinadas na pré-campanha eleitoral no governo Roseana, eram ordens para contratação de projetos e não para início das obras como foi amplamente divulgado.

Sobre o convênio de R$ 20 milhões para pavimentação em São Luís, o secretário explicou que de imediato a prefeitura receberá 30% e as liberações ocorrem conforme a execução. Ele também anunciou que em cerca de 40 dias, um novo pacote de serviços para São Luís será lançado.

Secretário, gostaríamos que você falasse, de forma resumida, da sua trajetória política e técnica para chegar até o cargo de uma das secretarias mais importantes do estado?

Eu tive militância no movimento estudantil, mas não havia me filiado em nenhum partido até 2007. Até aquele momento, eu julgava que teria minha independência intelectual. Aí, achei interessante o projeto e me filiei ao PCdoB. Depois me tornei presidente do partido em Imperatriz. Em 2010, eu me candidatei a deputado federal, mas no meio da campanha abandonei a candidatura para me dedicar à campanha do Flávio Dino. Ganhamos musculatura e com interlocução permanente entre nossos aliados. Em 2012, fui candidato a vice-prefeito na chapa do Carlinhos Amorim e conseguimos a nossa meta que foi eleger dois vereadores. Em 2014, eu assumi a coordenação da campanha do Flávio na região tocantina inteira. E tínhamos a meta de dar a votação mais expressiva ao nosso candidato a governador na região. Elegemos o deputado Marco Aurélio em uma campanha de gasto financeira infinitamente menor do que a dos concorrentes. Politicamente, resumidamente, esta é a minha trajetória. Na parte pessoal, sou formado em História, Administração e Direito. Eu lecionei no Senac, fui consultor do Sebrae, fui professor de gestão na faculdade e tinha uma empresa de consultoria. Justamente uma das empresas da consultoria.

O senhor hoje tem um nome conhecido em todo estado e já é uma liderança consolidada em Imperatriz. Como pretende participar das eleições de 2016 na cidade?

OlhoNoleto1Eu vou participar de acordo com o que meu partido decidir. Sou muito disciplinado, até porque sempre cobrei isso dos companheiros. Todos podem expressar suas opiniões pessoais, quando o coletivo decide, todos têm que acatar. Sobre a eleição em Imperatriz, temos que ter muita maturidade para fazer o mesmo que fizemos na eleição do Flávio Dino: unir todas as forças em torno do projeto. Em Imperatriz, o campo político do grupo do Flávio não pode ter dois ou três candidatos. É fundamental que tenha apenas um para conseguirmos uma vitória que coloque a cidade em consonância com o governo.

Mas, no atual momento político, o senhor acredita que ainda existe possibilidade de uma força de oposição ao grupo, como o ex-prefeito Ildon Marques, ter uma candidatura forte?

Nós não podemos subestimar a chance destas forças vencerem em Imperatriz. Tradicionalmente, ele consegue alcançar pelo menos 20% dos votos. Se ele tem pelo menos este percentual, em um fracionamento de disputa, em uma cidade que só tem um turno, pode se eleger. Em 2004, ele se elegeu com pouco mais de 30% em uma disputa dividida.

Então, pelo que o senhor está dizendo, se a Rosângela Curado for candidata, o senhor não será, ou vice-versa?

Tem uma conexão maior com o entendimento dos partidos. Eu não consigo vislumbrar um candidato do Madeira, um candidato do PCdoB, um candidato do PDT, fracionando o campo e a oposição ao governo Flávio se unir em torno de um candidato e nos derrotar. Temos que ser maduros o suficiente para evitar isso. Mas, sinceramente, nem que eu quisesse pensar em candidatura eu teria aceitado a secretaria. Eu tenho a característica de ser focado. Por isto estou 100% focado na secretaria. Aqui é um desafio muito grande. Você planeja fazer o novo, mas sempre tem que dispor de um tempo para refazer o que foi mal feito no governo passado.

Fale um pouco sobre o cronograma de obras da Sinfra.

Clayton Noleto e  adjunto, Ednaldo Neves, mostram as ações da pasta

Clayton Noleto e adjunto, Ednaldo Neves, mostram as ações da pasta

Definimos três conjuntos de metas primeiro dar continuidade e celeridade a todas as obras que estavam em andamento com um cronograma. Sugerimos um cronograma ao governador e ele apertou mais os prazos. E também demos prioridades a novas obras como Buriti-Bravo a São Félix. Estamos elaborando o projeto da ponte sobre o Rio Pericumã. Estamos fazendo o termo de referência para a Paulo Ramos-Arame, que agora vai até Marajá do Sena. Vamos fazer o projeto de Barreirinhas a Paulino Neves e temos projeto pronto e vamos licitar a execução para São Raimundo-Doca Bezerra. Temos licitação feita para Matinhas-Itans e temos o planejamento de fazer o máximo de projetos mesmo sem recursos. Com o projeto feito, é mais fácil captar recursos.

O governo passado disse que ligaria todas as cidades do Maranhão por asfalto. Chegou a ser feito algo neste sentido ou existia projetos para tal?

Houve alguma intenção de ligação em alguns casos. Por exemplo, de Barão de Grajaú a São Francisco do Maranhão, por ser na região do litoral, o traçado teria o objetivo de ligar por terra. Mas este é mais uma exceção do que a regra. Primeiro, não tivemos transição, como em todo governo. Então, tivemos que assumir a secretaria e, a partir daí, fazer um diagnóstico. Formamos uma boa equipe e fizemos com relativa rapidez. E verificamos que houve interesse meramente eleitoral nas obras que seriam executadas. As obras que foram feitas, foram exatamente ligando prefeituras aliadas do governo anterior.

Um dos ex-secretários assinou vários convênios com prefeituras na época da pré-campanha eleitoral. Estes convênios foram executados ou iniciados?

Aqui na Sinfra não existem convênios desde 2012. A informação que tivemos é que foram transferidos pra Secid. Até porque eu acredito que o ex-secretário Luís Fernando, quando era pré-candidato a governador, não queria assinar convênios para não se complicar com a Justiça Eleitoral. O que houve foi ordens de serviço para ser executado direto pela Sinfra. Mas houve uma certa confusão na interpretação. Não sei se ele anunciava assim nas cidades, mas as pessoas entendiam que era ordem para começar o serviço. E criava a expectativa. Mas era ordem de serviço para elaboração do projeto. Aí se contrata a elaboração, passa cerca de oito meses, aí vai para a licitação para empresa que vai executar.  Enfim, passa por um trâmite que não é rápido.

O governo anterior entregou obras que estavam cercadas de expectativa ainda inacabadas, como a IV Centenário e a Via Expressa. O que a Sinfra está fazendo para resolver este problema?

A IV Centenário é de responsabilidade da Secid. A Via Expressa é da Sinfra. Mas as duas apresentam os mesmos problemas. A Via Expressa é um grande exemplo de problema de pressa, falta de planejamento e fiscalização. As irregularidades foram tantas que chamaram atenção desde o primeiro dia. Quando cedeu o pavimento, já tínhamos notificado a empresa três vezes. A empresa alegou uma série de dificuldades que não estavam previstas, pressão para entregar ainda em dezembro. Eu chamei a representação da empresa e disse que não queríamos perseguir, mas resolver o problema. Se tiver alguma coisa que não estava no projeto, iriamos acertar. Chamamos o CREA para participar do processo. Pedimos agora, recentemente um cronograma e será terminado o mais rápido possível. Este caso serve de exemplo para a consequência desta gestão sem planejamento.

A chamada Via Metropolitana tinha um projeto inicial apresentado com uma grande avenida com oito pistas e o que se viu foi uma entrega inacabada, com um viaduto que ficou apenas um grande buraco e apenas uma via de cada lado com um canteiro central enorme. O que houve e como será a continuidade daquela obra?

OlhoNoleto2Ali faz parte de um Anel Metropolitano que deve iniciar na BR-135, passa pela Uema, passa pelo Araçagy e Holandeses. O que tem projeto é desta parte da BR até a orla marítima. Ela começou com recursos do Ministério do Turismo. Depois foi complementado com recurso do Ministério das Cidades. Mas precisava incluir transporte público. Aquele traçado é para BRT (ônibus articulado). No projeto original são duas faixas de rolamento de cada lado e o BRT. Mas depois ficou uma via de cada lado e o canteiro central para dois BRT’s. Quando assumimos, avaliamos que não tinha condições de ali ter um BRT. Além de que quando chegasse na Holandeses teria que duplicar e desapropriar. Não teria condições. Apresentamos um redesenho ao Ministério das Cidades e entregaremos até 30 de junho. No novo projeto, teremos faixa exclusiva de ônibus e três pistas de rolamento. A partir daí, corrigimos aquele “monstrengo” que ficou ali. Agora, será muito interessante para a mobilidade na entrada e saída da cidade sem ter que desapropriar.

Como está a execução do programa “Mais Asfalto”?

Existiam recursos do BNDES para asfalto nas cidades. Mas é preciso envolver mobilidade urbana por exigência do BNDES. Agora como fazer mobilidade em pequenas cidades. Ainda assim, foi feito um escopo com o recurso de R$ 300 milhões para 215 cidades e deixaram de fora apenas São Luís e Porto Franco. Agora, imaginem, em ano eleitoral, cada um recebia um pouquinho de asfalto para benefício eleitoral. Executaram cerca de R$ 212 milhões e ficamos com saldo de R$ 88 milhões para executar. E desde que assumimos, só estamos pagando estes em andamento com auditoria. E nós assumimos o desafio de mostrar que era possível colocar asfalto de qualidade mesmo no período de chuva. E iniciamos o programa Mais Asfalto. Começamos por Imperatriz, Caxias e Timon. Eu disse para a empresa que não aceitaríamos um trabalho que não fosse de qualidade e o asfalto está suportando muito bem o período chuvoso.

Com relação ao convênio com a prefeitura de São Luís de R$ 20 milhões, qual vai ser a participação da Sinfra e qual a perspectiva de novos convênios?

O recurso vai ser liberado por medição. A prefeitura apresentou o projeto à Sinfra, discutimos e vamos liberando o valor conforme a execução. Vai sendo medido, a Sinfra fiscaliza e libera. Será liberado logo 30%. Com relação a novos convênios, daqui a cerca de 40 dias, um novo pacote de investimento deve ser anunciado para São Luís.

Madeira quer Clayton Noleto como seu candidato a prefeito de Imperatriz

Sebastião Madeira quer Clayton Noleto como seu sucessor

Sebastião Madeira quer Clayton Noleto como seu sucessor

O prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), está decidido a fazer do atual secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto (PCdoB), seu sucessor na cadeira de prefeito de Imperatriz.

Madeira chamou os vereadores da sua base para anunciar que quer Noleto como prefeito. Os do PCdoB, já iriam naturalmente com o companheiro de partido. O prefeito alega que não existe candidatura já resolvida pelo grupo de aliados do governador Flávio Dino. A candidatura da subsecretária de Saúde, Rosângela Curado, seria natural por ter sido a segunda colocada nas eleições de 2012, mas muitas lideranças dinistas em Imperatriz preferem outra opção.

A posição de Madeira levou a uma reação de Curado. O deputado federal Weverton Rocha, aliado de Rosângela, questionou o deputado estadual Marco Aurélio sobre a candidatura de Clayton. Marco Aurélio foi firme em responder que tem preferência pela candidatura de Noleto.

Tocar obras e diálogo com setor privado serão nossas diretrizes, diz Clayton Noleto

Blog do Jorge Vieira

claytonEm entrevista, o secretário de Infraestrutura apresentado por Flávio Dino para comandar a pasta a partir de 1º de janeiro de 2015 afirmou que as obras do recurso do empréstimo ao BNDES serão tocadas e concluídas no próximo Governo.

Segundo Clayton Noleto, já existe um esforço em conhecer a pasta e a situação financeira do Estado para garantir que os recursos dessas obras sejam apresentadas de forma transparente para o próximo governo, para que a população não seja prejudicada com a troca de nomes.

Entre as prioridades apontadas pelo próximo secretário estão o diálogo com a classe empresarial mantendo “um clima de respeito e independência” de ambas as partes. Clayton é oriundo da Região Tocantina e afirma que todas as regiões serão contempladas com as ações no Governo Flávio Dino.

1 – O Maranhão é um estado que tem muitos problemas infraestruturais a serem resolvidos. Qual será a sua prioridade na pasta?

Vamos cumprir o Programa de Governo, cujo conteúdo foi elaborado em amplo debate com todos os setores da sociedade: concluir todas as obras vinculadas aos recursos do BNDES, obras cuja responsabilidade é do Governo Estadual, e combater a corrupção. Vamos apoiar as prefeituras na recuperação permanente das estradas vicinais, especialmente as destinadas ao escoamento da produção. Essas medidas vão abranger todas as regiões do Maranhão – muitas delas, que foram relegadas ao esquecimento ao longo dos anos. Vamos fazer tudo isso com transparência, agilidade e eficiência, num clima de respeito e independência em relação ao setor privado.

2 – E as obras não concluídas pelo atual governo, qual o tratamento que será dado a partir de 1º de janeiro?

Esse tema será tratado com seriedade. Uma das nossas solicitações diz respeito ao demonstrativo de obras em andamento, com informações detalhadas do que foi entregue ou não está concluído. Conhecemos os problemas de mobilidade urbana nas grandes cidades e trataremos as obras da Via Expressa, do Corredor Metropolitano e da Quarto Centenário com a atenção devida. Outro caso que terá nossa total atenção é o da MA-008, a famosa “Paulo Ramos-Arame”, importante para escoamento da produção e facilitar o deslocamento, acesso a serviços de saúde, educação. Essa obra, que foi integralmente paga e nunca foi feita, será o símbolo da inauguração de um novo momento no governo do Maranhão. Vamos fazer essa estrada, importante para o desenvolvimento do estado.

3 – Como o senhor pretende conduzir o Programa de investimentos em infraestrutura do BNDES no Maranhão, conhecido pela polêmica criação do Fundema?

Primeiramente, é necessário conhecer com detalhes a real situação de todos os convênios e estamos fazendo isso nesse período de transição. Saber quanto existe em caixa, quanto já foi gasto e o que ficará para executar no próximo Governo. Já estamos tomando ciência de todo o programa de investimentos previsto no BNDES e vamos acompanhar a execução, obra a obra, para que o dinheiro público seja finalmente revertido em benefícios para todos os maranhenses; e isso será levado ao conhecimento dos maranhenses. Nossa prioridade será garantir a conclusão de todas as obras oriundas do financiamento do BNDES.

4 – O senhor tem destaque em Planejamento Estratégico e, nessa área, o Maranhão precisa transformar as obras em mais desenvolvimento. Como fazer isso no novo governo?

Vamos colocar em prática o compromisso do Governador eleito – garantir o combate à corrupção e ao desperdício. E isso nós vamos fazer com diálogo permanente com o setor privado, aumentando a celeridade e qualidade das obras, assegurando transparência e probidade nas despesas do Estado. Os investimentos serão feitos em sintonia com as diretrizes estabelecidas pelo Flávio. Temos um estado rico e capaz de produzir em todas as regiões, por isso, as obras não podem ser feitas aleatoriamente. Elas devem estar sintonizadas com as necessidades de cada região. O nosso esforço será feito nesse sentido.

Flávio prestigia Imperatriz com indicação de Noleto

Flávio e Clayton Noleto durante a campanha de 2012, em Imperatriz

Flávio e Clayton Noleto durante a campanha de 2012, em Imperatriz

A indicação de Clayton Noleto para a secretaria de Infraestrutura do estado frustou muitos que esperavam uma figura mais conhecida e arraigada com práticas antigas dentro da importante pasta. O futuro secretário da Sinfra é de membro do PCdoB e de confiança de Flávio Dino.

O mais importante da indicação foi o prestígio de Dino à região tocantina. A expressiva votação de Flávio em Imperatriz deu quase uma obrigação ao governador eleito de retribuir a cidade com uma representação importante no governo. E coube à Imperatriz a secretaria de Infraestrutura. A cidade deu uma das maiores diferenças a favor de Flávio: 84,32% dos votos (totalizando quase 99 mil pessoas) contra 13,22% do adversário, um total de votos um pouco superior a 15 mil votos. Com um representante que conhece as necessidades da região tocantina.

Noleto não pode ser considerado uma indicação restritamente técnica, como foram as indicações de Ted Lago (Emap) e Rodrigo Maia (PGE). Mas para exemplos recentes mostram que somente um currículo não é suficiente para uma gestão eficiente.

A nível estadual, Roseana trouxe alguns técnicos de currículo invejável de fora do estado, que não demonstraram resultado satisfatório e ainda tiveram uma atuação do ponto de vista ético duvidosa. Na prefeitura de São Luís, Edivaldo cometeu o mesmo erro em algumas pastas, que logo tiveram que ter os nomes trocados.

Toda secretaria precisa de técnicos da área competentes, mas o comando, precisa antes de tudo, de gestor eficiente, com liderança e espírito público.