Rogério Cafeteira afirma que falta coerência no discurso de Eduardo Braide

coerenciaO deputado Rogério Cafeteira (PSB) afirmou que falta coerência ao colega de parlamento e candidato à Prefeitura de São Luís, Eduardo Braide (PMN). Cafeteira declarou que tem respeito por Braide, mas pontuou que o candidato omite certas condutas, como a busca de apoios durante toda sua campanha .

De acordo com Rogério, Eduardo Braide se apresenta como um candidato “apolítico”, mas não apresentou esse comportamento em toda a campanha. O deputado Rogério Cafeteira declarou que essa postura se deu porque Braide não conseguiu nenhum apoio.

“Eu vejo um discurso do deputado Braide, candidato à Prefeitura de São Luís onde ele se coloca avesso aos políticos e se coloca como um candidato independente, que não quis o apoio de ninguém e isso não é verdade. Agora, não tem porque mentir. Ele é “independente” porque ele não conseguiu os apoios, é diferente de você não tentar. Ele não conseguiu os apoios, mas ele foi atrás de todos, agora não tem por que agora ele chegar e omitir isso. Legitimamente uma eleição, uma candidatura se faz com apoios”, lembrou.

Durante seu discurso, Cafeteira lembrou que Eduardo Braide não podia se colocar em uma posição neutra, sem ligações políticas, porque já ocupou vários cargos e foi deputado por dois mandatos também.

“Como será que o deputado Braide foi guindado ao cargo de Presidente da CAEMA? Ele é engenheiro? Ele é técnico? Ele é do quadro da CAEMA? Ele foi presidente político, por uma indicação política. A mesma forma de outro cargo que eu não entendo por que ele tanto nega reconhecer: Secretário de Orçamento Participativo do ex-prefeito João Castelo. Ele foi para lá por que? Ele é expert em orçamento participativo? Ele é economista? Não, ele foi para lá por uma questão política”, ressaltou.

Econométrica: Edivaldo mantém liderança com mais de 5 pontos de vantagem

Foi divulgada nova pesquisa do instituto Econométrica de intenção de votos para a sucessão municipal em São Luís. O prefeito e candidato à reeleição, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), lidera. Se as eleições fossem hoje, pelos votos válidos, Edivaldo teria 52,6% contra 47,4% do candidato Eduardo Braide (PMN); uma vantagem de pouco mais de 5 pontos percentuais à frente do adversário.

votosvalidos

Na soma dos votos válidos são retirados brancos, nulos e indecisos, critério utilizado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para a totalização dos votos.

Na pesquisa estimulada, Edivaldo aparece com 48% das intenções de votos contra 43,3% de Eduardo Braide. Apenas 3,8% dos entrevistados disseram votar branco ou nulo, enquanto 4,8% não sabem ou não responderam.

A pesquisa contratada pelo Jornal Pequeno está registrada no PESQELE da Justiça Eleitoral sob o nº MA-07755/2016 e foi realizada entre os dias 13 e 15. Foram ouvidos 1014 eleitores e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com um intervalo de confiança de 95%.

Na pesquisa espontânea, em que não são apresentados os nomes dos candidatos, Edivaldo também lidera com mais de cinco pontos de diferença sobre o adversário. O candidato do PDT tem 46,4% das intenções de votos, enquanto Eduardo Braide tem 41%. Brancos e nulos somam 3,2% e não sabem ou não responderam 9,5%.

Rejeição

A pesquisa Econométrica mensurou, também, o índice de rejeição dos candidatos. Segundo a Econométrica, Eduardo Braide tem 40,1% de rejeição, enquanto o prefeito e candidato à reeleição aparece com 35,3% neste quesito. Poderiam votar nos dois candidatos 18,8% dos entrevistados. Não votariam em nenhum dos dois 2,5% e 3,3% não sabem ou não responderam.

Segundo ainda a pesquisa Econométrica, a decisão sobre o voto está consolidada para 81% dos eleitores. É quase definitiva, mas ainda pode mudar até as eleições para 8,5%. É apenas decisão inicial e ainda estão pensando em quem vão votar 7,7% do eleitorado e 2,9% não sabem ou não responderam.

Sarneysmo de Eduardo Braide repercute na Folha de São Paulo

Repercutiu nacionalmente o discurso do deputado Adriano Sarney (PV) na tribuna da Assembleia Legislativa. A Folha de São Paulo trouxe hoje em destaque a informação de que o candidato à Prefeitura de São Luís, Eduardo Braide, procurou o apoio do grupo Sarney no primeiro turno das eleições. “O deputado estadual (…) foi à tribuna da Assembleia Legislativa para desmentir Braide”, diz o texto da nota.

whatsapp-image-2016-10-19-at-08-03-28

Nos últimos dias, Eduardo Braide vem tentando colar em Edivaldo o absurdo rótulo de sarneysista, mesmo o atual prefeito tendo em seu arco de alianças o PCdoB, partido do governador Flávio Dino e que representa hoje a principal oposição a esse grupo político. Em entrevista à Rádio Difusora FM na manhã de ontem (18), Edivaldo foi categórico ao afirmar que está com Flávio Dino e não com o grupo Sarney. No programa eleitoral exibido à noite, o candidato à reeleição reafirmou o posicionamento e provocou o adversário: “Diga onde estava nas eleições de 2014, quando eu apoiei o governador Flávio Dino”, desafiou.

Vale lembrar: em 2014, quando Eduardo Braide se elegeu deputado estadual pelo PMN, seu partido apoiava Lobão Filho (PMDB), representante do grupo Sarney e que perdeu a eleição para Flávio Dino.

Após tema sarneysmo entrar forte, tom da campanha esquenta

edivaldobraide

Depois que o candidato Eduardo Braide levou o tema sarneysmo para a propaganda eleitoral, o tom da campanha ficou mais forte e a tendência é de mais agressividade nesta reta final. Braide disse que era mentira sua ligação com o grupo Sarney acusando Edivaldo de ser apoiado pelo Clã. O candidato acabou sendo desmascarado pelo deputado Adriano Sarney (PV).

Nesta terça-feira (18), Edivaldo abriu o horário eleitoral “peitando” Braide. O atual prefeito o desafiou a mostrar de que lado estava em 2014 quando Flávio Dino era candidato a governador contra o grupo Sarney. “Veja a que ponto meu adversário chegou. Ele agora me acusa de ser apoiado pelo grupo Sarney. Faço um desafio a ele. Diga onde estava em 2014, quando eu apoiei o governador Flávio Dino. Diga o que fez na Assembleia, defendendo o governo Roseana, quando eu não tive nenhuma parceria com o governo do Estado. Eduardo, não ofenda a inteligência do eleitor. Você pode até não lembrar, mas a população não esqueceu”, afirmou.

Já Eduardo Braide, saiu da pose fria e se desequilibrou na noite desta terça-feira com conselheiros municipais, no auditório do curso da História da Uema. Voltou a desrespeitar a TV Difusora, disse que não se intimidaria após sofrer vaias e gritos de “ladrão” e “desceu do salto”.

Com a proximidade da eleição, o tom deve ser ainda mais forte. Edivaldo mostra que não será passivo e defensivo como no primeiro turno. O prefeito mostra que levará para a campanha e para as entrevistas todas os fatores negativos de Braide. E não são poucos. Já Braide tem saído do personagem da calmaria e tranquilidade e esbravejado arrogância.

Roseana teria pedido discurso sobre Braide; Adriano nega

roseanaadrianoA declaração do deputado Adriano Sarney afirmando que o candidato a prefeito de São Luís, Eduardo Braide (PMN), pediu apoio do grupo Sarney teve sua razão de ser. A ex-governadora Roseana Sarney ficou extremamente irritada com a propaganda eleitoral de Braide ontem (17).

Na propaganda, uma pessoa pergunta pra Braide se ele está com o povo do Sarney e o candidato responde que não, que é mentira e que ele é candidato dele e de seu partido. Furiosa, Roseana não aceitou ser destratada por Braide como se ele nunca a tivesse procurado para pedir sua bênção, já que no primeiro turno, foi na sua casa pedir apoio.

A ex-governadora chamou Adriano para uma conversa no Calhau ainda nesta segunda-feira e solicitou que ele fizesse o discurso. Roseana lembrou que quando Eduardo era deputado fez tudo por ele, sendo um dos poucos que recebia todas as emendas e tinha muito espaço no governo.

Para a ex-governadora, ele não pode esconder o grupo que sempre o apoiou. O desejo de Roseana é derrotar Flávio Dino nas eleições de São Luís e poder exibir o troféu como sendo seu. Coisa que fica mais difícil com Braide reforçando diariamente a negativa. O que gerou a ira da Branca.

Outro lado

O deputado estadual Adriano Sarney entrou em contato com o Blog e negou peremptoriamente que sua tia tenha lhe pedido que fizesse o discurso. Adriano mantém a versão de que apenas fez o discurso para levar a verdade à tona. “Eu sempre defendi o meu nome e meu grupo. E falei a verdade”, afirmou.

“Eduardo Braide foi à casa de Roseana Sarney pedir apoio”, dispara Adriano

adrianosarney

O deputado estadual Adriano (PV) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa para afirmar que o deputado Eduardo Braide, candidato a prefeito de São Luís, buscou apoio do seu grupo político, e mais ainda, foi até a casa da sua tia, ex-governadora Roseana Sarney, pedir o apoio da peemedebista. O neto de Sarney diz que Braide mente a ao dizer que não buscou nenhum grupo político.

“Por compromisso com a verdade, subo a esta tribuna para rebater algumas atitudes do candidato Eduardo Braide. […] A verdade é só uma: o deputado Eduardo Braide no primeiro turno buscou o apoio do grupo Sarney, do deputado Adriano Sarney, para que o PV o apoiasse. Buscou o apoio do PMDB através do senador João Alberto. E lá tinha testemunhas, tinha câmeras. Foi até a casa da ex-governadora Roseana Sarney pedir apoio. O meu compromisso é com a verdade. Ele tenta se dar bem passando para o público que é independente e nunca buscou apoio de nenhum grupo político”, afirmou.

 

Mesmo com dois apartamentos em São Luís, Braide recebe R$ 3.189,00 de auxílio moradia

Prédio onde Braide mora na Península. Ainda assim, não recusou receber auxílio moradia.

Prédio onde Braide mora na Península. Ainda assim, não recusou receber auxílio moradia.

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN), candidato a prefeito de São Luís, faz sempre questão de se mostrar como novidade na política e distante das velhas práticas. Mas na vida pública de Braide, as práticas de sempre são corriqueiras.

Eduardo Braide declarou à Justiça Eleitoral possuir dois apartamentos em São Luís. Um deles, onde Eduardo mora, é em um luxuoso prédio na Ponta d’Areia, bem próximo ao Espigão Costeiro. É a área mais nobre da cidade.

Declaração de bens de Eduardo. Clique para ampliar.

Declaração de bens de Eduardo. Clique para ampliar.

Mesmo morando no luxuoso prédio da capital, que é de sua propriedade, o deputado recebe mensalmente o auxílio moradia como parlamentar de R$ 3.189,00 desde o início do mandato. Braide recebe o benefício que só deve ser pago aos deputados que não possuem residência fixa na cidade.

Como político que se apresenta enquanto novidade e distante das velhas práticas, o parlamentar deveria ter comunicado à direção da Assembleia Legislativa que já possuía residência em São Luís e se recusado a receber o reembolso.

O discurso de Eduardo, de fato, é bem feito, mas as práticas…

Braide tentou censurar inserção que mostra ele como secretário de Castelo

braide-casteloO candidato à prefeitura de São Luís, Eduardo Braide (PMN),entrou com Ação na Justiça para barrar uma inserção da coligação de Edivaldo que expõe o como secretário da gestão do ex-prefeito João Castelo. Gestão esta que o próprio Braide afirmou que não deu certo.

O assunto é extremamente constrangedor para o candidato do PMN. Além das várias acusações de corrupção, o governo João castelo é odiado pelo funcionalismo público pelo não pagamento do salário do mês de dezembro para os servidores.

A Justiça Eleitoral indeferiu o pedido de Braide para censurar a exibição da inserção. Na petição, Braide dizia que o fato de colocar que sua experiência administrativa era como secretário de João Castelo, a coligação adversária tentava “macular” sua imagem e honra com informação falsa.

Como é público, Braide foi secretário do governo Castelo. Por isso, o juiz negou seu pedido afirmando não ver “qualquer declaração ofensiva à imagem do representante”. Também afirmou não haver falsidade na inserção, “sendo de conhecimento público e notório que o representante detinha a condição de secretário de orçamento participativo na gestão do ex-prefeito João Castelo”.

O assunto, de fato, incomoda muito o candidato do PMN.

A importância dos candidatos serem questionados por jornalistas

braideNo Maranhão, é praxe políticos atacarem jornalistas tentando os desqualificar sempre que são confrontados com assuntos que incomodam. Neste sábado (15), tivemos mais uma demonstração do formato antigo de tentar desqualificar a imprensa para fugir de assuntos delicados.

Não tem como não reportar à célebre frase de Acácio Ramos. “Repórteres, meu senhor, são pessoas que perguntam”. Cabe ao homem público responder às questões que são de interesse público e quando achar que não deve ou não pode responder, se abster.

O candidato Eduardo Braide (PMN) foi sabatinado neste sábado por jornalistas com a mesma firmeza de questionamentos que sempre fazem com qualquer candidato. Ainda assim, Braide respondeu com grosseria ao jornalista John Cutrim, tentando desqualificá-lo pelo fato de ser funcionário da prefeitura (onde trabalha muito antes da atual gestão). Depois, em mais uma das muitas contradições do candidato, reconheceu o bom profissional que é o blogueiro.

O candidato exige tanto a oportunidade de debate e teve neste sábado (15) esta oportunidade de debater com jornalistas. Sobre o seu programa de governo, existe a propaganda eleitoral. A sabatina é um ferramenta para o eleitor ver o candidato questionado com temas que não são agradáveis. É o momento onde o candidato deve ser desnudado pelo contraditório. Questões que são de interesse da população e não estão no horário eleitoral devem ser abordadas.

E sempre que o candidato se irrita e passa a atacar quem pergunta, apenas demonstra que as perguntas, de fato, deveriam ter sido feitas. E assim aconteceu na sabatina do Resenha. O eleitor ficou sem as respostas efetivas sobre várias questões. Com a postura de quem sempre foi treinado para falar com confiança sem dizer nada, Braide não explicou porque as praias estavam poluídas quando foi presidente da Caema, não explicou como fez seus acordos de apoios no segundo turno, fugiu sempre do tema “João Castelo”, não disse como foi escolhido seu vice, não explicou a falta de emendas para São Luís.

O candidato também tentou desqualificar a TV Difusora. Ora, por esta lógica o outro candidato à prefeitura de São Luís poderia tentar desqualificar os jornalistas que o entrevistaram na sabatina do jornal O Estado do Maranhão, já que, notadamente, o sistema Mirante de Comunicação é favorável ao candidato Eduardo Braide. Mas os três jornalistas que o sabatinaram, assim como os da Difusora, são profissionais sérios e que merecem respeito. Por isso, o candidato não fez tais ilações diante de todos os duros questionamentos.

São nas sabatinas e entrevistas que a população conhece os candidatos. Não tem melhor oportunidade para o eleitor ver quem é o candidato sem a maquiagem da propaganda eleitoral.

Sobre os ataques de Braide à TV Difusora, a emissora se manifestou por editorial na noite deste sábado (15). Veja:

Eduardo Braide entra em contradição em todos os temas polêmicos

sabatina

Não se fala em outra coisa neste sábado (15). A sabatina do programa Resenha, da TV Difusora, está gerando grande repercussão na cidade. Blogs e perfis nas redes sociais aliados do candidato Eduardo Braide (PMN) garantem que o candidato se saiu bem e enquadrou os jornalistas sabatinadores. Os contrários afirmam que o candidato ficou intimidado e desestabilizado, principalmente após a discussão mais ríspida com o jornalista Jeisael Marx.

Mas vamos ao que mais interessa ao cidadão sem paixão: o conteúdo das respostas dadas pelo candidato. Sempre que foi confrontado com temas polêmicos o candidato usou sua já conhecida retórica, mas entrou em contradição.

Sobre o ex-prefeito João Castelo, do qual Braide foi secretário, ele negou apoio e tentou ao máximo fugir do assunto, alegando que o secretário de Edivaldo tem secretários da gestão tucana. Até bateu em Castelo dizendo que a gestão da qual fez parte não deu certo.

O tema Caema dominou grande parte da sabatina. Eduardo Braide insistiu na tecla de que as praias não eram poluídas em sua gestão. Mas confirmou que na realidade, não existiam laudos para comprovar a balneabilidade das praias. Ou seja, deixou claro que na realidade as praias não passavam na realidade por aferição.

O candidato também entrou em contradição sobre suas emendas parlamentares. Primeiro ele disse em outra entrevista que não enviou emendas à prefeitura por não confiar no prefeito. Durante a sabatina, disse que não deixou de enviar as emendas por não confiar e reafirmou não confiar porque o prefeito teria perdido recurso.

Sobre o vice, demonstrou não conhecer o passado de Gilmar dos Anjos, ao afirmar que era novidade para ele que o candidato a vice-prefeito já havia sido preso.

No fim, a avaliação é do cidadão comum, sem paixão. A sabatina já teve o efeito desejado: gerar discussão. E tem gerado muita!