Flávio Dino reafirma que vai cumprir acordo com partidos

Em entrevista a Rede Meio Norte, o governador e pré-candidato a senador, Flávio Dino afirmou que o acordo feito para a escolha do seu sucessor, com base em critérios estabelecidos, será cumprido.

Ele evidenciou em primeira mão que a definição do pré-candidato da base governista será no próximo mês: novembro. Anteriormente, o líder do Poder Executivo havia pontuado que a decisão ficaria somente para 2022.

Hoje, há dois nomes cotados: o do senador Weverton Rocha (PDT) e o do atual vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e o secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo (Solidariedade)

A consolidação do pré-candidato é resultado de um acordo firmado com os presidentes dos partidos e lideranças da base aliada, que versou para alguns critérios de escolha, dentre os quais está o posicionamento nas pesquisas de intenção de voto.

MP Eleitoral acusa três pré-candidatos de propaganda antecipada

Por meio do Procurador Regional Eleitoral Juraci Guimarães, o Ministério Público Eleitoral (MPE) ingressou com ações no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE) contra os pré-candidatos ao Governo do Estado, Lahesio Bonfim, Weverton e Carlos Brandão, por realizarem propaganda eleitoral antes do prazo estabelecido na legislação eleitoral.

Nas provas juntadas na ação, Lahesio Bonfim é responsável por atos de promoção pessoal que extrapolam os limites da mera divulgação das realizações de governo, destacando-se a veiculação massiva de promoção pessoal por meio de outdoors, divulgados nas redes sociais Instagram e Facebook, na qual se apresenta explicitamente como candidato ao Governo do Estado. Segundo a ação, desde abril deste ano, foram instalados 30 outdoors distribuídos em diversos municípios maranhenses, com nítida característica de propaganda eleitoral.

Já no caso de Weverton Rocha, foi realizado ato de “lançamento de pré-candidatura”, com ampla participação popular e que contou com a presença de prefeitos, vice-prefeitos, ex-prefeitos, deputados estaduais e federais, senadores e outras lideranças políticas.

Por fim, Carlos Brandão, juntamente com o prefeito do município de Presidente Dutra (MA), Raimundo Alves Carvalho, foram responsáveis pela realização de um comício eleitoral com evidente caráter de propaganda eleitoral antecipada, com ampla participação popular e de lideranças políticas, com elevado nível de organização e presença de elementos padronizados de propaganda eleitoral, destacando-se a existência de adesivos, telões e aparelhagem de som. O evento foi bastante divulgado na rede social Instagram.

Segundo o Procurador Regional Eleitoral Juraci Guimarães: “É perfeitamente natural, e a legislação autoriza, as articulações políticas que antecedem o período eleitoral, sendo possível a reunião e encontros políticos eleitorais em ambientes fechados, a exposição como pré-candidato em entrevistas e debates, contudo, a realização de megaeventos de inusitados lançamentos de pré-campanha, uso massivo de outdoors contendo expressões de caráter eleitoral, com considerável custo financeiro e de grande impacto, demonstram nítida propaganda eleitoral antecipada, que é vedada pela legislação, e ofende a igualdade do pleito além de estimular que outros candidatos realizem práticas ilícitas.”

Nas ações, o MPE requer a concessão de liminares para retirar os outdoors ainda existentes e a remoção publicações nas redes sociais dos pré-candidatos, além da condenação, ao final, da multa pela propaganda eleitoral antecipada.

Flávio Dino tem agenda com Brandão e Weverton e reforça tese de consenso

Durante as inaugurações do Governo do Maranhão neste fim de semana em Coroatá e Lagoa do Mato, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB) pregou a unidade entre os dois dos nomes da pré-disputa para o governo do estado da base, o vice-governador Carlos Brandão e o senador Weverton Rocha.

Em clima de união e descontração, Flávio Dino exaltou as ações do governo, pregou a unidade do grupo e afirmou sobre a escolha entre Weverton e Brandão para sucedê-lo: “Dizem que eles estão brigando ou que vão brigar. Não tem razão de briga, rapaz. Conversando, tudo se arruma, como dizia meu saudoso e querido pai, é no andar da carruagem que as abóboras se ajeitam. Tendo fé e paciência, tudo se resolve“, declarou Dino.

Em Coroará, o governador Flávio Dino fez a inauguração do Instituto Estadual de Educação (IEMA. Durante o evento, houve a tradicional batida de pênaltis entre Weverton e Brandão na quadra de esporte reformada.

“Seguimos firmes no projeto, apostando na unidade”, diz Weverton sobre reunião com Dino e Brandão

O senador Weverton (PDT) participou de uma reunião com o Governador Flávio Dino e o vice-governador Carlos Brandão.

Pela foto, fica claro a pauta da reunião: eleições 2022. Weverton e Brandão são pré-candidatos a sucessão do atual governador.

“Seguimos firmes no projeto, apostando na unidade e trabalhando pelo Maranhão”, disse o parlamentar.

A reunião foi uma espécie de prévia para a reunião de partidos marcada para está segunda-feira (5), quando os partidos do grupo dinista começam a discutir as eleições do ano que vem. A maioria, nesse momento, defende a candidatura de Weverton para o governo.

2022: Escutec também aponta liderança de Weverton dentro do grupo de Dino

Neste sábado, 27, o Jornal O Estado do Maranhão divulgou uma Pesquisa Escutec sobre as eleições de 2022.

Os números colocam a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e o senador Weverton Rocha (PDT) na liderança.

O parlamentar fica em situação de destaque dentro do grupo de Flávio Dino, uma vez que Roseana já deixou claro que pretende concorrer a um cargo proporcional.

No primeiro cenário, estimulado, com doze nomes:

Roseana – 23%
Weverton – 14%;
Edivaldo Holanda Júnior – 13%
Carlos Brandão – 9%
Roberto Rocha – 8%
Eliziane Gama – 3%
Wellington do Curso – 3%
Simplício Araújo – 2%

Os demais nomes: deputado federal licenciado Márcio Jerry; o prefeito Lahesio Bonfim (São Pedro dos Crentes); o deputado federal Josimar de Maranhãozinho e o secretário estadual de Educação, Felipe Camarão, pontuaram com 1%, cada. Nenhum dos candidatos 8% e 13% não souberam ou não responderam.

No segundo cenário, estimulado, no qual são apresentados:

Roseana – 29%
Weverton – 20%
Brandão – 12%
Rocha – 11%
Nenhum deles – 18%
NS/NR – 10%

No terceiro cenário, no qual são citados apenas os nomes de Weverton, Brandão e RR.

Weverton 25%,
Brandão 15%
Rocha 13%.
Nenhum deles 30%
NS/NR 17%

Senado

O levantamento também mensurou a preferência do eleitorado em relação a única vaga para o Senado que estará em disputa.

Flávio Dino – 51%
Roberto Rocha – 21%
Josimar de Maranhãozinho – 8%.
Nenhum deles – 15%.

Presidente

Luiz Inácio Lula da Silva – 54%
Jair Bolsonaro – 20%
Ciro Gomes – 7%
Sérgio Moro – 3%
João Dória – 2%
Luciano Huck – 2%
João Amoedo – 2%
Eduardo Leite – 1%
Nenhum deles – 5%

A pesquisa Escutec foi realizado no período compreendido entre os dias 20 a 25 deste mês. Foram ouvidos 1.400 eleitores. A margem de erro é de 2%, para mais ou para menos, e possui nível de confiabilidade de 90%.

Pesquisa Exata mostra cenários de sucessão de Flávio Dino

O Instituto Exata divulgou hoje, 23, uma pesquisa sobre a intenção de votos da população para as próximas eleições de 2022 de Governador, Senador e Presidente da República.

A pesquisa foi realizada por meio de abordagem em domicílios sorteados. Ao todo, foram ouvidas 1403 pessoas de diversas regiões do Maranhão.

A margem de erro da pesquisa foi de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O intervalo de 95% de confiabilidade.

O primeiro cenário é para governador. Na espontânea, quando o entrevistado é questionado em quem ele votaria se as eleições fossem hoje sem apresentar nomes.

GOVERNADOR – ESPONTÂNEO

Flávio Dino – 10,98%
Roseana Sarney – 5,20%
Senador Weverton – 2,71%
Roberto Rocha – 2,07%
Dr. Lahesio – 0,86%
Josimar de Maranhãozinho – 0,78%
Carlos Brandão – 0,78%
Edivaldo Holanda Júnior – 0,50%

Os demais pontuaram abaixo de 0,50%. Nenhum, brancos e nulos soma-se 3,42% e o que “não sabe/não respondeu” aparece com 70,49%.

GOVERNADOR – ESTIMULADA

No cenário B, onde são avaliados os nomes do senador Weverton, o vice-governador Carlos Brandão e o deputado federal Josimar Maranhãozinho.

Weverton aparece com 32%, seguido de Brandão com 16% e, em terceiro, Josimar com 13%.

No cenário C, o senador Weverton aparece com 36% contra Carlos Brandão com 20%. Nenhum, branco e nulo soma 23%. Não sabe/não respondeu aparece com 21%.

SENADOR – ESTIMULADA

Para o cargo de senador, o atual governador Flávio Dino aparece com 45%, seguido da ex-governadora Roseana Sarney com 18%. Em terceiro, aparece o senador Roberto Rocha com 16%, Josimar Maranhãozinho com 6%, em quarto, e o presidente da Alema, Othelino Neto com 4%, em quinto lugar. Nenhum, branco e nulo soma 5%. Não sabe/não respondeu aparece com 6%.

PRESIDENTE – ESTIMULADA

Para o cargo de presidente da República, Lula aparece com 69%, seguido de Jair Bolsonaro com 16%, logo em seguida, Ciro Gomes com 6%. Em quarto, o ex-juiz Sergio Moro com 4% e, em quinto, Doria com 1%. Nenhum, branco e nulo soma 3%. Não sabe/não respondeu aparece com 1%.

Carlos Brandão perde o Republicanos

O vice-governador Carlos Brandão perdeu o controle do partido Republicanos. Depois de anunciar que mesmo se filiando ao PSDB o partido continuaria na sua base de sustentação, o vice tomou um revés em Brasília. A direção nacional do Republicanos não gostou nada da forma como  Brandão saiu sem dar explicação.

 O presidente nacional do Republicanos, Marcos Pereira, ficou muito chateado por Brandão ter deixado o partido sem explicar a saída e conversar sobre o tema com a legenda, e ainda sair dizendo que mantém o Republicanos debaixo do braço. Ele lembrou que inclusive deu a vice-presidência nacional para Brandão e garantiu a legenda para disputar a eleição de 2018 quando Roberto Rocha tentava levar o PRB. Ainda assim, o vice-governador preferiu sair sem sequer dizer tchau.

Quem está se filiando à legenda é o deputado federal Gil Cutrim. O ex-pedetista vinha tendo uma conversa com o próprio PSDB, partido agora de Carlos Brandão. Com isso, o Republicanos deixa as hostes de Brandão e passa a ser do grupo liderado pelo senador Weverton Rocha.

Flávio Dino diz que só começa a discutir sucessão em julho

Em entrevista ao Bom dia Maranhão, da TV Mirante, o governador Flávio Dino falou sobre o atual cenário político do Maranhão.

Ao ser questionado pelo jornalista Clovis Cabalau sobre quem será o escolhido por ele para ser candidato a governador, Flávio disse que só discutirá a sucesso no mês de julho.

“Em meados deste ano, se Deus quiser, lá para o mês de julho, a gente comece este diálogo com os partidos. A minha disposição, é até o mês de dezembro, termos anunciado os pré-candidatos a governador, vice e também ao senado”, disse.

Dino ressaltou que a escolha será feita após dialogar com todos os partidos aliados. “Nós queremos o nosso grupo unido para apresentar o programa que continue as mudanças e as políticas sociais”, afirmou.

“Até o final do ano, vamos reunir o grupo e definir as candidaturas e eu espero que haja uma unidade”, completou o governador.

Com essa declaração confirma-se que a notícia que parte da imprensa estava divulgando sobre a escolha de Brandão não passa de fakenews.

O chefe do executivo ainda disse que os pré-candidatos e seus aliados, Carlos Brandão e Weverton, se comprometeram com ele sobre acolher um pensamento majoritário de grupo. “O vice-governador Carlos Brandão, que tem me ajudado muito no Governo, quanto o senador Weverton, que tem representado o Maranhão no Congresso, se comprometeram comigo”, disse.

O protagonismo de Carlos Brandão em 2019

Para quem quase não ouviu falar o nome do vice-governador ao longo de todo o primeiro mandato do governador Flávio Dino, a diferença é gigantesca para um mês e meio do novo mandato do governador. Estrategicamente, Brandão emerge no momento certo.

O vice-governador, responsável por levar um grande partido – PSDB – para a coligação de Flávio Dino em 2014, se manteve atuando nos bastidores e na articulação do governo com empresariado e na atração de investimentos para o Estado. E justamente por deixar o governador brilhar se mantendo sempre leal, teve o empenho de Flávio para lhe manter como vice em 2018, quando partidos grandes brigaram intensamente pela vaga.

Agora, em 2019, Carlos Brandão assume nova postura. Percebe que o momento de se tornar mais conhecido e com mais musculatura política e eleitoral, passando por 2020.  Logo no começo do ano, Brandão assumiu o governo durante as férias de Flávio Dino e com intensa agenda de entregas e anúncios. Depois foi o vice-governador que leu a mensagem de abertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa.

Brandão terá papel de destaque nas 40 maiores obras que o governo pretende entregar entre 2019-2020, aparecendo muito mais para muitos municípios. O primeiro foi neste final de semana em Paço do Lumiar, cidade comandada por um grande aliado do vice-governador, o prefeito Domingos Dutra.

Em Paço do Lumiar, Flávio e Brandão entregaram ao lado de Dutra títulos de terras e anunciaram mais asfaltamento para o município.

Com a boa articulação de quem se movimenta bem na direita e na esquerda, entre comunistas e abandonados pelo sarneyzismo, Brandão vai se concretizando agora eleitoralmente para 2022.

Revoada de tucanos do PSDB fortalece reeleição de Flávio Dino

O vice-governador Carlos Brandão mostrou força política ao reunir quase a totalidade dos 30 prefeitos do PSDB em evento do seu novo partido, o PRB, na semana passada. A tendência, segundo os tucanos, é que o partido fique, no máximo, com um ou dois gestores municipais, já que os 27 presentes ao evento ratificaram a posição de sair da legenda.
Além dos prefeitos, os deputados estaduais Neto Evangelista e Sérgio Frota devem deixar o PSDB, assim como o suplente Marcos Caldas. A debandada tucana após o golpe do senador Roberto Rocha, novo presidente do partido, vai fortalecer ainda mais o campo de alianças do governador Flávio Dino, já que os dissidentes migrarão para legendas que apoiam o atual projeto de mudanças para o Maranhão.
Inerte até o momento por estar de férias em Miami, Roberto Rocha terá trabalho para honrar com a garantia de que para cada prefeito que saísse do PSDB, ele iria filiar um novo.
Carlos Brandão, por sua vez, segue se movimentando e se viabilizando, cada vez mais, para continuar como vice-governador. Se esse for seu desejo, ele tem mostrado reunir todas as condições para a tarefa, já que, mesmo com a inesperada decisão da Executiva Nacional do PSDB de interferir no diretório estadual para atender aos caprichos de Roberto Rocha, Brandão mostra que sai maior do que o próprio partido tucano no Maranhão.
A revoada de tucanos maranhenses para outros partidos fortalece, e muito, o projeto de reeleição de Flávio Dino. E mostra o compromisso e parceria dos prefeitos com o governador e o vice-governador.