Como se pode falar em autonomia do Legislativo?

Bancada governista da Assembleia blinda secretários mais uma vez.

É sábido que na democracia brasileira as Casas Legislativas são formadas pela maioria de parlamentares aliados dos Executivos. No Maranhão, por exemplo, a Assembleia Legislativa, embora tenha seis ou sete deputados de oposição, não apresenta dificuldades ao governo do Estado, que tem tudo que lhe interessaaprovado na Casa.

Na sessão de ontem (19) a bancada governista rejeitou na Assembleia Legislativa três requerimentos de autoria do líder do Bloco Parlamentar de Oposição (BPO), Marcelo Tavares (PSB), através dos quais ele tentava convocar secretários de Estado ou solicitar informações sobre secretarias. Um quarto requerimento ficou para ser apreciado na próxima sessão, por falta de quórum. 

Acredito que não tem porque o governo não ter interesse em esclarecer ao parlamento e aos cidadãos maranhenses as questões relacionadas à administração pública. Já que o governo não não tem o que temer, porque blindar a ida dos Secretários à Assembleia?

O mesmo acontece na Câmara Municipal de São Luís, onde o prefeito só conta com dois vereadores que fazem oposição demarcada (embora, teoricamente sejam quatro opositores). Sempre que ocorre uma solicitação de convocação de Secretário Municipal, esta é barrada pela ampla bancada governista no parlamento municipal.

O povo fica se perguntando para que serve o parlamento afinal, já que não fiscaliza o Executivo? O discurso de que os poderes são autônomos e harmonicos é lindo na teoria, mas na prática, só harmonia. Autonomia nada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.