Com Weverton e Eliziane, Maranhão passou a saber de fato o que é ter senadores

O senador Roberto Rocha (PSDB) já está no seu último ano de mandato e não mostrou mesmo a que veio na Câmara alta. Rocha foi eleito senador pelo Maranhão nas eleições de 2014, pelo PSB, na chapa do governador Flávio Dino, prometendo que os maranhenses iriam saber para que serve um senador. Uma promessa que não se cumpriu. Uma produção abaixo da crítica e se perguntar a qualquer maranhense sobre alguma ação do ainda tucano, ninguém saberá responder.

Ao contrário dele, os senadores Weverton (PDT) e Eliziane (Cidadania), eleitos em 2018, fizeram com que o Maranhão finalmente soubesse que existe representantes no senado.

Em menos de 3 anos, Weverton já fez quase 100 propostas de Emenda à Constituição (PEC), quase 300 requerimentos e quase 60 projetos de lei (PL), além de outras proposições. Graças à aprovação do seu projeto, hoje milhares de famílias não podem mais ter sua energia elétrica cortadas às sextas-feiras e em vésperas de feriado.

Além disso, já destinou inúmeras emendas parlamentares para os municípios maranhenses, em destaque para a Saúde, garantiu unidades do Hospital do Amor, destinou equipamentos para os conselhos tutelares de dezenas de cidades do Maranhão possam dar assistência às crianças e adolescentes e acompanha in loco os problemas do estado, como no caso das enchentes em Imperatriz mais recentemente.

A atuação política de Weverton também é destaque. Ele foi líder da bancada do PDT no Senado e participa de inúmeras comissões, incluindo, a mais importante: de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Já a senadora Eliziane propôs 101 PEC’s, 31 projetos de lei, mais de 330 requerimentos, além de outras proposições.

Ela participa de inúmeras comissões, entre elas, a de Constituição, Justiça e Cidadania, Frente Parlamentar da Covid-19 e a CPMI das FakeNews.

A atuação de Elizane na CPI da Covid deu a ela grande destaque nacional, mudando os rumos daquela comissão.

Brandão cancela agendas políticas deste mês após repercussão negativa

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (05) o cancelamento de uma série de encontros regionais da sua pré-campanha de governador. Ele teria encontros políticos em Bacabal, Imperatriz e Caxias.

Brandão cumpre férias fora do Brasil, e após a repercussão negativa de não prestar assistência as famílias carentes dos municípios atingidos, ele resolveu visitar as cidades e agora cancelar toda sua agenda.

“Amigas, amigos: todas as atividades de relevância política, das quais participaria este mês, estão canceladas. Nossa prioridade é a atenção às pessoas. Seguimos com o cronograma do Governo do Estado de acompanhamento das enchentes”, disse o vice.

Enquanto Weverton trabalha em prol dos atingidos pelas chuvas, Brandão some

Parece que o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) não se importa com o povo maranhense. Enquanto dezenas de famílias sofrem com as enchentes em diversas cidades do estado, ele curte nos Estados Unidos com a família.

Com o governador Flávio Dino (PSB) com Covid-19 e se recuperando, o vice-governador deveria mostrar trabalho e ajudar a coordenar as ações em prol da população que mais precisa.

A exemplo de Bolsonaro (PL) que não se importou com a Bahia, o vice não liga para os maranhenses sofrendo. Se tivesse espírito público, interromperia as férias e já estava no Maranhão.

Com o estado de saúde do governador e a ausência do vice, quem foi “escolhido” para liderar as ações foi o deputado federal licenciado e secretário estadual de Cidades, Márcio Jerry (PCdoB).

Brandão deveria seguir o exemplo do senador Weverton (PDT), que está acompanhando de perto e tomando providências para ajudar as famílias. Inclusive, o senador incluiu cidades maranhenses atingidas pelas chuvas junto com as baianas na comissão de ajuda federal.

Esse é o próximo governador que Flávio Dino escolheu para os maranhenses?

Brandão tem péssimo desempenho em pesquisa em Milagres do Maranhão

O Instituto Nacional de Opinião Pública (INOP) realizou uma pesquisa de intenção de votos para o Palácio dos Leões, no município de Milagres do Maranhão e constatou o péssimo desempenho da pré-candidatura a reeleição do vice-governador, Carlos Brandão (PSDB).

No cenário estimulado, o tucano pontuou apenas 0,25% da preferência do eleitorado, mesmo desempenho do senador Roberto Rocha (sem partido) e do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PSD).

Quem lidera a disputa é o senador Weverton Rocha, pré-candidato do PDT, que obteve 51,35% das intenções de voto.

O deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) cravou 12,78%; seguido pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB), com 12,29%; e pelo prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahésio Bonfim (PSL), com 1,97%.

Felipe Camarão (PT), que já desistiu do projeto governamental e Simplício Araújo (SDD) não pontuaram. Não souberam ou não responderam 19,88% e nenhum deles 0,98%.

Foram entrevistados 407 eleitores, no período compreendido entre os dias 14 a 16 de outubro, na região da sede do município e em povoados. A margem de erro é de 3,5%, para mais e para menos, tendo o levantamento nível de confiabilidade de 95%.

Dino admite que Brandão pode não ser o candidato

Em entrevista à TV Mirante, nesta terça-feira (21), o governador Flávio Dino admite que pode mudar de posição em relação a Brandão e respeitar posição do colegiado de partidos na reunião do final de janeiro.

“Tenho muita confiança na união e mudaria minha posição se a maioria a rejeitasse”, disse o governador.

Recentemente, o gestor declarou que seu candidato escolhido para disputar as eleições majoritárias em 2022 será o vice-governador Carlos Brandão. Mas, na entrevista, disse que sua opinião pode mudar se a maioria do seu grupo de apoio político rejeita-la.

“Nós temos 13 partidos que integram hoje o governo. Existem prefeitos, deputados e a bancada federal que nos apoia. Esses são os núcleos decisórios principais. Apresentei minha opinião e vou aferir. Se a maioria considerar que a minha posição está errada é óbvio que eu serei o primeiro a revê-la”, afirmou Flávio.

 

Pré-candidatura de Brandão não engrena após anúncio de preferência de Dino

Após 10 dias do anúncio do governador Flávio Dino pela preferência do nome do vice-governador Carlos Brandão para ser seu sucessor, o resultado foi pífio.

O grupo do vice-governador esperava uma avalanche de apoios e até agora só tiveram três apoios declarados.

O primeiro foi do prefeito Luís do Amovelar Filho, de Coroatá, que já se esperava aderir ao pré-candidato de Dino. O enrolado pai do prefeito levou o filho para vestir a camisa amarela do PSDB.

Segundo foi o deputado estadual Leonardo Sá, que era aliado do deputado federal Josimar de Maranhãozinho. Ele sairá do PL e deve seguir caminho para outra legenda.

O terceiro é o deputado estadual Antônio Pereira. Apesar de ser do DEM, ele nunca foi do grupo de Weverton, também pré-candidato a governador. Já era um apoio esperado para o candidato dinista.

No mais, Brandão não tirou nenhum deputado ou prefeito que estivesse na base de outro pré-candidato até o momento.

Jeisael Max e Othelino Neto se reúnem para debater 2022

O ex-candidato a prefeito de São Luís e representante da Rede Sustentabilidade, Jeisael Max, se reuniu com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto.

Durante a reunião, Jeisael ressaltou que existe a possibilidade de está junto com o parlamentar nas eleições de 2022.

“Conversa produtiva e de convergência, apontando para uma definição de minha posição no cenário. Não dá pra fazer política sozinho, e é preciso estar onde se é bem-vindo. E eu me senti bem recebido pelo presidente Othelino, por quem sempre tive muito respeito, e acredito na possibilidade de estarmos juntos no mesmo projeto em 2022”, disse Jeisael.

Neto Evangelista e Ciro Neto afirmam que adiamento da decisão sobre pré-candidato governista foi acertada e madura

Em pronunciamento na tribuna, durante a sessão plenária desta terça-feira (30), os deputados Ciro Neto (PP) e Neto Evangelista (DEM) destacaram a reunião do grupo político liderado pelo governador Flávio Dino (PSB), realizada ontem à noite, no Palácio dos Leões, para tratar sobre a sucessão ao governo do Estado.

Ambos os parlamentares ressaltaram a posição madura adotada pelo governador em deixar para janeiro a decisão do nome do pré-candidato do grupo político. “Foi uma decisão madura que demonstra sua determinação em buscar a unidade do seu grupo político”, afirmou Neto Evangelista.

“Ressalto a atitude acertada do governador em adiar a decisão sobre o pré-candidato do seu grupo político. Com esse gesto, o governador demonstra preocupação de manter a unidade entre todos aqueles que fazem parte do seu grupo político”, salientou Ciro Neto.

Apoio a Weverton

Ambos os parlamentares reafirmaram apoio à pré-candidatura do senador Weverton (PDT), pois entendem que é quem está mais preparado para tocar os rumos do Estado do Maranhão.

Lobão Filho diz que Roseana candidata a senadora tira o sono de Flávio Dino

O ex-senador Lobão Filho concedeu uma entrevista ao Programa Ponto Continuando e falou sobre a sua volta à política e sua pré-candidatura a deputado federal.

Durante o bate papo, Edinho falou sobre sua pré-candidatura a deputado federal. “Nós estamos numa pré-candidatura, discutindo, analisando, andando pra saber como é que a população vê uma possível candidatura minha. Muito feliz em ver que aonde tenho andado, onde tenho passado, o carinho com que as pessoas tem recebido, me passa, claramente, a mensagem de que eu poderei realmente ser um candidato exitoso, vitorioso”, disse.

Questionado sobre sua volta à política, ele destacou que retornou ao cenário por conta de sua insatisfação com a atual situação do estado. “O que me fez pensar e voltar à vida pública é que, pra falar a verdade, eu não estou muito não estou muito satisfeito com o que tem acontecido aqui no Maranhão, o rumo da gestão pública no estado. Pra mim tem sido decepcionante e é muito pesaroso você olhar isso à distância e saber que pode fazer alguma coisa e não fazer nada”, explicou.

Edinho disse que continua no MDB, e que Roseana Sarney como candidata a deputada federal vai ajudar a legenda fazer 4 deputados. Ainda disse que a ex-governadora será a divisora de águas nas eleições de 2022 e que ela pode tirar o sono do atual governador Flávio Dino, que é pré-candidato a senador.

O ex-senador avalia que Roseana pode compor com um candidato a governador, ser candidata a senadora e que ganharia de Flávio. “Quando Flávio Dino sair do governo, vai viver uma realidade diferente”, ao explicar que ele perderá apoio de prefeitos e lideranças políticas.

Lobão ainda disse que acredita que Flávio Dino anunciará o vice-governador Brandão como seu pré-candidato a sucessão. E reafirmou o apoio ao pré-candidato a governador, senador Weverton (PDT). Disse que é possível que o MDB pode vim a compor com o grupo do atual governador, mas que é difícil.

Júlio Mendonça filia-se ao PSB Maranhão

Nesta terça-feira,16, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) do Maranhão, recebeu um reforço importante, o presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural, Júlio Mendonça filiou-se a sigla.

A articulação foi feita pela presidência do partido, que vem buscando fortalecer ainda mais a sigla para as eleições 2022.

O novo pessebista fez um bom trabalho enquanto membro do PCdoB, partido que deixou com ar de gratidão. Júlio é tido como um nome forte da base governista, que pode garantir uma cadeira Assembleia Legislativa.

A cerimônia aconteceu na sede do PSB estadual e contou com a presença do Governador Flávio Dino, do prefeito de Viana Carrinho Cidreira; do prefeito de Pedro Rosário, Toca Serra e do prefeito de São Mateus Ivo Rezende.  Também participaram da solenidade o Deputado Estadual Duarte Júnior, os Secretários de Estado Carlos Lula, Rogério Cafeteira e Lívio Corrêa, além de vereadores de Viana e São Luís.

Na ocasião, também filiou-se ao PSB o Secretário Adjunto de Articulação Política Política Estado, Edinaldo Neves.