Clã Sarney já discute como boicotar governo Flávio em caso de impeachment

Do Blog Marrapá

michelsarneyroseana

Não se fala em outra coisa no PMDB do Maranhão.

Apostando no impeachment da presidente Dilma Rousseff e na ascensão de Michel Temer ao Palácio do Planalto, peemedebistas já discutem como inviabilizar o governo Flávio Dino.

As estratégias seriam as mesmas usadas para sabotar a gestão do saudoso ex-governador Jackson Lago: barrar recursos federais, controlar a bancada em Brasília, aparelhar os órgãos federais no estado e montar uma espécie de “governo paralelo” ao Palácio dos Leões.

Semana passada, no cafezinho da Assembleia Legislativa, um deputado aliado do clã Sarney, empolgado com o possível afastamento de Dilma pela comissão da Câmara Federal, adiantava até qual seria a primeira medida de uma possível gestão Temer contra os interesses do Maranhão.

“Não tenha dúvida que a primeira coisa a ser feita é travar o empréstimo de R$ 1 bilhão do BNDES para acabar de vez com qualquer possibilidade de investimento do governo comunista”, afirmou o parlamentar.

Diante da perspectiva sombria de perseguição ao povo maranhense, o governador Flávio Dino está correto em lutar pela democracia e contra a tentativa de golpe impetrada pelo PMDB, com o apoio do grupo político que saqueou os cofres do estado por quase meio século.

Ponto alto da crise entre Dilma e Temer, Padilha estará no Maranhão amanhã

Roberto Costa recebe Eliseu Padilha nesta quarta-feira (9)

Roberto Costa recebe Eliseu Padilha nesta quarta-feira (9)

Nesta quarta-feira (9), o ex-ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, cumprirá extensa agenda no Maranhão. O vice-presidente da Fundação Ulysses Guimarães receberá, em sessão solene no Plenário da Assembleia Legislativa, a Medalha do Mérito Legislativo “Manoel Beckman”, às 16h. O projeto que concede a honraria é de iniciativa do deputado estadual Roberto Costa (PMDB).

A saída de Padilha do governo Dilma foi o ponto alto da crise entre o PMDB e o governo petista. Padilha entregou o cargo por meio de um bilhete. A presidente não queria que ele saísse. Padilha é próximo ao vice-presidente Michel Temer. Na carta de Temer a presidente, o vice disse que Padilha deixou o governo em razão de muitas “desfeitas”.

No Maranhão, Padilha participa da Convenção da Juventude Peemedebista, no Plenarinho da Assembleia Legislativa, às 9h, e dará posse à nova diretoria da Fundação Ulysses Guimarães no Maranhão, tendo como Presidente da Fundação, o atual presidente da Juventude peemedebista (JPMDB), Assis Filho. Logo após, concederá entrevista coletiva.

Temer envia carta desabafo a Dilma e relação PT-PMDB estremece de vez

Governo faz virada gradual e realista de página, diz Dilma

A relação PT e PMDB azedou de vez com a carta desabafo do vice-presidente Michel Temer afirmando que a presidente Dilma não confia nem nele nem no partido. Com termos duros, Temer afirma que sempre teve “ciência da absoluta desconfiança da senhora e do seu entorno em relação a mim e ao PMDB”.

Ele diz que passou os primeiros quatros anos de governo como “vice decorativo”. Temer começa dizendo que a palavra voa, mas o escrito fica. Por isso, diz, preferiu escrever. Avisa então que está fazendo um “desabafo” que deveria ter feito “há muito tempo”. Na avaliação de amigos do vice, a carta representa o rompimento com a presidente Dilma, apesar de o peemedebista não querer dar esta conotação ao documento.

As declarações de Dilma afirmando confiar em Temer gerou o grande incômodo “Entretanto, sempre tive ciência da absoluta desconfiança da senhora e do seu entorno em relação a mim e ao PMDB. Desconfiança incompatível com o que fizemos para manter o apoio pessoal e partidário ao seu governo”, sustenta Temer. Ele ilustrou uma série de episódios em que demonstraria ser confiável.

A saída do ministro Padilha – homem muito ligado a Temer – do governo foi o ponto alto do desgaste da relação. Ele chefiava a Aviação Civil até a semana passada. Depois de reconhecer que o PMDB está “literalmente dividido” sobre o afastamento de Dilma, Padilha disse que Temer está consultando deputados, senadores e os 27 dirigentes estaduais.

Leia abaixo a íntegra da carta do vice-presidente Michel Temer a Dilma:

*

São Paulo, 07 de Dezembro de 2.015.

Senhora Presidente,

“Verba volant, scripta manent”.

Por isso lhe escrevo. Muito a propósito do intenso noticiário destes últimos dias e de tudo que me chega aos ouvidos das conversas no Palácio.

Esta é uma carta pessoal. É um desabafo que já deveria ter feito há muito tempo.

Desde logo lhe digo que não é preciso alardear publicamente a necessidade da minha lealdade. Tenho-a revelado ao longo destes cinco anos.

Lealdade institucional pautada pelo art. 79 da Constituição Federal. Sei quais são as funções do Vice. À minha natural discrição conectei aquela derivada daquele dispositivo constitucional.

Entretanto, sempre tive ciência da absoluta desconfiança da senhora e do seu entorno em relação a mim e ao PMDB. Desconfiança incompatível com o que fizemos para manter o apoio pessoal e partidário ao seu governo.

Basta ressaltar que na última convenção apenas 59,9% votaram pela aliança.

E só o fizeram, ouso registrar, por que era eu o candidato à reeleição à Vice.

Tenho mantido a unidade do PMDB apoiando seu governo usando o prestígio político que tenho advindo da credibilidade e do respeito que granjeei no partido.

Isso tudo não gerou confiança em mim, Gera desconfiança e menosprezo do governo.

Vamos aos fatos. Exemplifico alguns deles.

1. passei os quatro primeiros anos de governo como vice decorativo. a senhora sabe disso. perdi todo protagonismo político que tivera no passado e que poderia ter sido usado pelo governo. só era chamado para resolver as votações do pmdb e as crises políticas.

2. Jamais eu ou o PMDB fomos chamados para discutir formulações econômicas ou políticas do país; éramos meros acessórios, secundários, subsidiários.

3. A senhora, no segundo mandato, à última hora, não renovou o Ministério da Aviação Civil onde o Moreira Franco fez belíssimo trabalho elogiado durante a Copa do Mundo. Sabia que ele era uma indicação minha. Quis, portanto, desvalorizar-me. Cheguei a registrar este fato no dia seguinte, ao telefone.

4. No episódio Eliseu Padilha, mais recente, ele deixou o Ministério em razão de muitas “desfeitas”, culminando com o que o governo fez a ele, Ministro, retirando sem nenhum aviso prévio, nome com perfil técnico que ele, Ministro da área, indicara para a ANAC.

Alardeou-se a) que fora retaliação a mim; b) que ele saiu porque faz parte de uma suposta “conspiração”.

5. Quando a senhora fez um apelo para que eu assumisse a coordenação política, no momento em que o governo estava muito desprestigiado, atendi e fizemos, eu e o Padilha, aprovar o ajuste fiscal.

Tema difícil porque dizia respeito aos trabalhadores e aos empresários.

Não titubeamos. Estava em jogo o país. Quando se aprovou o ajuste, nada mais do que fazíamos tinha sequencia no governo. Os acordos assumidos no Parlamento não foram cumpridos. Realizamos mais de 60 reuniões de lideres e bancadas ao longo do tempo solicitando apoio com a nossa credibilidade. Fomos obrigados a deixar aquela coordenação.

6. De qualquer forma, sou Presidente do PMDB e a senhora resolveu ignorar-me chamando o líder Picciani e seu pai para fazer um acordo sem nenhuma comunicação ao seu Vice e Presidente do Partido.

Os dois ministros, sabe a senhora, foram nomeados por ele. E a senhora não teve a menor preocupação em eliminar do governo o Deputado Edinho Araújo, deputado de São Paulo e a mim ligado.

7. Democrata que sou, converso, sim, senhora Presidente, com a oposição. Sempre o fiz, pelos 24 anos que passei no Parlamento.

Aliás, a primeira medida provisória do ajuste foi aprovada graças aos 8 (oito) votos do DEM, 6 (seis) do PSB e 3 do PV, recordando que foi aprovado por apenas 22 votos. Sou criticado por isso, numa visão equivocada do nosso sistema. E não foi sem razão que em duas oportunidades ressaltei que deveríamos reunificar o país. O Palácio resolveu difundir e criticar.

8. Recordo, ainda, que a senhora, na posse, manteve reunião de duas horas com o Vice Presidente Joe Biden – com quem construí boa amizade – sem convidar-me o que gerou em seus assessores a pergunta: o que é que houve que numa reunião com o Vice Presidente dos Estados Unidos, o do Brasil não se faz presente? Antes, no episódio da “espionagem” americana, quando as conversar começaram a ser retomadas, a senhora mandava o Ministro da Justiça, para conversar com o Vice Presidente dos Estados Unidos. Tudo isso tem significado absoluta falta de confiança.

9. Mais recentemente, conversa nossa (das duas maiores autoridades do país) foi divulgada e de maneira inverídica sem nenhuma conexão com o teor da conversa.

10. Até o programa “Uma Ponte para o Futuro”, aplaudido pela sociedade, cujas propostas poderiam ser utilizadas para recuperar a economia e resgatar a confiança foi tido como manobra desleal.

11. PMDB tem ciência de que o governo busca promover a sua divisão, o que já tentou no passado, sem sucesso.

A senhora sabe que, como Presidente do PMDB, devo manter cauteloso silencio com o objetivo de procurar o que sempre fiz: a unidade partidária.

Passados estes momentos críticos, tenho certeza de que o País terá tranquilidade para crescer e consolidar as conquistas sociais.

Finalmente, sei que a senhora não tem confiança em mim e no PMDB, hoje, e não terá amanhã.

Lamento, mas esta é a minha convicção.

Respeitosamente, \ L TEMER

A Sua Excelência a Senhora

Doutora DILMA ROUSSEFF

DO. Presidente da República do Brasil

Palácio do Planalto

Brasília, D.F.

Política maranhense em notas

Eleição do PMDB só em janeiro

fabiopmdbO vereador Fábio Câmara saiu pra votar em uma eleição sem ter sido sequer convocado neste final de semana e deu com a cara na porta da sede do PMDB. Havia uma previsão inicial que a eleição do diretório municipal do partido em São Luís fosse acontecer no sábado (28). Porém, a Executiva decidiu adiar para o final de janeiro de 2016 a eleição. Como o cargo de presidente está vago, o diretório municipal está sendo controlado pelo secretário-geral, Roberto Luís, que fará publicar edital – o que nunca foi feito – e depois convocará os membros para a eleição. Vale lembrar que Roberto Luís é chefe de gabinete do deputado estadual Roberto Costa.

Voto manual em 2016

votomanualCaiu uma bomba a notícia de que por conta do corte no Orçamento, a votação de 2016 será manual. O TSE informou por nota que o corte de R$ R$ 428,9 milhões do Orçamento da Justiça Eleitoral inviabiliza o uso da urna eletrônica.”As urnas que estão sendo licitadas tem prazo certo e improrrogável para que estejam em produção nos cartórios eleitorais”, explicou o TSE. A votação de papel será um retrocesso e tanto no processo e tempo de apuração das eleições. O TRE do Maranhão, emitiu curta nota, afirmando apenas que como se trata de questão nacional, por ora, não se manifestará.

Licitação do transporte emperrada

onibusUm grande anseio da sociedade ludovicense não deve se concretizar mesmo em 2015. A tão aguardada licitação do transporte público segue a passos de cágado no parlamento municipal. Uns querem o projeto como está, outros querem mudar isto, outros querem acrescentar aquilo. No estica e puxa de interesses de classes – até os proprietários dos táxi-lotação já se meteram pra mudar o projeto – chegar a um consenso parece muito difícil. E o usuário segue prejudicado esperando a licitação que é pré-requisito para a implantação do Bilhete Único.

Humberto Coutinho em plena recuperação

humbertovisitaflavioO presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho, recebeu no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, a visita do governador Flávio Dino e do deputado federal Weverton Rocha. Humberto mostrou que está em ampla recuperação e logo deve retornar às atividades no parlamento. Ele luta contra um câncer de intestino diagnosticado há quase dois anos.

PT em São Luís

honoratoCom a oficialização do PT como partido da base aliada do governo Flávio, a tendência é que o partido caminhe para uma aliança com o prefeito Edivaldo. Mas o partido ainda valoriza seu “passe” e quer estar na chapa. O vereador Honorato afirma que não há alteração com o pensamento que estava sendo trabalhado para São Luís: o partido quer indicar vice ou lança candidatura. “Cabe à Executiva Municipal decidir o destino em 2016. O entendimento hoje é que estaremos na disputa majoritária seja em uma composição estratégica ou seja com os nomes que já se colocaram na disputa”.

Mais homenagens ao poeta

assembleiaminutosilencioO plenário da Assembleia Legislativa, na sessão desta segunda-feira (30), fez um minuto de silêncio  em respeito ao poeta Nauro Machado, que faleceu no último sábado. Os deputados Sérgio Frota (PSDB), Othelino Neto (PCdoB) e Júnior Verde (PRB) usaram a tribuna da Casa para lamentar o falecimento e destacar a importância do poeta Nauro Machado no cenário da literatura comteporânea brasileira. Othelino lembrou que quando Nauro Machado estava inspirado, ele começava  a recitar as poesias dele a qualquer momento numa mesa de bar, na rua ou em um evento social.

PMDB de São Luís continuará nas mãos do grupo de Roberto Costa

Aliados de Roberto Costa no controle do PMDB de São Luís

Aliados de Roberto Costa no controle do PMDB de São Luís

O PMDB definiu para o próximo dia 28 a eleição para novo presidente do diretório municipal do partido, em substituição a Roberto Costa, que transferiu seu domicílio eleitoral para o município de Bacabal.

Independente de quem for o eleito, o diretório ficará sob o controle do grupo de Roberto Costa. Dos 31 membros do diretório, 27 são ligados a Roberto, inclusive, a maioria da Juventude do partido que botou Hildo Rocha para correr da sede (relembre).

Até o momento, se lançaram pré-candidatos o atual vice-presidente, vereador Fábio Câmara, a secretária municipal de Saúde, Helena Duailibe, e o Superintendente da Funasa, André Campos. Helena aparece como favorita pela boa relação com Costa e não ter o nome tão atrelado ao deputado como André Campos.

Ainda que em um gesto do presidente estadual da legenda, João Alberto, Fábio Câmara seja eleito, terá pouco poder de decisão dentro da esfera municipal, que tem como maioria absoluta aliados de Roberto Costa.

Política maranhense em notas

O que acontece com o PP?

roseassisÉ incrível como em pouco tempo, o partido do deputado federal Waldir Maranhão conseguiu filiar dois pré-candidatos com potencial em São Luís e Imperatriz e perdeu os filiados para legendas sarneystas. Em São Luís, Waldir filiou Rose Sales, se reuniu com Eliziane Gama e viu a pré-candidata abandonar o barco para se filiar ao PV com as bênçãos de Sarney Filho. Em Imperatriz, filiou o delegado Assis Filho, que tem tido pontuações relevantes nas pesquisas, podendo ser o fiel da balança na cidade. Mas rapidamente, deixou a legenda de Maranhão para se filiar ao PMDB. O que acontece, Waldir?

Rose tem esvaziado Eliziane

rosesarneyA candidatura de Rose Sales (PV) tem esvaziado a pré-candidatura de Eliziane Gama (Rede). Rose caminha para ser a candidata oficial do grupo Sarney tendo como fiador o deputado federal Sarney Filho. Zequinha e Adriano Sarney trabalham para que Rose seja a candidata oficial com o apoio de todo o grupo, podendo ter o PMDB como vice. A vereadora já tem uma base em movimentos consolidada, e com a mídia e a estrutura do grupo Sarney tem tendência grande de crescimento. Ela deve avançar mais na igreja e tomar justamente o eleitorado de Eliziane, que vê cada vez com mais desconfiança a possível candidatura.

Favoritismo de Edivaldo se consolida

edivaldotodosJá o prefeito Edivaldo segue em céu de brigadeiro como favorito nas eleições de 2016 em São Luís. O prefeito segue em ascensão nas pesquisas de intenção de votos, uma perspectiva de muito mais obras em parceria com o governo do estado em um segundo mandato e um carisma que supera todos os concorrentes. O prefeito melhorou muito a relação com o eleitorado pelo contato direto nas ações itinerantes e, politicamente, está bem articulado com  legendas de várias vertentes. Caso ainda não esteja liderando as pesquisas de intenção de votos, é questão de pouquíssimo tempo.

Em Vargem Grande, mataram um barrão em vão

carlinhos-barrosOs neo-comunistas de Vargem Grande estão sem moral com a Executiva estadual do partido. O pré-candidato do PCdoB na cidade, Carlinhos Barros, preparou um banquete para receber o secretário estadual de Articulação Política, Márcio Jerry, que estava na convenção do partido em Coroatá. O secretário passou direto por Vargem Grande e foi para a convenção de Paço do Lumiar. Parece que o pré-candidato está sem moral. Até quando passou por Vargem Grande na estrada, Jerry só mandou “salve” pra amigos da comunidade e nada de políticos. Mataram um Barrão em vão. Coitado do porco.

Soliney quer PMDB de São Luís 

solneyfilhoEscanteado no PRTB, já que o desafeto João Câncio tem uma maior relação com a direção nacional, o prefeito de Coelho Neto, Soliney Silva (PRTB), agora aposta suas fichas no PMDB para as eleições de 2016. Soliney esteve na sede do PMDB durante a visita de José Sarney e tenta emplacar Soliney Filho como presidente do diretório municipal do PMDB de São Luís. Soliney já diz em grupos de Whatsapp que Solineyzinho foi convidado para assumir o comando. Com o controle, espera emplacar o filho como candidato a vice em alguma chapa na capital.

 UFMA para os maranhenses

marcoaurelionairO deputado Marco Aurélio tem ótima proposta para que os alunos maranhenses tenham preferência nas vagas da UFMA: a implantação do sistema de bonificação às notas de alunos maranhenses que realizarem o ENEM. O assunto foi tema de conversa com a reitora eleita Nair Portela, e membros da equipe jurídica da universidade. A ideia foi muito bem recebida pela cúpula da universidade, que prometeu estudar sua viabilidade. Desde que o ENEM passou a ser porta de entrada para a Universidade Federal, em 2009, nota-se uma queda na inserção de maranhenses nos principais cursos da universidade federal do Maranhão.

Pré-candidato em Imperatriz se filia a partido de Sarney e é criticado nas redes sociais

Assis assina ficha de filiação no PMDB

Assis assina ficha de filiação no PMDB

O pré-candidato a prefeito de Imperatriz, Assis Ramos, se filiou ao PMDB neste final de semana. O delegado, que havia se filiado ao PP há menos de dois meses, decidiu mudar para a legenda do Clã Sarney, justamente na cidade mais antisarney do Maranhão.

Assis tentou se justificar. “Jamais devemos entender que o PMDB é uma agremiação de uma família maranhense, pois além da família, o PMDB é o maior partido do Brasil na qual tem outros quadros importante”.

Pior que o presidente municipal do PMDB, Antônio Leite não deu garantias de candidatura do delegado, afirmando que o futuro do partido seria decidido “na convenção”. Um indicativo de que pode tirá-lo da disputa para uma coligação com o principal candidato sarneysta Ildon Marques (PMN).

Após o Blog da Kelly publicar a filiação no Facebook, internautas rapidamente começaram a criticar a mudança de Assis para a agremiação sarneysta. “Você como político é um ótimo delegado”, afirmou Eldon Araújo. “Pinto que acompanha pato morre afogado”, critiu Leite Silva.

assis

Sarney visita PMDB e endossa apoio a João Alberto

sarneyO oligarca José Sarney visitou a sede do PMDB na tarde desta sexta-feira (6). O ex-presidente da República chegou de surpresa na sede do partido e encontrou lá Fábio Câmara, Nina Melo, João Marcelo e Soliney Silva.

Sarney afirmou apoiar o senador João Alberto no comando da legenda e mandou um duro recado a Ricardo Murad. “Queiram ou não o PMDB continuará a ser conduzido pelo senador João Alberto no Maranhão. Quem estiver insatisfeito, terá que continuar se submetendo ao comando do Senador”, afirmou o líder do Clã.

Nem o maior líder do grupo que deixou o Maranhão com os piores índices de desenvolvimento do país aceita os destrambelhos de Ricardo Murad. Que fase!!!

Em nota de repúdio, Juventude do PMDB diz que Hildo Rocha é “ignorante político”

Hildo Rocha e o atrito com a Juventude do PMDB começou na Convenção do partido

Hildo Rocha e o atrito com a Juventude do PMDB começou na Convenção do partido

A Juventude do PMDB emitiu nota de repúdio afirmando que fará representação ao Conselho de Ética e Disciplina do partido para apurar os abusos e as agressões verbais de Hildo Rocha por ter dito em entrevista que a JPMDB é formada por “delinquentes”. (relembre).

Segundo a Executiva Estadual da JPMDB, Hildo demonstra “que desconhece sua própria base partidária, denunciando, com isso, sua ignorância política”. Também afirmam que o deputado “tem se tornado conhecido por seus discursos misóginos, intolerantes, baixo e raivoso”.

Veja a nota na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO DA JUVENTUDE DO PMDB AO DEPUTADO FEDERAL HILDO ROCHA

A JPMDB/MA vem a público repudiar com veemência todas as manifestações grosseiras e intolerantes proferidas pelo deputado federal Hildo Rocha (PMDB), contrárias à juventude do partido do qual ele é filiado. O parlamentar, tem se destacado pelo desserviço que atualmente vem prestado ao PMDB, principalmente, no que se refere à sua falta de vivência partidária e sua busca incansável e infame pelo poder.

Em recente entrevista, este senhor cometeu mais um ato torpe ao declarar que “a Juventude do PMDB não são militantes políticos, são pessoas pagas pela direção do partido (…). Aquilo não representa a juventude do PMDB, são verdadeiros delinquentes”, deixando assim, transparecer como lhe é admissível a ideia de assumir o papel de parlamentar que desconhece sua própria base partidária, denunciando, com isso, sua ignorância política.

Hildo tem se tornado conhecido por seus discursos misóginos, intolerantes, baixo e raivoso. Suas colocações contra a democracia interna no PMDB configuram um discurso perigoso que justifica violências em todos os espaços da nossa sociedade. Defendemos a livre manifestação de pensamento, mas tais colocações difamatórias não podem e nem devem ser misturadas com a liberdade de expressão, que é um direito adquirido por qualquer cidadão, mas se encerra quando fere os direitos coletivos de todos e todas. Em nenhum momento, podemos aceitar o desrespeito e os ataques de quem foi eleito para representar a população como um todo, principalmente, em espaços de manifestação da democracia que hoje vivemos, a exemplo da Câmara Federal.

Num exercício de paranóia conspiracionista, os malfeitos de um parlamentar que não tem identidade com seu próprio partido. Entretanto, quer se projetar na nossa militância, que ao contrário de tudo o que ele representa, é uma juventude pautada na formação política, oriunda dos movimentos sociais, estudantis e de base.

Diante disso, o Diretório Estadual da Juventude do PMDB/MA tomará todas as medidas estatutárias e regimentais contra o deputado Hildo Rocha, dentre elas, encaminhando uma representação ao Conselho de Ética e Disciplina do partido para apurar os abusos e as agressões verbais do parlamentar contra a militância e a direção do PMDB.

São Luís – MA, 04 de novembro de 2015.

Executiva Estadual da JPMDB/MA

PMDB volta a “lavar roupa suja” na tribuna da Assembleia

Blog do Jorge Vieira

andrearobertoA briga entre as correntes que estiveram envolvidas na disputa pelo comando do PMDB no Maranhão, semana passada, deixou a sede do partido e se transferiu para o plenário da Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira (04). Ainda por conta da refrega entre o senador João Alberto e ex-secretário Ricardo Murad, os deputados Roberto Costa e Andréa Murad voltaram a lavar roupa suja e trocar acusações sobre o resultado da convenção.

A parlamentar, que era candidata a presidente, mas curiosamente no dia da eleição estava em passeio na Flórida (EUA), retornou ao plenário na manhã de hoje cobrando satisfações da direção peemdebista e acusando o senador João Alberto de autoritário, de ter conduzido a convenção de forma ilegal e antidemocrática ao não permitir a inscrição de sua chapa, mas foi prontamente rebatida em suas afirmações.

“O que é difícil de aceitar é o medo, o cerceamento democrático, passei dias ouvindo que iríamos ser derrotados, e eu estava preparada para a vitória e para a derrota, a política tem dessas coisas, mas o que me entristeceu foi a anulação de qualquer possibilidade, até o direito de perder nos foi retirado, e isso, convenhamos, não faz jus a história desse partido. A minha lealdade ao PMDB continua inabalável, não será uma mancha pequena causada por poucos que irá afetar a grande história construída por muitos. Esse é um episódio menor na história do PMDB”, provocou Andréa.

A resposta veio na bucha. Durante intervenção, na tribuna, o deputado Roberto Costa, aliado do senador João Alberto, advertiu que todo processo da convenção do PMDB foi legal, “porque a Justiça nos deu esse direito, o diretório nacional do PMDB nos deu esse direito, agora querer discutir juridicamente com o Dr. Michel Temer, presidente nacional do partido, um dos juristas mais reconhecidos do Brasil, aí é demais”, ponderou Costa.

Continue lendo..