Interior do Maranhão: sem Leis para motos

Assim que se anda de moto no Maranhão.

O programa Profissão Repórter, da Rede Globo, está se especializando em mostrar as mazelas do Maranhão em rede nacional. O programa já havia mostrado os problemas dos juízes que sofrem risco de vida no Estado e o problema dos meninos maranhenses que foram para São Paulo com o sonho de ser jogador de futebol e acabaram sendo acolhidos pela fundação Criança, em São Bernardo-SP. Desta vez, o tema foi motocicleta, e como, por aqui já sabíamos, o interior do Estado é “terra sem Lei” em se tratando de condução de motos.

Uma moto estava a 110km/h em Matões do Norte com a passageira e uma criança na garupa sem capacete. Um menino de nove anos estava pilotando uma moto com o pai na garupa e sem capacete. Estas foram algumas aberrações mostradas, mas que quem circula pelas cidades do estado sabem que esta é a realidade do interior maranhense: caos total na segurança de tráfego, principalmente com relação à moto, já que  a maioria não tem habilitação e capacete é peça desconhecida.

A cidade de Santa Rita tem cinco vezes mais motos do que habilitados. Um cidadão até que confessou não saber ler e pilota há 3 anos.

A reportagem lembrou ainda que o Maranhão é o Estado com a pior renda do Brasil e ainda assim, são muitas motos no estado. Uma mulher tinha uma moto avaliada em pouco mais de R$ 4 mil. Mais cara que sua casa de taipa, muito simples.

Em Bacabeira, foi mostrado como os motoqueiros usam o veículo como transporte de carga e se transporta de tudo, como escada, panelas, e até veículo transformado em moto-lanche. Nenhum entrevistado na cidade tinha habilitação. Um disse que quando a moto é apreendida ele “se pega em um político e outro” até liberar.

É este o nosso Maranhão, que como diz um amigo “para ser atrasado ainda precisa evoluir bastante”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.