Weverton: “Brandão não é do nosso campo e agora quer se vestir de socialista”

O senador e pré-candidato a governador, Weverton (PDT) concedeu uma entrevista ao Quadro Bastidores, da TV Mirante e falou sobre a atual conjuntura política.

Em conversa com o jornalista Clóvis Cabalau, o parlamentar reafirmou sua pré-candidatura ao Governo do Estado e falou sobre a relação do PDT com o governador Flávio Dino. “O PDT é um partido que tem história. É um partido que veio do campo, veio da luta… é um partido de lado. A relação vai continuar a mesma”, disse.

O senador criticou a decisão do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) que está de saída do PSDB e vai se filiar ao PSB, um partido de esquerda, com o único objetivo de garantir o apoio de Lula (PT).

“Não tenho nada contra Carlos Brandão, mas ele não é do nosso campo e agora ele vem se vestir de socialista, virar lulista ou esquerdista. Eu não troco de partido como troco de roupa. Não dá para ser na moda”, afirmou.

O pedetista ainda ressaltou que tem intenção em apoiar o governador Flávio Dino (PSB) em sua candidatura ao Senado Federal e manterá o diálogo com a sua base aliada para que esse projeto se concretize.

“Eu disse ao governador Flávio Dino que temos todo o interesse em apoiá-lo. Vamos dialogar daqui até as convenções e construir esse ambiente. Nosso grupo, a maioria absoluta, é a favor que se faça essa construção. A política é a arte do diálogo e dialogaremos com ele para tentar construir esse entendimento”, disse.

Weverton afirmou que manteve sua pré-candidatura para debater com a população soluções a atual situação dos índices de desigualdades.

“Quero fazer um pacto com a população para desenvolvermos de verdade nosso Maranhão para gerar emprego e renda para as pessoas. Essa é a inquietação do meu grupo político”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.