Governo atrapalha São Luís na implantação do programa “Crack, é possível vencer”

Roseana Sarney e Ricardo Murad continuam demonstrando quem não quer parceria.

Roseana Sarney e Ricardo Murad continuam demonstrando quem não quer parceria.

Mais uma vez, parece que Flávio Dino estava certo em seu artigo quando disse que o governo do estado atrapalhava a prefeitura de São Luís. Por uma intransigência do governo, que insiste em não auxiliar o Município, principalmente na área da Saúde, onde Ricardo Murad que colocar a culpa dos problemas na prefeitura, ainda não conseguiu sua inclusão no programa Crack, é possível vencer.

Em reunião ocorrida na segunda-feira (16), que contou com a presença da representante do programa Saúde na Família de São Luís, Évila Brito, sem qualquer explicação convincente, a pauta foi adiada.

A gestão da Comissão Intergestores Bipartite, CIB, é gerenciada por Ricardo Murad. A comissão é um fórum de negociação entre o Estado e os Municípios na implantação e operacionalização do Sistema Único de Saúde.

Mais uma vez o governo prova quem realmente não quer parceria. No início da gestão Edivaldo Holanda Júnior (PTC), o governo prometeu gestão compartilhada entre Estado e Município, mas continua prejudicando os ludovicenses. No total, estão previstos para São Luís, por meio do programa, R$ 18 mil por mês, oriundos do Ministério da Saúde, para despesa com pessoal e compra de medicamentos ou equipamentos para os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) de São Luís.

O programa Crack, é possível vencer é um programa do governo federal e pra ser desenvolvido, depende da aprovação nas três instâncias: municipal, estadual e federal.

3 pensou em “Governo atrapalha São Luís na implantação do programa “Crack, é possível vencer”

  1. Meu querido companheiro:
    O problema drogas, não é prioridade nesse governo. A prioridade é eleição e eleição. Sabe quantas postagens já falei sobre isso no meu blog? Mais de duzentas vezes, mas ninguém quer saber de nada. Enquanto isso, cresce o indíce de criminalide no estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.