Visão deturpada de “prioridades” de Roseana é que levou à crise na segurança

Nem os aliados viram com bons olhos declaração de Roseana

Nem os aliados viram com bons olhos declaração de Roseana

Tentando se defender, a governadora Roseana Sarney (PMDB) admitiu toda a sua culpa pela crise de segurança que o Maranhão e, em especial, a grande Ilha, vive. Ao justificar a crise penitenciária, que é a raiz da crise na segurança, Roseana afirmou que teve que optar saúde, educação e infraestrutura.

Admitindo conhecer o problema carcerário do Maranhão, Roseana disse: “Você vai colocar o recurso numa escola, num hospital, ou, então, numa estrada? Ou você vai colocar o recurso para melhorar a vida daqueles que estão lá, que são assassinos, criminosos, traficantes, que degeneram as nossas família?”, afirmou Roseana.

Primeiro que cada recurso é destinado para secretarias e finalidades diferentes. A governadora comete ato contra a Lei de responsabilidade Fiscal se retira recurso destinado para uma finalidade e executa outra. O orçamento é todo dividido. Existe apenas um percentual flexível. Basta aplicar no sistema penitenciário o que estava previsto na peça orçamentária.

Em segundo lugar, existia recurso prontinho para aplicar.  Em 2011, o Governo Federal mandou para o Maranhão, R$ 22 milhões. Dinheiro para ser usado nos presídios. O estado não usou nada e o dinheiro voltou para o Tesouro.

Em terceiro, que é óbvio que educação, saúde e infraestrutura são temas primordiais. Mas o sistema carcerário está  intrinsecamente à segurança pública. A falta de segurança afeta a educação, afeta a economia, afeta a geração de emprego etc. basta verificar o temor das pessoas de sair de casa à noite no auge da crise. Prejuízos nas aulas, para os bares, para restaurantes e outros serviços noturnos. É falácia achar que deve se esquecer o sistema prisional achando que “está bom enquanto eles estão se matando lá dentro”. Já está mais do que demonstrado que Pedrinhas é um centro de inteligência do crime. Ordens de ataques com ônibus incendiados e assassinatos de policiais e até inocentes (como a menina Ana Clara) partem de dentro da prisão. A guerra entre PCM e Bonde dos 40 ocorre aqui do lado de fora e é orquestrada de dentro do caos de Pedrinhas.

Em quarto, a governadora deve um pedido de desculpas aos familiares de pessoas presas, muitas vezes por pequenos delitos e quiçá, até inocentes. falar que em Pedrinhas todos os presos são a escória da sociedade e por isso devem ser esquecidos, além de desrespeito aos que não tem este perfil, é mais um atestado de incompetência. uma mostra de que o sistema prisional de nada serve. não recupera, não socializa, e até mesmo, não pune.

Vale lembrar o caso do ator global Vinícius Romão, preso após ser confundido com um assaltante no Rio de Janeiro. Não fosse um ator conhecido, Romão certamente apodreceria na cadeia. E quantos casos semelhantes podem existir?

Acho que este blogueiro agora deve um pedido de desculpas ao secretário de segurança Aluísio Mendes. Agora vejo que o problema da segurança no Maranhão não é culpa do secretário, mas da visão deturpada de “prioridade” da pessoa que comanda o Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *