Bolsonaro usa boneco de Roberto Rocha pra “provar” tese do voto impresso

Na live sobre as urnas eletrônicas, Jair Bolsonaro decidiu usar como “garoto-propaganda” um bonequinho virtual do senador Roberto Rocha.

Rocha, que já foi do PSB e está no PSDB, deve concorrer ao governo do Maranhão em 2022 com o apoio de Bolsonaro.

O senador é um entusiasta do voto impresso e sua assessoria preparou vídeos sobre o tema com um bonequinho do parlamentar sendo o narrador.

TSE rebate em série 18 alegações de Bolsonaro

A Secretaria de Comunicação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) compilou uma série de links e rebateu 18 alegações apresentadas pelo mandatário durante a live desta quinta-feira (29).

Em um dos links, o TSE responde a um dos vídeos transmitidos na live que buscava passar a mensagem de que é possível fraudar o código-fonte das urnas para computar o voto de um candidato para o outro candidato.

“Uma urna eletrônica real não é tão simples nem desprotegida como aquela apresentada no vídeo. Além disso, há meios de auditoria para se verificar se os softwares e firmwares executados na urna contêm algum mecanismo malicioso, como o exposto no vídeo. Há também todo um conjunto de procedimentos, que impede a recepção de resultados ilegítimos provenientes de eventuais equipamentos clonados ou gerados por softwares ilegítimos”, explicou o TSE.

O tribunal também desmentiu publicações mostradas pelo presidente de que urnas autocompletavam votos a favor de Fernando Haddad, então candidato pelo PT à Presidência em 2018.

Segundo o TSE, avaliação de peritos em edição comprovou que um desses vídeos era falso. “Além disso, no momento em que o primeiro número é apertado, o teclado da urna não aparece por completo, o que sugere que outra pessoa teria digitado o restante do voto. É possível, ainda, constatar, no programa de edição, o ruído de dois cliques simultâneos, o que reforça essa tese. É importante enfatizar que não existe a possibilidade de a urna autocompletar o voto do eleitor, e isso pode ser comprovado pela auditoria de votação paralela”, explicou.

Sobre uma planilha apresentada por Bolsonaro para provar que Aécio Neves (PSDB) venceu as eleições contra Dilma Rousseff (PT), em 2014, o TSE disse que ela não corresponde aos dados oficiais, minuto a minuto, e que desconhece a origem das informações divulgadas.

Bolsonaro argumentou que, na apuração do segundo turno, Aécio e Dilma apareceram intercalados na liderança de votos recebidos por mais de 200 minutos. O TSE diz que a informação é falsa e que “houve apenas uma única inversão nas colocações entre os dois candidatos, ocorrida às 19h32 e que pode ser verificada na planilha oficial”.

O presidente também apresentou um vídeo que levantava suspeitas sobre as eleições municipais realizadas em Caxias (MA) em 2008. Em relação a esse caso, o tribunal compartilhou um texto no qual diz que a Polícia Federal periciou as urnas eletrônicas utilizadas naquela eleição e que, ao todo, foram verificados dez equipamentos que supostamente teriam sido violados no primeiro turno do pleito.

Porém, o laudo técnico produzido pela corporação concluiu que não foram identificados sinais de violação física dos lacres que envolviam os aparelhos.

“No documento, a PF descartou as hipóteses de instalação de softwares fraudulentos e de adulteração dos programas autenticados pelo TSE. Também não foram encontrados arquivos contaminados por vírus nas urnas eletrônicas examinadas pela instituição”, diz o texto.

Outra fala de Bolsonaro rebatida pelo TSE foi a de que a contagem dos votos seria feita em uma “sala secreta”. Na publicação, o tribunal explica que “em verdade, a apuração dos resultados é feita automaticamente pela urna eletrônica logo após o encerramento da votação”.

O TSE ainda abordou a afirmação de que o sistema eleitoral brasileiro somente é usado no Butão e em Bangladesh.

Os textos enviados pelo tribunal, porém, tratam de alegações que circulam na internet dando conta de que o sistema brasileiro só se replicaria em Cuba e na Venezuela. E afirmam que, “de acordo com o Instituto para Democracia e Assistência Eleitoral Internacional (Idea) – uma organização intergovernamental que apoia democracias sustentáveis em todo o mundo e que conta com 34 países-membros, como Suíça, Portugal, Noruega, Austrália e Canadá, além do Brasil –, o voto eletrônico é adotado por pelo menos 46 nações. Sete agências de checagem confirmaram que essa informação é confiável”.

Com informações da Folha

Jair Bolsonaro fecha com o Patriota para disputar reeleição em 2022

O presidente Jair Bolsonaro encerrou nesta segunda-feira (31) as indefinições sobre seu rumo partidário para as Eleições de 2022, ao fechar sua filiação ao partido Patriota. A notícia foi anunciada pelo seu filho e senador fluminense Flávio Bolsonaro, ao discursar já como filiado ao Patriota, durante convenção do partido realizada na manhã desta segunda-feira (31).

Após se tornar o único senador filiado à sigla, Flávio Bolsonaro afirmou que o Patriota será o destino de seu clã político. O Patriota estendeu o convite ao presidente da República, que ainda não se pronunciou sobre sua filiação.

Flávio Bolsonaro falou em construir “o maior partido do Brasil após as eleições de 2022”, ao discursar na convenção, comparando o efeito obtido no PSL, partido pelo qual Jair Bolsonaro chegou ao Palácio do Planalto em 2018, quando a antiga sigla do presidente avançou de apenas um deputado para ter 52 parlamentares na Câmara.

Durante visita de Bolsonaro ao MA, Roberto Rocha anuncia federalização de rodovia estadual

O presidente da República, Jair Bolsonaro, está cumprindo agenda no Maranhão. Ele e sua comitiva, que inclui o senador Roberto Rocha, participaram da Cerimônia de inauguração da Ponte sobre o Rio Parnaíba.

Durante discurso, o senador Roberto Rocha anunciou a federalização da rodovia estadual MA-006. “Agora o presidente Bolsonaro, sensível, com o ministro Tarcísio, autorizaram a federalização da rodovia estadual MA-006”, disse o parlamentar.

Após a recepção ao presidente em Alto Parnaíba, nesta sexta-feira, a comitiva estará em Açailândia, para um evento, às 9h, no Parque de Exposições da cidade. Durante o evento, serão entregues títulos de propriedade aos moradores.

Em tempo: A assessoria do senador Roberto Rocha entrou em contato com o blog e informou que o parlamentar solicitou a federalização ao Governo Federal, que autorizou. Em seguida, solicitou ao Governo do Estado, mas não obteve retorno. Esclareceu que a MA só será federalizado se a gestão estadual autorizar.

Jair Bolsonaro deve cumprir agenda no Maranhão

O presidente Jair Bolsonaro deve desembarcar novamente no Maranhão no mês de maio. A informação foi divulgada pelo senador Roberto Rocha em suas redes sociais.

Segundo Roberto, o presidente da República vem inaugurar a ponte sobre o Rio Parnaíba, que liga as cidades de Alto Parnaíba (MA) e Santa Filomena (PI).

Roberto Rocha faz um esforço para tomar a obra para si, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, já deixou bem claro que a ponte foi construída com recursos da Bancada Federal do Piauí.

Bolsonaro deve cumprir agenda em Açailândia também. Ele deve pressionar, ainda mais, o governador Flávio Dino, nesse momento de CPI da Covid.

“É o sujeito mais despreparado que já ocupou a presidência na história do Brasil”, diz Flávio Dino

Os trechos da ligação divulgada pelo senador Jorge Kajuru em que o presidente Jair Bolsonaro pressiona o parlamentar a mudar o objeto da CPI da Covid-19, demonstra preocupação sobre um eventual depoimento do ex-Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello e articula o impeachment de ministros do STF.

O governador do Maranhão, Flávio Dino, opinou sobre o assunto. “Mais uma vergonha. Presidente da República tramando perseguição contra ministro do Supremo. É o sujeito mais despreparado que já ocupou a presidência na história do Brasil”, disse.

Pesquisa Exata mostra que Lulismo cresceu no Maranhão após eleição de Bolsonaro

A Pesquisa divulgada nesta terça-feira, 23, pelo Instituto Exata, aponta a liderança do ex-presidente Lula contra Jair Bolsonaro nas próximas eleições.

Em 2018, o Partido dos Trabalhadores (PT) teve como candidato o professor Fernando Haddad, apoiado por Lula, e obteve, no Maranhão, 61,26% dos votos válidos, enquanto Bolsonaro obteve apenas 24,28%.

Na pesquisa da Exata, Lula aparece com 69%, contra 16% de Jair Bolsonaro. A comparação com os números da última eleição demonstram um crescimento ainda maior do lulopetismo no Maranhão pós governo Bolsonaro.

O potencial político do lulismo segue muito alto no estado. A tendência é de crescimento nos próximos meses, quando começar, de fato, a pré-campanha e com a alta rejeição de Bolsonaro.

Durante entrega de ambulâncias, Márcio Jerry detona inoperância do governo Bolsonaro

Nesta quinta-feira, 04, o deputado licenciado e atual secretário de Cidades e Desenvolvimento Urbano, Márcio Jerry (PCdoB), aproveitou a entrega de ambulâncias a municípios do Maranhão e publicou um twitter alfinetando o presidente da República, detonando sua inoperância no combate ao Covid-19.

“Enquanto Jair Bolsonaro exala estupidez por todos os poros o trabalho pela saúde segue firme aqui no Maranhão sob comando do governador Flávio Dino. Hoje mais uma entrega de ambulâncias para reforçar o sistema de saúde em municípios do Maranhão. Cuidar bem da saúde é rotina no Governo do Estado”, publicou.

Jerry participou do ato ao lado dos prefeitos Toca Serra (Pedro do Rosário); Heliézer do Povo (Peri Mirim); e Leandro Moura (Santo Amaro).

Roseana Sarney oficializa apoio a Jair Bolsonaro

O que já era fato nos bastidores foi oficializado na manhã desta segunda-feira (15). A ex-governadora Roseana Sarney e seu grupo definiram que irão a campo pela campanha do presidenciável Jair Bolsonaro neste segundo turno.

Leia também: Bolsonaro agora terá novos donos no Maranhão

Roseana e seu grupo usaram e abusaram dos governos petistas nos últimos anos. Mas na véspera do impeachment de Dilma Rousseff, apoiaram a queda e os deputados ligados ao grupo votaram pela cassação da petista. O grupo Sarney participa do governo Temer com vários cargos e Sarney Filho chegou a ser ministro do meio ambiente.

Como sempre foram governo, o sarneys já vislumbram o poder no governo bolsonarista, favorito para vencer a eleição presidencial. E como sabem bem, cobrarão a fatura pelo apoio.