Quem não deve não teme

andreaParece despropositado o esbravejo da deputada Andrea Murad (PMDB) ontem (17) na tribuna da Assembleia Legislativa contra a CPI da Saúde. Andrea disse ter a certeza de que consegue derrubar na Justiça a CPI.

“V. Exas, vão investigar de 2009 a 2014, não sei quando, porque essa [CPI] vai ser, vamos entrar na justiça para derrubar até V. Exas fazerem uma direito”, gritou.

Andrea ainda tentou constranger os colegas de parlamento, agredindo o presidente da CPi e afirmando que esta não teria legitimidade. “isso aqui é uma revolta mesmo de uma parlamentar que foi eleita legitimamente pelo povo, legitimamente pelo povo”.

Todo o discurso de Andrea foi o para tirar a legitimidade, constranger os membros e ameaçar entrar na Justiça contra a CPI. É um discurso exatamente contrário ao de quem está sereno e tranquilo quanto à sua inocência, já que a eleição da deputada foi legítima e a administração da Saúde por Ricardo Murad foi proba.

O ex-secretário Ricardo Murad não dizia pelos quatro cantos que não tinha medo de CPI e que iria colocar todos os deputados “no bolso”? Ricardo não andou dizendo que iria constranger os membros e sair da CPI com “atestado de boa conduta”? Ele mesmo não publicou nas redes sociais que estava à disposição para prestar esclarecimentos? Qual a melhor oportunidade de esclarecer do que em uma CPI com todos os holofotes?

Por que então a mudança do discurso? Por que o medo da investigação? O mais natural de quem se considera inocente sobre uma acusação é pedir a investigação, deixar claro sua inocência.

O discuso agressivo e desproporcionado da filha de Ricardo Murad dá um indicativo do que a CPI irá encontrar sobre sua gestão à frente da secretaria estadual de Saúde.

A CPI como instrumento de apuração da corrupção

Blog do Garrone

IMG_0737O argumento dos que defendem o esvaziamento da CPI da Saúde instalada semana passada na Assembleia Legislativa é típico dos que temem a fiscalização da sociedade contra os artifícios processuais e a morosidade da Justiça, ainda mais quando se trata de um membro do grupo que mandou no Maranhão por mais de 40 anos.

Dizer que a polícia já está investigando e que basta realizar auditorias para comprovar o mal feito, por isso a CPI não seria necessária,  é o que sempre dizem os suspeitos de desviarem dinheiro público.

Tanto o inquérito policial  como a auditoria são atos administrativos isolados, que permitem após concluídos e enviados para os órgãos competentes cair no esquecimento ou receber atestado de inocência sem qualquer constrangimento.

Somente a pressão da sociedade coloca os corruptos na cadeia, independente destes terem compartilhado os bailes da monarquia com algumas excelências do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Além do caráter público e democrático, uma CPI ainda possui a prerrogativa de não depender do Judiciário para quebrar o sigilo bancário, fiscal e telefônico dos investigados.

Um exemplo é o caso do Bradesco na Câmara Municipal, onde as investigações ficaram paradas porque a Justiça não autorizou a quebra do sigilo bancário dos vereadores e outros envolvidos, solicitada pelo delegado responsável pelo inquérito.

Embora uma CPI possa fazê-lo, mas se não pudesse e o escândalo do Bradesco fosse objeto de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, esse juiz iria negar o pedido de quebra de sigilo?

Será que sem a CPI do Crime Organizado o deputado José Gerardo de Abreu iria parar na cadeia ?

E olha que neste caso tratou-se de crimes contra a vida, imagina no caso de corrupção e desvio de dinheiro público, onde tudo se resolve com um acordo político, já que de tão comum entre a grande maioria que exerce cargo público não é visto como crime ou algo que atinja a moral de um cidadão de bem!

Mas como azar por ter sido pego com a boca na botija, e toda e qualquer investigação não passa de perseguição dos adversários.

Em um artigo, o doutor e professor de Direito Constitucional da USP, Sérgio Resende de Barros, define a CPI como instrumento de apuração da corrupção, “seja quando amedronta e dissuade o corrupto, seja quando apura e demarca a corrupção”.

Foram elas, como a doPC Farias e a dos Correios, por exemplo, que resultaram no impeachment de Collor e no Mensalão que colocou vários poderosos atrás das grades, depois de um processo histórico no STF.

É por isso que as CPIs são importantes, embora também possuam o determinante político.

Seria ingênuo acreditar que se instala uma CPI pura e simplesmente para defender o interesse público!

Mas é quando eles brigam, que os podres aparecem!

 

Presidente da CPI: “Temos obrigação de dar satisfação à sociedade”

20150806_120307_resizedA CPI da Saúde realizou reunião de instalação logo após a sessão ordinária da Assembleia Legislativa. Foram indicados o deputado Levi Pontes (SD) como presidente, Rogério Cafeteira (PSC) como vice e Fernando Furtado (PCdoB) como relator. Logo após a reunião, o presidente Levi Pontes concedeu entrevista coletiva.

Questionado sobre a possibilidade da CPI “terminar em pizza”, Levi foi firme ao afirmar que pensar assim “é querer subestimar os deputados e a Assembleia Legislativa. Isso faz parte da nossa missão parlamentar”.

A CPI já irá começar a solicitar documentos e criar um corpo técnico da área de auditoria e da saúde para analisar os documentos. “Não haverá nenhum sentimento de perseguição. Daremos a todos o direito de defesa. Vamos cumprir nossa missão institucional. É a oportunidade da sociedade saber o que está acontecimento. O assunto tem ocupado muito a tribuna da Casa com denúncias e o povo quer saber a verdade”.

O presidente afirmou que não chegou a ele a movimentação para que a Comissão não acontecesse de fato. “Eu não tomei nenhum conhecimento de que a CPI deve andar de um jeito ou de outro. Temos obrigação de dar satisfação à sociedade”.

Rogério diz que CPI se justifica pelo resultado mais rápido do que na Justiça

20150804_232230_resizedO deputado Rogério Cafeteira (PSC) falou muito sobre a CPI da Saúde durante entrevista ao programa Avesso da TV Guará. Como maior justificativa para a implantação da Comissão Parlamentar de Inquérito, Rogério elencou a celeridade para dar respostas, já que existe uma grande cobrança social por resultados práticos de tudo que é exposto sobre a gestão da saúde nos últimos anos.

“A CPI vai desnudar mais rápido algo que na Justiça demoraria anos. As pessoas perguntam sobre isso”. Rogério ainda afirmou que uma grande oportunidade para o próprio Ricardo Murad (ex-secretário estadual de saúde e ex-deputado) se defender. “A CPI é uma oportunidade do deputado se defender. São várias denúncias e ele terá direito de se defender”.

O líder do governo disse também que a CPI é uma iniciativa do Legislativo e que o governador não teve influência. Mas quando foi falado com ele sobre o tema, o governador deixou bem à vontade para que a base fizesse o que achasse melhor.

Rogério falou de vários indícios de irregularidades, mas citou como mais grave o mau uso dos recursos do BNDES que prejudicaram não só as obras dos hospitais, mas todas que envolvidas com os recursos. “O mais grave é do BNDES, que paralisou todo o recurso e não prejudicou só os hospitais,  mas todas as obras que tinham recursos do financiamento. Há pouco, o secretário Marcelo Tavares, com muita competência conseguiu liberar os recursos”.

Como exemplos, citou o hospital de Rosário, onde foi feito apenas um muro e o terreno possuía cinco lagoas. Além do hospital de Alcântara, onde o terreno foi doado e começaram a obra. Depois de gastar R$ 800 mil descobriram que não podia ser feito lá e os R$ 800 mil foram jogados fora.

Política maranhense em notas

CNH Jovem: 21,3 mil aptos

habiltaçãoDos 22.505 estudantes maranhenses inscritos na 1ª edição do CNH Jovem, 21.304 estão aptos a participar da seleção para o programa este ano. Os estudantes aptos a participar do CNH Jovem deste ano passaram por uma triagem feita com base no cadastro do Enem 2014. Nessa triagem foram eliminados os estudantes que fizeram o Enem, mas deixaram de comparecer a alguma prova e não completaram o processo seletivo. A lista dos jovens beneficiados pelo CNH Jovem deste ano será divulgada no próximo dia 12. O governo receberá da Caixa Econômica a relação dos mil sorteados pela Loteria Federal. No mesmo dia serão anunciados outros mil candidatos beneficiados por conta da classificação no último Enem, segundo o ranking de notas do exame.

Caema convoca aprovados em concurso

concursopublicoO Governo do Estado, por meio da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), convocou os aprovados no Concurso Edital nº 01, de 14 de abril de 2014, abaixo relacionados, nos termos do item 13.2 do referido Edital. Os candidatos deverão se apresentar munidos de originais e cópias dos documentos exigidos nos itens 12.1 e 13.6 do Edital nº 01, no dia 10 de agosto de 2015, preferencialmente, no horário de 9h às 11h30, à Rua Silva Jardim, nº 307 – Centro (próximo ao Hospital Materno Infantil), São Luís – MA. Confira a lista dos aprovados AQUI.

TJ considera greve da Polícia Civil ilegal

Ofoto 01 Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ\MA) reafirmou, no dia 24 de julho, a decisão de ilegalidade da greve dos policiais civis no Maranhão e a manutenção de multa diária de R$ 10.000,00 ao Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Maranhão (Sinpol) em caso de descumprimento da ordem judicial. Em setembro de 2014, mediante o anúncio de paralisação por parte do Sinpol, a PGE ajuizou a Ação Civil Pública visando à manutenção dos serviços de Segurança Pública no Estado, considerados essenciais. Recentemente o Sinpol recorreu da citada decisão, mas o TJMA reafirmou a ilegalidade de qualquer movimento grevista de policiais civis, mantendo a multa diária em caso de realização de greve.

Cafeteira garante que CPI é irreversível

unnamedEm entrevista ao programa Avesso, da TV Guará, o deputado Rogério Cafeteira afirmou nesta segunda-feira (03) ser irreversível a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar denúncias de corrupção envolvendo a gestão de Ricardo Murad na Secretaria de Saúde do Maranhão. Rogério ainda mandou um recado a colegas de bancada que tentaram por uma pedra na CPI durante o recesso. “Não é correto alguém assinar a CPI e trabalhar nos bastidores para que ela não exista”. (Blog Marrapá).

Pedro Lucas enaltece trabalho de Edivaldo

pedrolucasEsta segunda-feira (3) não foi um bom dia para a oposição ao prefeito de São Luís na Câmara. Após a exposição do secretário Lula Fylho que desarmou todos os argumentos dos oposicionistas, o vereador Pedro Lucas (PTB), que acompanhou todas a atividades do prefeito no final de semana, falou da disposição do prefeito, que 0h de sábado estava inaugurando o restaurante do Socorrão II e ainda teve disposição para participar do Todos por São Luís na Vila Palmeira e vistoriar obras no domingo. Pedro pediu aos vereadores de oposição que acompanhem os evento e vejam o que realmente o povo acha da administração de Edivaldo.

Prefeito agrega lideranças nos bairros

Por falar em Todos por São Luís, o evento tem sido também um momento onde as lideranças dos bairros conversam com o prefeito sobre os pelitos das comunidades. E o resultado político tem sido muito favorável ao atual prefeito de São Luís. Edivaldo conseguiu reverter a seu favor a maioria das lideranças de oposição por onde passou. Na zona rural, onde tinha muita oposição entre as lideranças, já é quase unanimidade.

Política maranhense em notas

Aécio Neves no Maranhão

aeciovotaO senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, intensificará sua pré-campanha à presidência da República e o Maranhão, onde Dilma e Lula tiveram expressiva votação nas últimas eleições, é um dos estados-chave para o tucano. Em um “tour” que Aécio fará nos estados, estará em terras maranhenses no mês de outubro, faltando ainda apenas definir a data. Aécio fará um ato endossando as novas filiações do PSDB no Maranhão.

A diferença em desmentido e divergência

geraldoalckminFalando em PSDB, existe uma distorção do que disse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sobre a defesa institucional da presidente Dilma. Alckmin disse que isso não está em discussão e que ele defende apenas “investigação, investigação”. Logicamente, que como um dos líderes do partido que é principal adversário do governo Dilma, esta é a posição de Alckmin. Mas Flávio Dino, defendeu a manutenção do mandato da presidenta, que o comunista considera legítimo e que existe uma preocupação conjunta desta manutenção. “Conjunta” não significa que seja de todos os governadores. Flávio falou pelos governadores da Amazônia, que ele representou.

ONU no Maranhão por conta de torturas

pedrinhasO relator da Organização das Nações Unidas (ONU), Juan Méndez, estará no Maranhão para investigar casos de torturas e visitar presídios do Estado após denúncias feitas em 2013 e 2014, ainda na gestão da ex-governadora Roseana Sarney. O representante da entidade passará três dias vistoriando centros de detenção, delegacias de polícia e penitenciárias maranhenses para avaliar como o Governo tem lidado com essa situação. Presídios de São Paulo, Brasília, Sergipe e Alagoas também serão inspecionados. O pedido foi feito em 2013 pela Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) e a OAB/MA para a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, após o Complexo Penitenciário de Pedrinhas entrar em colapso, com cenas de decapitações e mortes em série de detentos.

CPI da Saúde vai começar

ricardomuradNesta segunda-feira (3), com o retorno das atividades na Assembleia Legislativa, volta a discussão acerca da CPI da Saúde, que já está oficialmente criada. Agora, os Blocos devem indicar os membros da Comissão que investigará as irregularidades da gestão da saúde do Maranhão entre 2009 e 2014. São várias denúncias de irregularidades, com robustas provas já inclusive encaminhadas ao Ministério Público. O ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, tentou pressionar os deputados de todas as formas para que a CPI fosse para buraco antes da hora. Parece que não conseguiu.

Aumento da exploração de gás no Maranhão

FOTO 2 - 31_07_2015_ANP_Apresentação da 13º rodada de licitação da ANP_Karlos Geromy (12)O governador Flávio Dino e a presidente da Agência Nacional do Petróleo, Magda Chambriard, oficializaram nesta sexta-feira (31) mais 22 blocos de exploração de gás natural no Maranhão. Através de leilão que acontecerá em outubro deste ano, as cidades entre Alto Alegre e Arame, São Luiz Gonzaga e Buriti Bravo, além de Riachão a São Benedito do Rio Preto integrarão áreas para exploração do minério. Considerada uma das maiores vertentes de produção do Maranhão para os próximos anos, a exploração de gás natural se consolida no Maranhão na 13ª rodada de licitações da ANP, que acontecerá em outubro no Rio de Janeiro e contará com investidores do Brasil e do exterior. O bloco maranhense corresponde a 15.483 km² de extensão.

O ciúme injustificado da gestão Cutrim

cutrimflavioedivaldoEm um grupo com políticos, lideranças e jornalistas de São José de Ribamar, o secretário adjunto de Articulação Política do município, Guilherme Mulato, fez críticas ao governo do estado e ainda acusou o governo Flávio de privilegiar São Luís. “O prefeito [Gil Cutrim] já fez centenas de pedidos ao governador. Infelizmente pouca coisa andou. Aliás, como todos podem ver, parece que São Luís é a única cidade do Maranhão”, esbravejou o auxiliar de Cutrim. Braço direito do prefeito ribamarense, Mulato mostra o que a administração acha do governo Flávio. De forma injusta, uma vez que as ações do governo têm sido regionais e atingido toda a região metropolitana e beneficiado diretamente São José de Ribamar.

Zé Inácio detona factoide de CPI sobre suposta propina a índio paraguaio

zeinacioO deputado Zé Inácio (PT) falou sobre os comentários da imprensa de que a a Comissão de Direitos Humanos, da qual é membro, estaria articulando uma CPI para investigar suposta proina paga pela ex-servidora do governo, Simone Limeira, ao “índio” Uirauchene Alves.

“As comissões da Assembleia não têm como atribuições analisar possíveis pedidos de CPI. Afirmar que a Comissão de Direitos Humanos vai analisar ou discutir possibilidade de CPI é de desfundamentado. Portanto, cabe à Mesa Diretora receber e instalar qualquer pedido de CPI que tenha o número mínimo regimental de assinaturas”, afirmou Inácio.

O petista também manifestou sua posição pessoal contrária à instalação. “Eu, particularmente,  acho que este caso, por tudo que já foi tratado na imprensa, não deve ser tratado através de CPI. Mas sim, através do Ministério Público ou da polícia judiciária”, sentenciou.

Zé Inácio disse que apenas foi procurado em uma ligação muita rápida do deputado William tom do Curso (PPS) sobre o assunto,  mas não deu nenhuma resposta. Disse apenas que trataria de qualquer tema apenas na volta do recesso parlamentar,  em agosto.

Agente cita casos de canibalismo em Pedrinhas na gestão passada

O Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Maranhão (Foto: Márcio Fernandes/AE)Revista Época – O depoimento de um funcionário do setor de inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão aterrorizou os deputados da CPI do Sistema Carcerário, instalada na Câmara dos Deputados. Em oitiva gravada no mês passado, o servidor maranhense informou que houve, pelo menos, dois casos de canibalismo dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. Pelo relato, dois presos foram mortos num “ritual macabro” feito por detentos da facção criminosa Anjos da Morte, chamada de ADM. “Eles são loucos, psicopatas. Não existe uma lógica no diálogo com eles”, descreve o agente de inteligência, que depôs de forma sigilosa para cinco deputados, um juiz e uma defensora pública.

A primeira vítima de canibalismo, de acordo com o depoimento, foi o detento Ronalton Rabelo, de 33 anos. Preso por assalto, Rabelo conseguiu um alvará de soltura em 11 de abril de 2013. Quando o advogado chegou ao presídio para buscá-lo, foi informado pela administração de Pedrinhas que Rabelo desaparecera dez dias antes. Até hoje, mais de dois anos depois do sumiço, o inquérito da Polícia Civil do Maranhão não concluiu nada sobre o caso. O agente de inteligência disse à CPI o que soube sobre o desaparecimento de Rabelo: “Ele foi desossado. Foram cortados os pés, as mãos, cada membro. Foram tiradas as vísceras, coração. Os informantes disseram que ele foi morto na quadra de banho de sol e seus pedaços foram colocados em sacolas e distribuídos. Foi cozinhado na água com sal para evitar o odor e alguns órgãos foram comidos em rituais dessa facção, da ADM, Anjos da Morte, como rins, fígado, coração. O restante foi dispensado no lixo”.

A segunda vítima da atrocidade, segundo o servidor da Segurança Pública, foi o detento Rafael Libório, de 23 anos. Preso por homicídio qualificado, Libório sumiu dentro de Pedrinhas em 8 de agosto de 2014. Quatro dias depois, o corpo foi encontrado em pedaços dentro de um saco plástico enterrado numa cela do presídio. O agente de inteligência, que participou das buscas pelo preso, contou à CPI o que fez quando foi informado que Libório havia sido vítima de canibalismo: “Fomos imediatamente, isso já era tarde da noite, para os baldes de lixo. Procuramos e achamos da forma como tinham descrito o outro (Rabelo). Do mesmo jeito. Desossado. Não achamos o crânio. Achamos o couro cabeludo da cabeça, mas não achamos o crânio e a pele do rosto. Achamos os pés, os órgãos genitais. E não estavam fedendo, o que nos induz que foi feito o mesmo procedimento de cozinhar com água e sal”. O servidor entregou aos deputados da CPI seis fotos de pedaços do corpo de Libório.

O agente diz, no depoimento, que outros funcionários do setor de inteligência também receberam informações de que Rabelo e Libório foram vítimas de canibalismo dentro de Pedrinhas. Explica que os principais informantes são os presos do presídio. “Não há possibilidade nenhuma de se controlar o sistema penitenciário sem informantes lá dentro”. E diz que, “para evitar escândalos”, os casos foram abafados pelo secretário de Justiça e Administração Penitenciária da época, Sebastião Uchoa. O ex-secretário foi procurado para se manifestar sobre o depoimento, mas não foi encontrado. A CPI da Câmara pretende pedir o indiciamento de Uchoa por omissão. Segundo os deputados, não existe nenhum inquérito para apurar as denúncias de canibalismo em Pedrinhas.

No depoimento do agente, o juiz Edmar Fernando Mendonça, da 2ª Vara de Execução Penal de São Luís, disse que só a partir de 2014 começou a ser feito o levantamento das mortes nos presídios do Maranhão. “Tivemos a decapitação de 2002. Depois, tivemos rebelião e decapitação em 2009, 2011 e 2013. Se o senhor procurar algum inquérito policial concluído desse período, não vai encontrar nenhum, mas nenhum. Parecia que as coisas que aconteciam dentro do sistema penitenciário não eram da alçada do estado do Maranhão. É muito esquisito”.

O Complexo Penitenciário de Pedrinhas é o maior do Maranhão. Construído há cinco décadas, tornou-se o cenário de algumas das maiores atrocidades já vistas nos presídios brasileiros. Os episódios mais trágicos aconteceram na gestão da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), que deixou o cargo em dezembro do ano passado. Só em 2013, numa guerra de facções criminosas, 60 presos foram assassinados em Pedrinhas – o triplo do registrado, naquele ano, em todas as cadeias do estado de São Paulo somadas. Os presos chegaram a fazer um vídeo em que três corpos de detentos apareciam decapitados e as suas cabeças eram apresentadas como troféus. Um relatório do Conselho Nacional de Justiça ainda informa que agentes penitenciários torturam presos e que mulheres e irmãs de detentos são estupradas pelos chefes das facções criminosas que controlam o presídio. O canibalismo, agora, entra para a lista de bestialidades denunciadas em Pedrinhas.

CPI da Saúde oficializada pela Mesa Diretora da Assembleia

ricardomuradSob a presidência interina da deputada Francisca Primo (PT), a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Maranhão leu o requerimento protocolado pelos deputados Rafael Leitoa (PDT) e Fernando Furtado (PCdoB) para instalação da CPI que investigará as irregularidades na gestão de Ricardo Murad da saúde maranhense.

Com a leitura do requerimento, a CPI é oficializada e parte agora para a fase de indicação dos membros. Rafael Leitoa deverá ser o relator.

A leitura do requerimento fez a deputada Andrea Murad (PMDB), filha do ex-secretário Ricardo Murad, perder as estribeiras e voltar a atacar o deputado Rogério Cafateira (PSC), só porque o líder do governo pediu que o tempo de tribuna fosse obedecido. “V.Exª deveria era ter vergonha de ser o deputado que é”, esbravejou.

Rogério reagiu no tempo dos blocos. “Se a senhora tem alguma coisa contra mim entre no Conselho de Ética. A senhora vive ameaçando deputados por conta da CPI, mas quero lhe dizer que a investigação dará a oportunidade de seu pai se defender da graves acusações que pesam contra ele”, afirmou.

Política maranhense em notas

CPI da Saúde não tem volta

assembleiaDois deputados estaduais suaram frio e ainda tentaram retirar seus nomes da CPI da Saúde e convencer o presidente Humberto Coutinho (PDT) a dar algum “jeitinho”, o que não era mais possível tecnicamente. O presidente já disse que irá cumprir o rito legal e deixar a CPI acontecer atendendo a vontade de 29 parlamentares que assinaram. Antes do recesso parlamentar, o requerimento será lido e publicado para convocação dos membros. Logo depois do recesso, em agosto, a CPI inicia os trabalhos para investigar as irregularidades da gestão da Saúde estadual entre abril de 2009 e dezembro de 2014. A não ser que “boi voe”.

Denúncias já estão no Ministério Público

ricardoA secretaria estadual de Transparência e Controle já encaminhou ao Ministério Público os relatórios das auditorias já finalizadas e com provas consistentes sobre as irregularidades prontas para que seja pedido inquérito. A denúncia sobre o hospital fantasma de Rosário foram encaminhadas para o Ministério Público Estadual. Já a denúncia do hospital Carlos Macieira, com licitação dirigida, superfaturamento e aditivos irregulares foi enviada ao Ministério Público Federal, por ter recursos federais envolvidos. MPE e MPF já podem solicitar Ação de Improbidade com o material. A STC também já entregou as informações das irregularidades da secretaria de Meio Ambiente no contrato com a Tramyti e de fraudes no Portal da Transparência do governo.

Votação da LDO de São Luís

plenariocamaraA votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias de São Luís para 2016 será votada na próxima quarta-feira (15) encerrando os trabalhos legislativos no primeiro semestre. O relator, vereador José Joaquim (PSDB) já está com as emendas e tudo pronto para que a Casa vote as diretrizes, que foram discutidas em audiência pública na última quarta-feira (8). O orçamento municipal de 2016 deverá ser estabelecido de acordo com estas diretrizes. Após a votação, o parlamento entra em recesso e retorna às atividades dia 3 de agosto.

PMDB realiza convenção dia 23

robertocostaO presidente municipal do PMDB, deputado Roberto Costa, deverá ser reconduzido ao posto na convenção do partido, que será realizada dia 23 deste mês. O diretório do PMDB municipal é composto por 42 membros, dos quais, 35 são votos certos em Costa. A nova direção municipal do partido irá conduzir a legenda nas eleições de 2016. A prioridade dos peemdebistas é a candidatura de Roseana Sarney a prefeita de São Luís.

Câmara diz que encara candidatura

fabiocamaraA ex-governadora Roseana Sarney delimitou os nomes de Roberto Costa, Fábio Câmara e dela mesma como possíveis candidatos a prefeito de São Luís pelo PMDB. Como a própria Roseana não parece muito empolgada e Roberto Costa tende a ser candidato em Bacabal, sobraria para Fábio Câmara a possibilidade de candidatura própria. Questionado pelo editor do Blog se seria mesmo candidato e arriscaria ficar sem mandato, o vereador afirmou que se tiver oportunidade, será candidato a prefeito. “Ninguém acreditava que eu iria contrariar Ricardo [Murad] e seria candidato a deputado no ano passado. Então, eu já mostrei que aceito desafio”, afirmou.

“Andrea Murad” da Câmara Municipal

rosesalesA vereadora Rose Sales (PP) está tomando um caminho perigoso para suas relações na Câmara Municipal. Assim como a deputada Andrea faz na Assembleia, Rose confunde oposição ao Executivo com oposição aos colegas. Na ânsia de atacar a prefeitura, a oposicionista partiu para o ataque aos vereadores na sessão desta segunda-feira (13). Rose disse que a Câmara é “sucursal da prefeitura” e a Casa “se desrespeitou”. A vereadora ainda disse que o vereador Roberto Júnior (PSB) “quase nunca aparecia na Casa”. O presidente Astro de Ogum (PMN) reprimiu a vereadora pelo tom contra o poder do qual ela faz parte, pedindo respeito ao parlamento. “Cada vereador tem que cuidar do seu mandato e deixar que cada um responda pelo seu mandato junto á população”, repreendeu. A discussão foi muito ríspida.