Josimar de Maranhãozinho será investigado por possível fraude eleitoral

Este é mais um capítulo da briga entre o deputado federal Aluísio Mendes (Podemos) e o deputado estadual Josimar de Maranhãozinho (PR). Os dois têm travado batalha pela concorrência em algumas cidades que dividem bases. Aluísio entrou com pedido de investigação no Ministério Público Eleitoral e a denúncia foi feita à Justiça Eleitoral.

Segundo a denúncia, Josimar teria utilizado documentos falsos na eleição. O juiz eleitoral Eduardo Moreira, do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, deferiu pedido da Procuradoria Regional Eleitoral no Maranhão e determinou que a Polícia Federal abra um inquérito para apurar os fatos.

Aluísio Mendes também não merece investigação?

Logicamente que Josimar de Maranhãozinho deve ser investigado, até porque não é de hoje que se comenta nos bastidores abuso de poder econômico do deputado. Mas já que chumbo trocado não dói, o Moral da BR também poderia pedir investigação de seu desafeto.

O deputado federal Aluísio Mendes foi secretário de segurança pública do estado por quase todo o último mandato de Roseana e ainda deixou pessoa de sua confiança quando saiu. A secretaria era a mais criticada do governo e sendo a pior secretaria para os maranhenses, o que levou a população a eleger Aluísio?

Mendes já foi alvo de um pedido de prisão por arapongagem na operação Faktor (ex-Boi Barrica), mas o pedido foi negado pela Justiça Federal (relembre). Os policiais e o Ministério Público Federal suspeitaram que Aluísio aproveitara seus contatos na PF para repassar informações sigilosas a Fernando Sarney, filho do senador, que estava sendo investigado por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e tráfico de influência.

O deputado do Podemos também votou a favor da urgência da anistia do caixa 2. O homem que mais entende de grampo no Maranhão só foi incomodado na eleição por uma propaganda irregular em um outdoor e pagou multa. Bem que poderia se investigar um pouco mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *