Fofão de Roseana? Religião de Edivaldo? Discussão infrutífera na Assembleia

Governistas atacaram ausência de Edivaldo no carnaval.

Não era de se esperar que o assunto que dominaria a discussão na Assembleia Legislativa após o feriadão de carnaval seria este. Mas o rumo da discussão foi muito ruim, com parênteses apenas para a discussão sobre quanto do dinheiro público foi gasto para a folia pelo governo e pela prefeitura de São Luís.

Na discussão iniciada pelo deputado Bira do Pindaré (PT) acabou sendo levando em conta mais quem fez a melhor festa: prefeitura ou governo? Depois de Bira elogiar o carnaval da Praça Maria Aragão, Edilázio Júnior (PV) foi responder apenas para apequenar o carnaval realizado pela prefeitura e dizer que só existiu carnaval na capital graças ao circuito da Praça Deodoro, do governo.

Oposição questionou centralismo e até fofão de Roseana.

No meio da discussão que envolveu muitos governistas e oposicionistas, foi questionada a ausência do prefeito Edivaldo Holanda Júnior e a interferência de sua religião no governo. Totalmente lamentável. Do mesmo modo os oposicionistas questionaram o fofão da governadora Roseana Sarney (PMDB) e ela estar “escondida” para não ser vaiada. Outra coisa totalmente dispensável.

Da discussão que praticamente tomou todo o dia na Assembleia, valeu apenas os questionamentos sobre o quanto de dinheiro público foi investido nas festas. O deputado Max Barros (PMDB) alegou que no carnaval do governo, as atrações de fora (caras por sinal), como Diogo Nogueira e Jorge Ben Jor, foram bancadas por patrocinadores e não houve investimento de um real do contribuinte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.