Auxilio impulsiona e Bolsonaro atinge maior aprovação desde o início do governo

Folha – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está com a melhor avaliação desde que começou o seu mandato. Segundo o Datafolha, 37% dos brasileiros consideram seu governo ótimo ou bom, ante 32% que o achavam na pesquisa anterior, feita em 23 e 24 de junho.

Mais acentuada ainda foi a queda na curva da rejeição: caíram de 44% para 34% os que o consideravam ruim e péssimo no período. Consideram o governo regular, por sua vez, 27%, ante 23% em junho.

O instituto entrevistou por telefone 2.065 pessoas nos dias 11 e 12 de agosto. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou menos.

Na manhã desta sexta-feira, o presidente, antes sempre crítico às pesquisas do Datafolha, desta vez usou a tática do morde e assopra ao compartilhar a notícia sobre o avanço de sua aprovação: “Verdade, meia verdade ou fake news? Bom dia a todos”, afirmou Bolsonaro em uma rede social.

A mudança do humor da população ocorreu concomitantemente à maior alteração na persona pública de Bolsonaro desde que ele saiu da obscuridade como parlamentar de baixo clero e chegou à Presidência no ano passado.

O presidente passou o primeiro semestre em um crescente embate institucional, que chegou ao paroxismo com sua participação em atos pedindo o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal.

Em junho, a crise amplificou-se, com rumores alimentados por notas oficiais acerca de intenção de uso das Forças Armadas e com críticas a decisões que contrariavam o Planalto no Judiciário.

Ao mesmo tempo, o presidente liderava o ataque direto às políticas de isolamento social da pandemia da Covid-19, que no começo classificara de “gripezinha”.

Aos poucos, a tensão levou a especulações nos meios políticos sobre um eventual impeachment do presidente. Isso o fez mudar de rumo no Congresso, aliando-se a partidos do centrão que antes espezinhava, dando cargos e verbas em troca de apoio.

Mas o ponto de inflexão é 18 de junho, quando é preso Fabrício Queiroz, ex-assessor de seu filho Flávio, investigado no caso das “rachadinhas” e elo entre o gabinete do hoje senador e milícias no Rio de Janeiro.

Com a pesquisa de junho indicando estabilidade em sua avaliação, apesar de estrago visível do caso Queiroz, Bolsonaro submergiu.

Moderou suas declarações contra adversários e parou de dar corda a apoiadores radicais que o esperam à porta do Palácio da Alvorada.

Antes desta rodada do Datafolha, a melhor pontuação do presidente havia sido 33% de ótimo e bom, taxa registrada em duas pesquisas. Já a rejeição voltou ao patamar dos seis primeiros meses de mandato, em torno de 30%.

O empate entre aprovação e rejeição reverte, na fotografia desta pesquisa, a tendência de polarização assimétrica registrada nas anteriores durante a crise política.

O presidente também contraiu a Covid-19, o que não mudou sua propaganda de minimizar a doença. Mas o programa de auxílio emergencial à população mais carente ganhou passo, e o governo amplificou a visibilidade de ações no reduto oposicionista do Nordeste. O resultado parece visível.

Segundo o Datafolha, a rejeição a Bolsonaro caiu de 52% para 35% na região, na qual mantém a pior avaliação: 33% de ótimo e bom, subida de seis pontos em relação a junho. A correlação com a distribuição do auxílio de R$ 600 é sugerida, ainda que não direta.

Entre quem fez o pedido e o recebeu, 42% acham Bolsonaro ótimo e bom, ligeiramente acima da média geral. Só que 36% dos que não fizeram também acham isso.

No Nordeste, onde vive 27% da população, 45% dos moradores recorreram ao instrumento, ante 40% no país todo.

Tão ou mais importante, Bolsonaro também melhorou seu desempenho no Sudeste, região mais populosa do país. Ali, sua aprovação subiu de 29% para 36%, enquanto a rejeição caiu de 47% para 39%.

Continua sendo mais bem avaliado nos redutos do Sul e Norte/Centro-Oeste, onde amealha 42% de ótimo e bom. Uma das quedas mais significativas na rejeição ao presidente ocorreu entre os mais jovens (16 a 24 anos). Nesse grupo, o ruim e péssimo foi de 54% para 41%.

Grupos que rejeitavam mais Bolsonaro também viram quedas no índice, mas menor: pessoas com curso superior (53% para 47%) e mais ricos (acima de 10 salários mínimos mensais, 52% para 47%).

Já a aprovação presidencial segue o padrão anterior ao apontar homens e pessoas de 35 a 44 anos como as mais satisfeitas.

Há homogeneidade nova no quesito quando o tema é a renda familiar. Dos quatro estratos analisados pelo Datafolha, Bolsonaro tem 40% de ótimo e bom em três, caindo cinco pontos entre os mais pobres (até 2 salários mínimos).

Ele segue sendo mais bem avaliado entre empresários (58%, ante 51%) e viu sua rejeição de 67% cair para 56%, ainda a recordista por segmentos, entre estudantes.

Com tudo isso, Bolsonaro deixou o posto de presidente mais mal avaliado desde a redemocratização nesta fotografia de momento do primeiro mandato.

A infame distinção volta a Fernando Collor, que tinha 41% de ruim e péssimo e 18% de ótimo e bom com um ano e seis meses de governo em 1991.

Bolsonaro, contudo, segue em segundo lugar na rejeição neste recorte de presidentes, mais mal avaliado do que Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT).

Ele também segue sendo considerado inconfiável pela população, ainda que tenha atenuado a má impressão.

Segundo o Datafolha, nunca confiam no presidente 41% dos brasileiros, enquanto 22% sempre confiam e 35%, confiam às vezes.

Em junho, esses índices estavam em 46%, 20% e 32%, respectivamente, segundo aferiu o Datafolha.
Bolsonaro inspira mais confiança entre homens, pessoas de 35 a 44 anos e quem ganha entre 5 e 10 salários mínimos.

Já desconfiam mais do presidente mulheres, jovens e quem tem o ensino superior.

No corte racial, o presidente é mais bem avaliado entre quem se declara branco ou amarelo (40%), oscilando para 37% entre pardos e caindo para 25% entre pretos.

Aumento no número de queimadas no interior preocupa Corpo de Bombeiros

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) reforçam o trabalho de contenção dos focos de queimadas nas cidades do interior do Estado. Nesta semana, em Balsas, o grupamento promoveu ações preventivas e de controle, intensificando o plano de trabalho, devido ao período de estiagem. Segundo a corporação, boa parte das queimadas é causada por ação humana, no uso do fogo para preparar o solo ao plantio. A ação inclui medidas de combate e campanhas educativas nas comunidades.

Em Balsas, as equipes monitoraram áreas com indício de incêndio e enviaram as informações distribuídas nos Boletins de Monitoramento de Queimadas. Neste semestre, serão desenvolvidas cartilhas específicas sobre o tema para os municípios de Mirador, Balsas, Imperatriz, Grajaú, Barra do Corda e Codó. Seminários e cursos de capacitação também serão organizados nessas regiões.

O comandante geral do CBMMA, coronel Célio Roberto de Araújo, destaca que apesar do cenário de pandemia, o trabalho se manteve. “Seguindo o planejamento de operação temos conseguido controlar o avanço das queimadas. Paralelamente, há um trabalho educativo e de conscientização com as comunidades para que façam uso do fogo da forma correta e segura”, pontuou o coronel.

As queimadas são mais comuns e com maior intensidade nas regiões Sul, Centro, Leste, Oeste; e com menor, o Norte do Estado. Um dos fatores é a estiagem no segundo semestre. O momento se torna propício para a ação humana de uso do fogo na limpeza de área para atividades agrícolas. O relatório do CBMMA, com base em dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apontou 3.149 registros de queimadas no Maranhão, no primeiro semestre deste ano.

Prefeito de Paraibano morre vítima de covid-19

O prefeito de Paraibano, José Hélio, morreu vítima da Covid -19, em São Luís, na madrugada desta sexta-feira (14). Zé Hélio tinha 55 anos e foi eleito prefeito pelo PT.

Curiosamente, o prefeito tinha gravado um vídeo pedindo para as pessoas do município evitar aglomerações no município.

Quem assume o comando do município é o vice Francisco Noleto Coelho, conhecido como Chico do Zé Viado.

TRE aprova pedido de força federal para 98 municípios maranhenses nestas eleições

A insegurança nas eleições do Maranhão levou o Tribunal Regional Eleitoral a aprovar por unanimidade o pedido de força federal a 98 municípios maranhenses para as eleições de 2020 durante a sessão desta quinta-feira (13).

O pedido, que será encaminhado primeiramente para conhecimento do Governo do Estado, e depois para autorização por parte do Tribunal Superior Eleitoral, foi apresentado pelo corregedor regional eleitoral, desembargador Joaquim Figueiredo, relator do processo.

No seu voto, o desembargador, após consulta às zonas eleitorais e análise de alguns setores do Tribunal, como a própria Corregedoria e a seção de segurança institucional, definiu que 98 municípios de 67 zonas eleitorais precisariam de força federal.

Foram considerados como critérios o histórico anterior de violência, a própria justificativa do magistrado no pedido, prioridade para cidades mais distantes, áreas indígenas e a capital, devido à redução de 3 zonas.

A requisição de força federal está prevista no Código Eleitoral e na Resolução TSE 21.843/04. Ela deve ser feita pelo juiz eleitoral da zona ao respectivo TRE, que a envia ao TSE, órgão competente para homologação.

As forças federais são compostas por militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica. Por essa razão, cabe ao plenário do Tribunal Superior Eleitoral aprovar ou não a necessidade do apoio. Em seguida, a decisão é comunicada ao Poder Executivo Federal para que tome as providências sobre a logística dessa atuação.

Já ao Ministério da Defesa, responsável pelo gerenciamento das forças federais, cumpre dimensionar e destacar os contingentes que serão engajados para atender a cada caso.

Municípios contemplados com a aprovação do pedido

São Luís, Coroatá, Araioses, Água Doce do Maranhão, Bacabal, Cururupu, Grajaú, Itaipava do Grajaú, Benedito Leite, Nova York, Santa Rita, Cajari, Barra do Corda, Brejo, Santa Quitéria, Buriti, Carolina, Afonso Cunha, Colinas, Humberto de Campos, Primeira Cruz, Santo Amaro, São Raimundo das Mangabeiras, Sambaíba, Alto Alegre do Maranhão, Parnarama, Pinheiro, São Bento, Turiaçu, Chapadinha, Mata Roma, Buriti Bravo, Penalva, São João do Paraíso, Porto Franco, São José de Ribamar, Dom Pedro, São Bernardo , Presidente Dutra, São José do Basílio, Joselândia, Barreirinhas, São Domingos do Maranhão, Fortuna, Governador Luiz Rocha, Esperantinópolis, Poção de Pedra, São Raimundo do Doca Bezerra, Loreto, São Domingos do Azeitão, São João Batista, São Vicente Ferrer, Cajapió, Amapá do Maranhão, Godofredo Viana, Cândido Mendes, Bom Lugar, Igarapé Grande, Santa Luzia, Alto Alegre do Pindaré, Mirador, Sucupira do Norte, Urbano Santos, São Benedito do Rio Preto, Lagoa da Pedra, Bela vista do Maranhão, Santa Filomena, Tuntum, Nova Olinda do Maranhão, Santa Luzia do Paruá, Santa Helena, São Mateus do Maranhão, Matões do Norte, Matinha, Olinda Nova do Maranhão, Buriticupu, Bom Jesus das Selvas, Zé Doca, Jenipapo dos Vieiras, Fernando Falcão, Amarante do Maranhão, Maracaçumé, Centro Novo do Maranhão, Bela Vista do Gurupi, Junco do Maranhão, Governador Nunes Freire, Centro do Guilherme, Maranhãozinho, Montes Altos, Formosa da Serra Negra, Presidente Sarney, Pedro do Rosário, Bacuri, Gonçalves Dias, Graça Aranha, Bequimão, Peri-Mirim e Santa Inês.

Música ao vivo em bares e restaurantes será permitida a partir de sábado

O governo do estado divulgou o protocolo que regulamenta apresentações musicais em bares e restaurantes com as medidas sanitárias necessárias em virtude da pandemia do novo coronavírus.

A retomada de música ao vivo em bares e restaurantes do Maranhão estará permitida a partir deste sábado (15).

O protocolo permite apresentação com até dois integrantes, a exemplo de voz e violão, voz e teclado, violão e percussão ou formação similar”.

O protocolo na íntegra pode ser acessado aqui.

Preso mais um suspeito de envolvimento na morte do sobrinho-neto de Sarney

A delegacia de Roubos e Furtos de Veículos prendeu na noite desta quarta-feira (12) mais um suspeito de envolvimento na morte do publicitário Diogo Costa, morto a tiros no dia 16 de junho após uma discussão de trânsito na região da Lagoa da Jansen, em São Luís.

Diogo Costa foi assassinado após briga de trânsito na Lagoa da Jansen

O suspeito é João Victor Magalhães Nogueira, mais conhecido como “Corea” e foi preso no bairro Cidade Operária. O suspeito preso estava, segundo a polícia, no carro quando o assassino disparou contra Diogo.

De acordo com a polícia, o suspeito revelou em depoimento que participou do roubo do carro vermelho Argo dias antes do assassinato do publicitário. O publicitário Diogo Adriano Costa Campos foi morto a tiros no último dia 16 de junho depois de uma briga de trânsito na Lagoa da Jansen, em São Luís. No fim de junho Raimundo Cláudio Diniz se apresentou a polícia e confessou a autoria do crime. Ele está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, na capital.

Corea estava com um moto roubada quando foi preso.

Flávio Dino oficializa neutralidade no 1º turno das eleições de São Luís

Flávio Dino não apoiará nenhum candidato no primeiro turno em São Luís

O governador Flávio Dino tornou oficial sua posição em relação à eleição para prefeito de São Luís. Em resposta ao jornal O Imparcial, a secretaria de comunicação e assuntos políticos tornou oficial a neutralidade do governador no pleito – pelo menos no primeiro turno.

“O governador respeitará todos os aliados que o apoiaram em 2018 e, por isso, não adotará nenhuma posição quanto ao 1º turno das eleições em São Luís”, afirma a nota, em resposta a questionamento feito pelo jornal.

Em sua reeleição ao governo nas últimas eleições, Flávio Dino teve apoio de 15 partidos: PCdoB, PT, PDT, PRB (Republicanos), PPS (Cidadania), PTB, DEM, PP (Progressistas), PR (PL), PTC, PPL, PROS, AVANTE, PEN (Patriota), PSB e SD.

Dentro dos partidos que fazem parte do arco de alianças do governador são pré-candidatos a prefeito Rubens Júnior (PCdoB), Neto Evangelista (DEM), Duarte Júnior (Republicanos), Bira do Pindaré (PSB), Yglésio Moyses (PROS), Detinha (PL) e Carlos Madeira (SD).

Vale destacar que o PEN – que virou Patriota – saiu da base de apoio do governo depois que o deputado Aluísio Mendes tomou o controle do partido das mãos de Jota Pinto, que se filiou ao PDT. O Patriota se aliou ao pré-candidato Eduardo Braide, que é opositor ao governador Flávio Dino.

Assim como em 2016, Flávio certamente entrará na campanha no segundo turno. Na última eleição para prefeito ele também ficou neutro no primeiro turno, já que seus aliados Edivaldo Holanda Júnior e Eliziane Gama disputavam o cargo. No segundo turno, entrou de cabeça na campanha de Edivaldo.

MDB adia decisão em São Luís para 25 de agosto e agora só vai com quem ceder a vice

Após mais uma reunião com a ex-governadora Roseana Sarney, o deputado estadual Roberto Costa, coordenador da tática eleitoral do MDB nas eleições deste ano, afirmou que o partido adotou novas diretrizes nas articulações em São Luís.

Primeiro, o partido agora passa a exigir a vaga de vice-prefeito na chapa para fechar seu apoio a uma candidatura. A prioridade da negociação é para ter a vice de Eduardo Braide (Podemos) ou Duarte Júnior (Republicanos). Roseana vê nessas duas pré-candidaturas maiores chances de vitória e possibilidade de reerguer a legenda a partir da capital.

O partido também esticou mais o prazo para definir seu rumo. Inicialmente, Roberto Costa disse que a decisão seria tomada até 15 de agosto, prazo que esgotaria depois de amanhã. Agora, a definição ficou para o dia 25 de agosto.

Sá Marques cobra reativação do Posto de Saúde do João Paulo

Na sessão da Câmara Municipal de São Luís desta semana o vereador Professor Sá Marques cobrou duramente a reativação do posto de saúde do João Paulo. O prédio onde deveria estar a unidade de saúde funciona, segundo o vereador, uma falsa farmácia.

Sá Marques ingressou com mandado de segurança solicitando a reabertura e o judiciário negou a liminar. O parlamentar recorreu para que o posto volte a funcionar e agora o município tem o prazo de 15 dias para se manifestar.

“O ex-secretário Lula Fylho enganou a comunidade do João Paulo e de todos os bairros vizinhos, Caratatiua, Jordoa, Alemanha, Ivar Saldanha, Barreto, Filipinho, Redenção, todos. Essas comunidades não tem sequer uma unidade de saúde próxima para tratamento de saúde básica, qualquer problema de saúde, por mais básico que seja, os moradores destes bairros precisam se deslocar para o Socorrão I, no Centro da cidade ou então para uma UPA. Falta de compromisso e vontade política, alegaram um problema de falta de acessibilidade, isso pode ser planejado com um simples projeto de engenharia, hoje o prédio que deveria está abrigando o posto de saúde abriga uma falsa farmácia. A Prefeitura de São Luís deveria devolver o posto de saúde as comunidades que tanto necessitam. Vou continuar cobrando, não descansarei enquanto o posto de saúde do João Paulo seja reativado”, afirmou.

O parlamentar também cobrou o pagamento dos funcionários da maternidade Maria do Amparo. “Fizemos o maior ‘fogo de palha’ aqui na Câmara Municipal quando a maternidade Maria do Amparo estava para fechar. Nos unimos e todos os vereadores destinaram suas emendas parlamentar e momentaneamente a maternidade não foi fechada. Os funcionários estão há 5 meses sem receber seus vencimentos”, lamentou.

Sá Marques também cobrou o retorno do busto de Josué Montello à Praça do Pantheon, lembrando que a “Mãe d’Água só retornou à Praça Pedro II depois de muita cobrança da imprensa e da sociedade. Caso não seja cobrado, a homenagem ao maranhense que é um dos maiores poetas do país. “Só depois de muitas cobranças e críticas da imprensa que devolveram a estátua. E agora temos a falta de respeito com o grande poeta Josué Montello. O busto do poeta desapareceu na Praça do Pantheon”. Ele também lamentou que o Memorial do Poeta Bandeira Tribuzzi tenha sido deteriorado e praticamente desaparecido.

Sá Marques aproveitou para parabenizar os advogados pela passagem do seu dia e falou da dificuldade de atuação deste profissional no Brasil. “Como já dizia o advogado, escritor, diplomata, Rui Barbosa, não existe Justiça sem a figura do advogado”.

Adaltina Queiroga e Larissa Abdalla firmam parceria para ampliar serviços do Detran-MA no Procon/VIVA

Nesta quarta-feira (12), o Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MA) firmaram Acordo de Cooperação Técnica. A parceria visa consolidar os serviços dos postos de atendimento do órgão estadual de trânsito instalados nas unidades do Procon/VIVA, além de ampliar o atendimento para outras unidades do estado.

“Além de formalizar a permanência dos serviços, a assinatura do acordo com o Detran promove a descentralização do atendimento, facilitando o acesso da população aos serviços públicos, com qualidade e conforto”, explicou a presidente do Procon/MA, Adaltina Queiroga.

O acordo garante a manutenção de serviços já disponíveis, como emissão de 1ª e 2ª vias de CNH, renovação da habilitação, mudança ou adição de categoria, dentre outros. A cooperação também viabiliza a implantação de novos postos de atendimento em outras unidades no interior do Maranhão.

Para a diretora do Detran/MA, Larissa Abdalla, a colaboração entre os órgãos proporciona mais celeridade e democratização dos serviços à população.

“Através do Procon/VIVA, nós conseguimos ampliar toda essa rede de serviços, fazendo chegar de forma mais célere naqueles locais onde não temos Ciretrans. A assinatura de hoje consolida serviços já existentes e abre um canal de ampliação deles”, avaliou a diretora do Detran/MA.

Atualmente existem serviços do Detran disponíveis nas unidades do Procon/Viva da Beira-Mar, Carolina, Coroatá, Estreito, Imperial Shopping (Imperatriz), Itapecuru – Mirim, Lago da Pedra, São Bento e Shopping da Ilha.