As suspeitas que recaem sobre Thiago Bardal

Foi feito o pedido de prisão preventiva ao delegado de polícia e ex-superintendente de Investigações criminais, Thiago Bardal. O pedido será analisado pela juíza Patrícia Marques Barbosa, titular da 4ª Vara Criminal de São Luís. Bardal foi exonerado do cargo de superintendente por suspeitas de envolvimento em um quadrilha que atuava com contrabando e formação de milícia.

Thiago foi abordado por policiais quando circulava próximo da área da operação policial no momento da batida da polícia. Fonte da alta cúpula da polícia revelou detalhes da abordagem ao programa Ponto Continuando, da Mais FM. Bardal estava com uma pessoa que não é do sistema de segurança no carro. Por isso, não estaria fazendo nenhuma atividade relacionada à operação. O ex-superintendente disse que estaria vindo de uma festa. Depois, quando falou com o secretário Jefferson Portela por telefone, disse que estava vendo um terreno que queria comprar na região. Bardal foi abordado pelos policiais cerca de 00h.

A fonte da cúpula de segurança revelou que haviam fortes indícios no local de que os criminosos tiveram informações e já tinham despachado às pressas parte da mercadoria.

Nova superintendente da SEIC

O secretário Jefferson Portela nomeou a delegada Nilmar da Gama para o lugar de Bardal da Superintendência Estadual de Investigações Criminais.

Uma ideia sobre “As suspeitas que recaem sobre Thiago Bardal

  1. Essa conversa de prisão preventiva já tá enchendo o saco se eles da segurança tivesse algo que comprometessem o delegado já deveria estar preso o ao dessa enrolada td será se não é armação de alguém querendo tirar o delegado do caminho ? Não estou defendendo esse delegado pq p.kim tanto faz como tanto fez mais se.ele.tem.algo.haver com td.isso.ja.deveria estar.preso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *