Especialistas condenam poços na área Itaqui-Bacanga

Agenor Jaguar: geólogo condena distribuição dos poços proposta pelo governo.

Ouvi dois especialisas na área de Geologia o anúncio do Secretário de saúde Ricardo Murad, que anunciou a construção de novos poços em 25 bairros para melhorar a situação do abastecimento de água na capital. Pela visão dos especialistas, a forma como foi distribuída as áreas de perfuração dos poços mostra que o governo não usou nenhum critério técnico para abrir novos poços.

 Pela previsão da Secretaria de Saúde, serão nove poços no Anjo da Guarda e três na Vila Embratel. “Todos os estudos que existem sobre o tema são contrários à perfuração de poços na área Itaqui-Bacanga. Os aquíferos (água subterrânea) daquela região não têm mais qualidade. Estão altamente salinizados. Será um desperdício de dinheiro público”, afirmou o geólogo Fernando Cruz. Para ele, a priorização das áreas que o governo decretou como mais críticas, é uma prova de que não foi realizado o estudo Hidrogeológico para que a solução seja eficiente.

O geólogo Agenor Jaguar, presidente da Associação dos Geólogos do Estado do Maranhão (Agema) com larga experiência em estudos sobre o abastecimento de São Luís, concorda que não houve uma preparação, apesar do assunto ser discutido pela Agema desde a implantação do Sistema Italuís. “As obras foram colocadas a ‘toque de caixa’. Montadas de última hora. A população não pode permitir que isso seja feito assim. O governo tem que colocar os técnicos para mostrar o caminho”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.