Política maranhense em notas

Defesa da democracia em São Luís

naovaitergolpeO dia em que o golpe militar completa 52 anos foi marcado por manifestações em defesa democracia em todo país. Em São Luís, manifestantes se concentraram na Praça João Lisboa e seguiram até a Praça Deodoro em ato contra a tentativa de golpe, com o impeachment da presidente Dilma. 600 pessoas participaram do ato realizado no Centro, segundo a organização. A Polícia Militar informou que não vai divulgar os números.Aos gritos de “não vai ter golpe”, eles reivindicaram a permanência da presidente Dilma no mandato. O movimento é organizado por integrantes de movimentos sociais, estudantis e centrais sindicais.

Imperatriz contra o golpe

IMG-20160331-WA0102Em Imperatriz, o grito contra o golpe foi ainda mais intenso. Mais de 1,5 mil manifestantes se reuniram na Praça de Fátima.  Na valente cidade da região tocantina, as bandeiras vermelhas e do Brasil tremularam pedindo respeito à democracia. O professor Paulo Maciel, um dos organizadores do ato em Imperatriz, afirmou que é preciso lutar já que, “inconformada com os avanços sociais, uma minoria elitista, quer, de todas as formas desmoralizar um dos maiores símbolos da democracia brasileira: o voto, promovendo um golpe chamado de impeachment”.

Data histórica lembrada na Assembleia

othelino0703O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) aproveitou o dia 31 de março, aniversário do golpe militar no Brasil, para sair em defesa do estado democrático de direito no país, em um momento de grave crise institucional. “Não se pode cassar governo por impopularidade, pois quem faz isso é o povo nas urnas, assim como aconteceu no Maranhão, em 2014, quando a população resolveu dar um basta no domínio do grupo Sarney. Não se pode passar por cima da democracia”, frisou. O deputado recordou que, em 31 de março de 1964, o Brasil passou a viver uma das  páginas mais tristes da sua história com o golpe militar e as consequências mais danosas e mais graves possíveis para o país.

Mais um em defesa de Fernando Sarney

joaomarceloO Deputado Federal João Marcelo de Souza (PMDB-MA) é membro titular da  CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) instalada na última terça- feira (29) em Brasília, para investigar  denúncias envolvendo as entidades CBF e FIFA. No senado, o pai de João Marcelo, senador João Alberto (PMDB-MA) preside a CPI do futebol defendendo os interesses da CBF e, consequentemente, do vice-presidente da entidade, Fernando Sarney.

Tudo para última hora

sebastiaoalbuquerqueOs vereadores ainda sem partido na Câmara Municipal de São Luís deixarão mesmo para os 45 do segundo tempo a decisão. Ricardo Diniz (ex-PHS), Sebastião Albuquerque (ex-DEM), Bárbara Soeiro (ex-PMN) e Luciana Mendes (ex-PTdoB) não fecharam ainda com nenhuma legenda. Somente Estevão Aragão acertou com o PSB. O prazo encerra no sábado (2). Ou seja, restam dois dias para articular.

Chaguinhas e Rêgo ficam no PP

elizianemanoelchaguinhasDepois de terem anunciado que estavam se desfiliando do PP em virtude da filiação de Wellington do Curso, os vereadores Manoel Rêgo e Chaguinhas decidiram ficar no partido. Os dois esbravejaram e anunciaram que estavam de saída para um partido que apoiasse a pré-candidata Eliziane Gama. Mas o prazo estava encerrando e as portas de todas as legendas possíveis já estavam fechadas. Foi o jeito voltarem mansinhos. Os vereadores disseram que mesmo se Wellington for candidato a prefeito, irão fazer campanha para Gama. Será uma situação muito curiosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *