Flávio Dino tem agenda com Brandão e Weverton e reforça tese de consenso

Durante as inaugurações do Governo do Maranhão neste fim de semana em Coroatá e Lagoa do Mato, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB) pregou a unidade entre os dois dos nomes da pré-disputa para o governo do estado da base, o vice-governador Carlos Brandão e o senador Weverton Rocha.

Em clima de união e descontração, Flávio Dino exaltou as ações do governo, pregou a unidade do grupo e afirmou sobre a escolha entre Weverton e Brandão para sucedê-lo: “Dizem que eles estão brigando ou que vão brigar. Não tem razão de briga, rapaz. Conversando, tudo se arruma, como dizia meu saudoso e querido pai, é no andar da carruagem que as abóboras se ajeitam. Tendo fé e paciência, tudo se resolve“, declarou Dino.

Em Coroará, o governador Flávio Dino fez a inauguração do Instituto Estadual de Educação (IEMA. Durante o evento, houve a tradicional batida de pênaltis entre Weverton e Brandão na quadra de esporte reformada.

“Seguimos firmes no projeto, apostando na unidade”, diz Weverton sobre reunião com Dino e Brandão

O senador Weverton (PDT) participou de uma reunião com o Governador Flávio Dino e o vice-governador Carlos Brandão.

Pela foto, fica claro a pauta da reunião: eleições 2022. Weverton e Brandão são pré-candidatos a sucessão do atual governador.

“Seguimos firmes no projeto, apostando na unidade e trabalhando pelo Maranhão”, disse o parlamentar.

A reunião foi uma espécie de prévia para a reunião de partidos marcada para está segunda-feira (5), quando os partidos do grupo dinista começam a discutir as eleições do ano que vem. A maioria, nesse momento, defende a candidatura de Weverton para o governo.

2022: Escutec também aponta liderança de Weverton dentro do grupo de Dino

Neste sábado, 27, o Jornal O Estado do Maranhão divulgou uma Pesquisa Escutec sobre as eleições de 2022.

Os números colocam a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e o senador Weverton Rocha (PDT) na liderança.

O parlamentar fica em situação de destaque dentro do grupo de Flávio Dino, uma vez que Roseana já deixou claro que pretende concorrer a um cargo proporcional.

No primeiro cenário, estimulado, com doze nomes:

Roseana – 23%
Weverton – 14%;
Edivaldo Holanda Júnior – 13%
Carlos Brandão – 9%
Roberto Rocha – 8%
Eliziane Gama – 3%
Wellington do Curso – 3%
Simplício Araújo – 2%

Os demais nomes: deputado federal licenciado Márcio Jerry; o prefeito Lahesio Bonfim (São Pedro dos Crentes); o deputado federal Josimar de Maranhãozinho e o secretário estadual de Educação, Felipe Camarão, pontuaram com 1%, cada. Nenhum dos candidatos 8% e 13% não souberam ou não responderam.

No segundo cenário, estimulado, no qual são apresentados:

Roseana – 29%
Weverton – 20%
Brandão – 12%
Rocha – 11%
Nenhum deles – 18%
NS/NR – 10%

No terceiro cenário, no qual são citados apenas os nomes de Weverton, Brandão e RR.

Weverton 25%,
Brandão 15%
Rocha 13%.
Nenhum deles 30%
NS/NR 17%

Senado

O levantamento também mensurou a preferência do eleitorado em relação a única vaga para o Senado que estará em disputa.

Flávio Dino – 51%
Roberto Rocha – 21%
Josimar de Maranhãozinho – 8%.
Nenhum deles – 15%.

Presidente

Luiz Inácio Lula da Silva – 54%
Jair Bolsonaro – 20%
Ciro Gomes – 7%
Sérgio Moro – 3%
João Dória – 2%
Luciano Huck – 2%
João Amoedo – 2%
Eduardo Leite – 1%
Nenhum deles – 5%

A pesquisa Escutec foi realizado no período compreendido entre os dias 20 a 25 deste mês. Foram ouvidos 1.400 eleitores. A margem de erro é de 2%, para mais ou para menos, e possui nível de confiabilidade de 90%.

Pesquisa Exata mostra cenários de sucessão de Flávio Dino

O Instituto Exata divulgou hoje, 23, uma pesquisa sobre a intenção de votos da população para as próximas eleições de 2022 de Governador, Senador e Presidente da República.

A pesquisa foi realizada por meio de abordagem em domicílios sorteados. Ao todo, foram ouvidas 1403 pessoas de diversas regiões do Maranhão.

A margem de erro da pesquisa foi de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O intervalo de 95% de confiabilidade.

O primeiro cenário é para governador. Na espontânea, quando o entrevistado é questionado em quem ele votaria se as eleições fossem hoje sem apresentar nomes.

GOVERNADOR – ESPONTÂNEO

Flávio Dino – 10,98%
Roseana Sarney – 5,20%
Senador Weverton – 2,71%
Roberto Rocha – 2,07%
Dr. Lahesio – 0,86%
Josimar de Maranhãozinho – 0,78%
Carlos Brandão – 0,78%
Edivaldo Holanda Júnior – 0,50%

Os demais pontuaram abaixo de 0,50%. Nenhum, brancos e nulos soma-se 3,42% e o que “não sabe/não respondeu” aparece com 70,49%.

GOVERNADOR – ESTIMULADA

No cenário B, onde são avaliados os nomes do senador Weverton, o vice-governador Carlos Brandão e o deputado federal Josimar Maranhãozinho.

Weverton aparece com 32%, seguido de Brandão com 16% e, em terceiro, Josimar com 13%.

No cenário C, o senador Weverton aparece com 36% contra Carlos Brandão com 20%. Nenhum, branco e nulo soma 23%. Não sabe/não respondeu aparece com 21%.

SENADOR – ESTIMULADA

Para o cargo de senador, o atual governador Flávio Dino aparece com 45%, seguido da ex-governadora Roseana Sarney com 18%. Em terceiro, aparece o senador Roberto Rocha com 16%, Josimar Maranhãozinho com 6%, em quarto, e o presidente da Alema, Othelino Neto com 4%, em quinto lugar. Nenhum, branco e nulo soma 5%. Não sabe/não respondeu aparece com 6%.

PRESIDENTE – ESTIMULADA

Para o cargo de presidente da República, Lula aparece com 69%, seguido de Jair Bolsonaro com 16%, logo em seguida, Ciro Gomes com 6%. Em quarto, o ex-juiz Sergio Moro com 4% e, em quinto, Doria com 1%. Nenhum, branco e nulo soma 3%. Não sabe/não respondeu aparece com 1%.

Carlos Brandão perde o Republicanos

O vice-governador Carlos Brandão perdeu o controle do partido Republicanos. Depois de anunciar que mesmo se filiando ao PSDB o partido continuaria na sua base de sustentação, o vice tomou um revés em Brasília. A direção nacional do Republicanos não gostou nada da forma como  Brandão saiu sem dar explicação.

 O presidente nacional do Republicanos, Marcos Pereira, ficou muito chateado por Brandão ter deixado o partido sem explicar a saída e conversar sobre o tema com a legenda, e ainda sair dizendo que mantém o Republicanos debaixo do braço. Ele lembrou que inclusive deu a vice-presidência nacional para Brandão e garantiu a legenda para disputar a eleição de 2018 quando Roberto Rocha tentava levar o PRB. Ainda assim, o vice-governador preferiu sair sem sequer dizer tchau.

Quem está se filiando à legenda é o deputado federal Gil Cutrim. O ex-pedetista vinha tendo uma conversa com o próprio PSDB, partido agora de Carlos Brandão. Com isso, o Republicanos deixa as hostes de Brandão e passa a ser do grupo liderado pelo senador Weverton Rocha.

Flávio Dino diz que só começa a discutir sucessão em julho

Em entrevista ao Bom dia Maranhão, da TV Mirante, o governador Flávio Dino falou sobre o atual cenário político do Maranhão.

Ao ser questionado pelo jornalista Clovis Cabalau sobre quem será o escolhido por ele para ser candidato a governador, Flávio disse que só discutirá a sucesso no mês de julho.

“Em meados deste ano, se Deus quiser, lá para o mês de julho, a gente comece este diálogo com os partidos. A minha disposição, é até o mês de dezembro, termos anunciado os pré-candidatos a governador, vice e também ao senado”, disse.

Dino ressaltou que a escolha será feita após dialogar com todos os partidos aliados. “Nós queremos o nosso grupo unido para apresentar o programa que continue as mudanças e as políticas sociais”, afirmou.

“Até o final do ano, vamos reunir o grupo e definir as candidaturas e eu espero que haja uma unidade”, completou o governador.

Com essa declaração confirma-se que a notícia que parte da imprensa estava divulgando sobre a escolha de Brandão não passa de fakenews.

O chefe do executivo ainda disse que os pré-candidatos e seus aliados, Carlos Brandão e Weverton, se comprometeram com ele sobre acolher um pensamento majoritário de grupo. “O vice-governador Carlos Brandão, que tem me ajudado muito no Governo, quanto o senador Weverton, que tem representado o Maranhão no Congresso, se comprometeram comigo”, disse.

O protagonismo de Carlos Brandão em 2019

Para quem quase não ouviu falar o nome do vice-governador ao longo de todo o primeiro mandato do governador Flávio Dino, a diferença é gigantesca para um mês e meio do novo mandato do governador. Estrategicamente, Brandão emerge no momento certo.

O vice-governador, responsável por levar um grande partido – PSDB – para a coligação de Flávio Dino em 2014, se manteve atuando nos bastidores e na articulação do governo com empresariado e na atração de investimentos para o Estado. E justamente por deixar o governador brilhar se mantendo sempre leal, teve o empenho de Flávio para lhe manter como vice em 2018, quando partidos grandes brigaram intensamente pela vaga.

Agora, em 2019, Carlos Brandão assume nova postura. Percebe que o momento de se tornar mais conhecido e com mais musculatura política e eleitoral, passando por 2020.  Logo no começo do ano, Brandão assumiu o governo durante as férias de Flávio Dino e com intensa agenda de entregas e anúncios. Depois foi o vice-governador que leu a mensagem de abertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa.

Brandão terá papel de destaque nas 40 maiores obras que o governo pretende entregar entre 2019-2020, aparecendo muito mais para muitos municípios. O primeiro foi neste final de semana em Paço do Lumiar, cidade comandada por um grande aliado do vice-governador, o prefeito Domingos Dutra.

Em Paço do Lumiar, Flávio e Brandão entregaram ao lado de Dutra títulos de terras e anunciaram mais asfaltamento para o município.

Com a boa articulação de quem se movimenta bem na direita e na esquerda, entre comunistas e abandonados pelo sarneyzismo, Brandão vai se concretizando agora eleitoralmente para 2022.

Revoada de tucanos do PSDB fortalece reeleição de Flávio Dino

O vice-governador Carlos Brandão mostrou força política ao reunir quase a totalidade dos 30 prefeitos do PSDB em evento do seu novo partido, o PRB, na semana passada. A tendência, segundo os tucanos, é que o partido fique, no máximo, com um ou dois gestores municipais, já que os 27 presentes ao evento ratificaram a posição de sair da legenda.
Além dos prefeitos, os deputados estaduais Neto Evangelista e Sérgio Frota devem deixar o PSDB, assim como o suplente Marcos Caldas. A debandada tucana após o golpe do senador Roberto Rocha, novo presidente do partido, vai fortalecer ainda mais o campo de alianças do governador Flávio Dino, já que os dissidentes migrarão para legendas que apoiam o atual projeto de mudanças para o Maranhão.
Inerte até o momento por estar de férias em Miami, Roberto Rocha terá trabalho para honrar com a garantia de que para cada prefeito que saísse do PSDB, ele iria filiar um novo.
Carlos Brandão, por sua vez, segue se movimentando e se viabilizando, cada vez mais, para continuar como vice-governador. Se esse for seu desejo, ele tem mostrado reunir todas as condições para a tarefa, já que, mesmo com a inesperada decisão da Executiva Nacional do PSDB de interferir no diretório estadual para atender aos caprichos de Roberto Rocha, Brandão mostra que sai maior do que o próprio partido tucano no Maranhão.
A revoada de tucanos maranhenses para outros partidos fortalece, e muito, o projeto de reeleição de Flávio Dino. E mostra o compromisso e parceria dos prefeitos com o governador e o vice-governador.

E agora, Roberto Rocha? Brandão leva 27 dos 30 prefeitos do PSDB a evento do PRB

Em café da manhã realizado nesta quarta-feira (10/01), o vice-governador Carlos Brandão e o presidente do PRB no Maranhão, Cléber Verde, ratificaram a parceria que levará o ex-presidente do PSDB para o partido republicano. O ato contou com a participação de 27 dos 30 prefeitos tucanos do estado e confirma o esvaziamento previsto após o senador Roberto Rocha tomar a força o partido.

A força demonstrada por Carlos Brandão ao levar a grande maioria dos prefeitos para o evento do seu novo partido, além de vice-prefeitos e vereadores, é um recado claro para a direção nacional do PSDB, que chancelou o nome de Roberto Rocha em substituição ao vice-governador no controle da legenda no Maranhão.

A ação mostra também a debandada de prefeitos tucanos do partido, que pode sair de segundo maior no Maranhão para um dos menores do estado. A insatisfação demonstrada pela interferência nacional no tucanato maranhense pode custar caro para as pretensões nacionais do PSDB com a candidatura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a presidência.

Se conseguir tirar mesmo, como previsto, todos esses prefeitos do PSDB, Carlos Brandão dará uma resposta à altura com a manobra realizada por Roberto Rocha para tirá-lo da presidência do partido. E de quebra acabará com todos os planos do senador no Maranhão.

Agora é esperar para ver como Roberto Rocha vai se movimentar nesse jogo. Por enquanto, Brandão está muito próximo de um xeque-mate.

Assim como em 2016, Brandão aproveita passagem pelo governo para atuar em seu reduto

O governador em exercício, Carlos Brandão, repete a sua atuação quando assumiu o mandato em janeiro de 2016, quando o governador Flávio Dino também tirou alguns dias de férias. Brandão irá atuar em inaugurações e obras em seu reduto eleitoral, a cidade de Colinas e região.

No ano passado, Brandão anunciou obras de pavimentação e de abastecimento de água, além da implantação de uma unidade do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) e de um Polo da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) na cidade.

Nesta passagem pelo cargo, Brandão anunciará pacote de melhorias neste sábado, a partir das 9h, em solenidade na Praça Central da cidade. Brandão também inaugura um poço no povoado Alto do Bode e almoça com sua comitiva na inauguração do Restaurante Popular, o primeiro do município e que vai oferecer 700 refeições diariamente no almoço.