Professores cobram dois meses de salários atrasados em Ribamar

Em um vídeo que circula nas redes sociais e aplicativos de mensagens, o prefeito de São José de Ribamar, Dr. Julinho, recebe reivindicações de professores que alegam estar com dois meses de salários atrasados. Os professores deram de cara com Julinho quando foram à secretaria de educação reivindicar o pagamento.

O prefeito, de fato e de direito, parece perdido, sem comando ou conhecimento sobre o assunto. O verdadeiro chefão do governo, atual chefe da assessoria especial, Natércio Santos, aparece dando as ordens e tentando demonstrar alguma solução.

Inclusive, Natércio aparece sem máscara dentro da Secretaria de Educação do Município, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus e todas as medidas restritivas que a própria prefeitura decretou. Um péssimo exemplo.

Com duas condenações no TCE, Dr. Julinho está inelegível

Dr. Julinho: Ficha suja

Dr. Julinho: Ficha suja

O pré-candidato a prefeito de São José de Ribamar, Júlio César de Sousa Matos, o Dr. Julinho (PMDB), está inelegível e, neste momento, não pode concorrer à prefeitura nas eleições deste ano.

O ex-prefeito do município foi condenado por irregularidades nas contas quando foi diretor da maternidade Benedito Leite. Julinho foi condenado em dois processos: 2007 e 2008. Os processos foram transitados em julgado em 08 de outubro de 2010.

Como a inelegibilidade é contada a partir da condenação, Julinho está inelegível desde 2010 e só voltará a poder concorrer a uma eleição após 2018.

Porém, a estratégia do ex-prefeito ribamarense é conseguir na Justiça a reviravolta de sua situação. Julinho e seu filho foram para o PMDB. Corre nos bastidores de que teriam a garantia de uma força dos caciques peemedebistas no TJ para que a decisão do tribunal de contas seja revertida. O ex-prefeito conseguiu uma liminar para um dos processos – que ainda não chegou ao TCE. Mas segue com a outra condenação. Pode ser que realmente consiga reverter, mas hoje, Dr. Julinho é ficha suja.

Veja as condenações:

condenacaojulinho1condenacaojulinho2