Mesmo negando prisão, juiz ressalta gravidade das acusações contra Murad

Blog do Garrone

ricardomuradNão se pode confundir a decisão do juiz federal Roberto Veloso em não decretar a prisão preventiva de Ricardo Murad, como uma espécie de atestado de inocência e a negação do que foi investigado pela Polícia Federal, que aponta o desvio de cerca de R$ 1,2 bilhão dos recursos da Saúde.

Veloso fez questão de ressaltar que está demonstrada de forma efetiva a materialidade delitiva da organização criminosa voltada para desviar os recursos do Sistema Único de Saúde, e que Ricardo Murad teve participação ativa em todos os acontecimentos apurados pela Polícia Federal.

No entanto,  não viu necessidade de decretar a prisão preventiva – já negada por ele dia 16 de novembro – por entender que não está suficientemente provada a destruição de provas, como argumentou a PF nesse novo pedido.

O delegado Sandro Jansen, responsável pela Operação Sermão aos Peixes, requereu a preventiva por Ricardo    ter queimado vários documentos no fundo de sua residência, e a busca e apreensão na outra casa de sua família, para onde ele tinha transferido documentos comprometedores.

Roberto Veloso atendeu apenas o pedido de busca a apreensão, além de mandar recolher o passaporte e proibir o ex-secretário de se ausentar de São Luís, sem autorização judicial.

Respeito o entendimento do juiz para indeferir a preventiva, mas não posso deixar de registrar um certo descompasso da sua decisão em determinar busca e apreensão na outra casa dos Murad, que fica em frente à mansão do ex-secretário.

Ela só teria algum valor prático se fosse tomada ainda na quarta-feira quando ele foi conduzido coercitivamente para depor, e a Polícia denunciou a ocultação de documentos na casa vizinha.

Continue lendo aqui

2 pensou em “Mesmo negando prisão, juiz ressalta gravidade das acusações contra Murad

  1. Para um cidadão comum, é difícil entender porque a justiça é tão condescendente para com bandido de colarinho branco, vai entender a cabeça de um juiz quando se trata de um corrupto endinheirado com o dinheiro publico, e um assaltante de banco, o corrupto desvia 1,2 bi dos cofre publico, o assaltante de banco, quando leva, leva um milhão, se capturado é preso imediatamente, não precisa nem ser em flagrante e um corrupto como Ricardo Murad com toda a roubalheira comprovada e evidências, presta depoimento e é solto. Pois, a justiça negou o pedido de prisão preventiva, porque meu Deus.
    A justiça do Maranhão tem que se reciclar, prestar mais atenção ao clamor publico, e mudar os seus conceitos de distribuição de justiça, quando julgar um corrupto ladrão e um ladrão de galinha.
    Que a justiça do Maranhão seja magnânima, tudo bem, mas, falta muito para ter o respeito dos homens e mulheres de bem e honesta deste Estado, com esta atitude de dois peso e duas medida.
    Como toda crítica que é feito à justiça tanto Estadual como Federal é considerado como afronta, este comentário está é longe querer ferir a suscetibilidade dos senhores juizes. Quem sou eu meu Deus.

  2. CABEÇA DE JUIZ É COMO BUNDA DE CRIANÇA, DE UMA HORA PRA OUTRA SAI MERDA. FOI COMPROVADA QUE O BANDIDO DO RICARDO MURAD ESTAVA DESTRUINDO PROVAS. E AÍ ACONTECE O QUE. A JUSTIÇA NEGA A SUA PRISÃO E MANDA O MESMO IR DESTRUIR AS OUTRAS PROVAS. ME COMPRE 1,2 MILHÕES DE BODES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *