A Comissão de Recesso da Assembleia e seus componentes

Ao término da última sessão do ano na Assembleia Legislativa, o deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente em exercício, anunciou a Comissão Parlamentar de Recesso. Ela é composta por cinco deputados, apontados pelo presidente – neste caso, Humberto Coutinho (PDT) assumiu este papel no seu retorno na quarta-feira (21).

Porém, uma análise mais profunda, nos mostrar a dinâmica existente dentro do Parlamento Estadual maranhense. Compõem a CPR: Fábio Macedo (PDT), Zé Inácio (PT), Sérgio Frota (PSDB), Vinícius Louro (PR) e Roberto Costa (PMDB).

Dois deputados são de partidos que se digladiam no campo nacional e, por vezes, também no local. Apesar desta realidade, Zé Inácio e Sérgio Frota sempre foram muito cordiais dentro do plenário e nunca levaram essa cizânia partidária para a convivência entre ambos.

O mesmo não se pode afirmar dos deputados Vinicius Louro e Fábio Macedo. Os dois, ao longo de 2016, trocaram farpas, principalmente no período eleitoral. Até em programa de rádio, os dois discutiram. No plenário da Assembleia, então… E, olha, que os dois têm papel preponderante, caso sejam exigidos no período de recesso. Vinicius é presidente da Comissão de Orçamento e Fábio, da Comissão de Recesso. Já viu se surge alguma questão financeira para eles discutirem?

O quinto membro, o deputado Roberto Costa, não tem pendenga com nenhum outro colega da comissão, mas é o único deles que pode tirar proveito dos trabalhos da equipe. É que uma das prerrogativas da CPR é aceitar a renúncia de algum parlamentar e dar posse ao suplente. Acontece que, se nesses dias de recesso, a justiça eleitoral decidisse em dar posse para Roberto Costa como prefeito de Bacabal, ele teria que renunciar ao cargo de deputado. Lógico que ele “intimaria” o deputado Fábio a convocar toda comissão para que ele pudesse entregar sua renúncia e ficar livre para virar chefe de Executivo. Porém, é uma hipótese. E muito remota, diga-se de passagem.

1 pensou em “A Comissão de Recesso da Assembleia e seus componentes

  1. Depois de um ano de mt trabalho, nossos “ilustres ” deputados” vão descansar e pensar em quantas cidades do interior terão que visitarem para fortalecerem suas alianças políticas e tentar garantir a reeleição, que espero que nenhum deles consiga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *