Maior bandeira de Hildo Rocha, “Distritão” é rejeitado

O deputado federal Hildo Rocha passou a maior vergonha na votação do chamado “distritão”. Hildo passou os últimos dias sendo o principal defensor da proposta que foi rejeitada ontem na Câmara dos Deputados. Apenas 205 deputados apoiaram a alteração, outros 238 foram contrários. Para que a proposta avançasse, eram necessários pelo menos 308 votos.

O deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) deu uma enquadrada em Hildo ao afirmar que ele não entende nada de regimento interno quando o maranhense tentou barrar a votação.

Pelas regras atuais, deputados federais, estaduais e vereadores são eleitos no modelo proporcional com lista aberta. A eleição passa por um cálculo que leva em conta os votos válidos no candidato e no partido. Esse cálculo chama quociente eleitoral. O modelo permite que os partidos se juntem em coligações.

Pelo cálculo do quociente, é definido o número de vagas que cada coligação terá a direito, elegendo-se, portanto, os mais votados das coligações.

Pelo “distritão”, cada cidade ou estado passaria a ser considerado um distrito e seriam eleitos os candidatos a vereador e a deputado que recebessem mais votos.

E a reeleição de Hildo ficou muito difícil sem a aprovação do “distritão”.

Nelma Sarney autorizou cartório a contratar empresa do próprio sobrinho por R$ 750 mil

Blog do Garrone – A contratação da empresa M.S. Informática e Consultoria pela 1ª Zona de Registro de Imóveis de São Luís em 2014 é mais um carimbo que autentica as suspeitas que recaem sobre a desembargadora Nelma Sarney e o delegatário Ricardo da Silva Gonçalves, nomeado por ela  quando no cargo de corregedora-geral de Justiça para responder interinamente pelo cartório mais rentável do Maranhão, com faturamento médio mensal entre 1 e 2 milhões reais.

Dos sócios Fábio Henrique Sales Souza, identificado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) por movimentações bancárias suspeitas vinculadas ao deputado Edilázio Júnior, genro da desembargadora, e Fábio Tito Soares, sobrinho por parte do seu marido, Ronald Sarney, irmão de José Sarney, a M.S. Informática foi contratada por R$ 750 mil para prestar serviços de informática como parte de um projeto de modernização do cartório de imóveis com a autorização expressa da ex-corregedora.

Decisão de Nelma Sarney aprovando a contratação da empresa que tem como                                       sócio o próprio sobrinho, Fábio Tito Soares

Além dos laços familiares, a contratação da M.S. chama a atenção pela forma com que foi autorizada. Nelma Sarney se limitou a deferir o pedido de Gonçalves, sem qualquer análise motivada e fundamentada para a escolha da referida empresa.

Em seu requerimento, Ricardo Gonçalves não apresentou cotação de preço e justificou a indicação por não ter encontrado no mercado uma empresa que tivesse capacidade e aptidão para desenvolver o projeto de modernização tecnológica previsto, além da M.S. “que já desenvolve atividades semelhantes para o TJ/MA, Governo do Maranhão, Detran, Alumar”, etc. (Leia Aqui)

Gabarito constatado em 2015, quando auditoria da Secretaria de Estado de Transparência e Controle descobriu que em um dos contratos celebrados durante o governo Roseana Sarney, a M.S. teria superfaturado preço, não prestado todos os serviços contratados e não teve impostos retidos na fonte; dentre outras irregularidades que provocaram um prejuízo de R$ 4,2 milhões aos cofres públicos.(Veja Aqui)

Decisão do TJ datada de 01 de outubro autorizando o projeto de modernização                                               proposto por Ricardo Gonçalves

Por mais que se considere as “atividades semelhantes” como suficientes para a escolha direta da empresa do sobrinho e do aliado de Edilázio, a contratação da M.S. contraria a determinação do Conselho Nacional de Justiça que só permite a contratação ou qualquer outro tipo de gasto realizada pelos designados interinamente, como no caso de Ricardo Gonçalves, com a devida autorização do tribunal de Justiça.

Nota fiscal de R$ 250 mil emitida no dia 29 de setembro de 2014 referente ao pagamento da primeira etapa realizada 30 dias antes – o projeto foi dividido em três – revela que a “modernização” começou bem antes da Sessão Administrativa do Órgão Especial do TJ/MA, que aprovou o projeto em 01 de outubro.

Nota fiscal emitida dia 29 de setembro por serviços prestados 30 dias antes pela                                            M.S sem a autorização do TJ

Se contado os dias, a empresa do parente e do correligionário começou a “trabalhar” tão logo a então corregedora Sarney autorizou a contratação extraordinária de serviços de informática em 25 de agosto, sem sequer esperar o referendo da presidência do tribunal, que no dia 24 de setembro submeteu a questão a julgamento administrativo pelo Órgão Especial.

Ofício do Ministério da Integração desmente jornal de Roseana

O jornal O Estado do Maranhão, de propriedade da família Sarney, tentou hoje abafar a grave denúncia que pesa sobre a quatro vezes governadora Roseana Sarney. Uma fiscalização interna do Ministério da Integração Nacional apura desvio de até R$ 18 milhões de recursos destinados para obras emergenciais após enchentes no estado em 2009. À época, o ministro da Integração é o hoje detido Geddel Vieira Lima, das malas de dinheiro, e a governadora que assinou o pedido para os recursos era a hoje candidata a quinto mandato Roseana Sarney.

Hoje, o jornal de Roseana tenta desqualificar a denúncia, apresentando um documento assinado pelo ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho. No documento, Barbalho, aliado dos Sarney, afirma que não há investigação no Ministério sobre desvios na gestão Roseana Sarney.

No entanto, um ofício do próprio ministério desmente o ministro aliado dos Sarney. No dia 10 de março de 2017, ofício assinado pelo coordenador-geral de Prestação de Contas e Convênios, Bruno Dourado, endereçado a José Miguel Lopes Viana, diretor do Departamento Estadual de Infraestrutura e Transporte do Maranhão (Deint-MA) do governo Roseana Sarney, prova que o Ministério da Integração Nacional instaurou um processo de fiscalização com pedido que orienta a glosa de  R$ 18 milhões – com valores atualizados – em contrato realizado pelo Ministério e o governo do Estado.

O ofício faz parte do processo de nº 59050.001042/2009-61 e deixa claro que “não havendo regularização da Avença, o Estado será inscrito como inadimplente no SIAFI, tornando obrigatório o encaminhamento do processo para instauração da Tomada de Contas Especial”. Ou seja, diferente do que o ministro Jader Barbalho afirmou, o Ministério está apurando irregularidades na aplicação das verbas destinadas às enchentes do Maranhão no governo Roseana Sarney.

Entenda o caso

A investigação do governo federal apura o destino de parte dos recursos repassados ao Governo do Maranhão em 2009 com o objetivo de recuperar rodovias em quase 70 municípios do estado. Os recursos deveriam ter recuperado rodovias após uma enchente no estado. Fiscalização de execução interna do Ministério da Integração Nacional orienta a glosa de R$ 18 milhões – com valores atualizados – em contrato realizado por aquele órgão e o governo do Estado.

O que se viu, no entanto, pelo relatório da fiscalização foi bem diferente. O documento mostra que o Ministério da Integração Nacional viu “descaso”, “desrespeito” e “má-fé” dos executores da obra. O Ministério da Integração Nacional conclui que ao menos R$ 18 milhões transferidos não se transformaram em obras.

Nesta quarta-feira (20), o atual ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, enviou ofício para desmentir o parecer técnico da sua própria pasta alegando que nunca houve fiscalização sobre o assunto.

Hélder Barbalho é filho do senador do Pará, Jader Barbalho, que integra organização criminosa junto com José Sarney, o ‘quadrilhão do PMDB’, suspeitos de receber R$ 864 milhões em propina, segundo a PGR.

O gesto do atual ministro desmentindo técnicos do seu próprio Ministério é um pedido de Sarney ao comparsa Jader para tentar livrar Roseana Sarney de mais um escândalo de desvios milionários, desta vez com Geddel Vieira Lima, que há duas semanas foi preso por possuir um bunker com R$ 51 milhões em espécie, em um apartamento em Salvador.

E assim o ‘quadrilhão do PMDB’ vai atuando junto para tentar se salvar das denúncias milionárias. Nesse caso, Hélder só esqueceu de combinar com os seus funcionários.

Lideranças que apoiam Weverton para o Senado se reúnem em Imperatriz

Weverton tem feito grandes atos de pré-campanha

Lideranças políticas de todo o estado voltam a se reunir no sábado, 23, em Imperatriz em apoio à pré-candidatura do deputado Weverton Rocha ao Senado em 2018. O encontro acontecerá às 16h, na loja maçônica Lauro Tupinambá, no bairro Bacuri.

Em Imperatriz os apoiadores de Weverton se reúnem pela sexta vez. “O movimento tem crescido e todos os dias recebemos a declaração de apoio de novos prefeitos e novas lideranças”, afirma Erlânio Xavier, prefeito de Igarapé Grande e um dos organizadores do encontro.

O primeiro evento aconteceu em dezembro de 2016, em Santa Inês, na casa da prefeita eleita Vianey Bringel, reuniu algumas lideranças e foi a semente de um projeto de reuniões que passaram a acontecer a cada dois meses, em Codó, Barra do Corda, Balsas e Pedreiras, com um número crescente de presenças de deputados federais e estaduais, prefeitos, vereadores e lideranças locais.

“Estamos em um projeto coletivo de construção de uma pré-candidatura que representa os anseios e as aspirações de todos”, explica Weverton Rocha. “Nosso objetivo é rodar o Maranhão, ouvir as pessoas e, a partir da necessidade de todos, formar um conceito de atuação representativa do nosso estado”, conclui.

Sérgio Frota também mostra insatisfação com filiação de Rocha e diz que seguirá como aliado do governador

O vice-governador Carlos Brandão, o deputado estadual e secretário estadual de desenvolvimento Neto Evangelista e o prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando, já haviam se manifestado publicamente sobre a insatisfação com a chegada de Roberto Rocha ao partido. Desta vez, o deputado Sérgio Frota também se manifestou com muita indignação pelas instâncias estaduais do partido não terem sido ouvidas.

“Não fui consultado. Não sei se deputado estadual é importante no PSDB. Mas a minha postura no Maranhão é de apoio ao governo Flávio Dino. Faço parte, como membro do PSDB, da base de apoio ao governo porque acredito nele”, afirmou.

Questionado se sairia do partido com a chegada de Rocha, Frota preferiu não condicionar, mas diz que aguardará os desdobramentos do partido e até mesmo a reforma eleitoral.

“É preciso haver esta discussão dentro dos partido e é salutar que todos no Maranhão sejam ouvidos. Temos uma postura no Maranhão diferente de outros estados. Temos o vice-governador e fomos fundamentais na aliança com o governador. Vamos esperar o que acontece e de acordo com os desdobramentos da reforma política e tomamos uma posição. O PSDB é um partido democrático e para termos força, é preciso ouvir quem faz o PSDB do Maranhão”, pontuou.

 

Dono do DataIlha mostra que instituto funciona normalmente e aciona polícia por conta de notícia falsa

O proprietário do Instituto DataIlha, Josiel Melo de Moraes, registrou um Boletim de Ocorrência contra a “informação” divulgada em blogs sarneystas e até no jornal O Estado do Maranhão de que o instituto seria fantasma.

A postagem mostra uma casa a cerca de 20 metros de onde funciona de fato o instituto. Bastava o autor ter andado mais um pouco que iria ver a placa do instituto DataIlha na casa azul. A postagem apontou a casa verde como se esta fosse a sede do instituto. Veja na foto abaixo:

O dono do DataIlha é Bacharel em Estatística, Graduado na Universidade Federal do Pará, e especialista em Pesquisa de Opinião pública.

O instituto, aliás, foi o que acertou com maior precisão o resultado das eleições de São Luís, no segundo turno.

Boletim de Ocorrência registrado pelo dono do Data Ilha

O ataque se deu porque o DataIlha divulgou pesquisa de intenção de votos para o governo do estado mostrando a liderança isolada do governador Flávio Dino. O nosso Blog nem divulgou a pesquisa por considerar que ela já estaria um pouco envelhecida por ter sido feito no final de agosto. Mas o leitor pode conferir os números no Blog do Gilberto Lima:

Leia: Flávio Dino lidera pesquisa com mais de 20 pontos à frente de Roseana Sarney, diz pesquisa

Vem aí uma pesquisa novinha para dirimir todas as dúvidas sobre o cenário eleitoral de 2018.

Assembleia aprova criação do Programa Cartão Transporte Universitário

O Plenário da Assembleia Legislativa aprovou, na sessão desta terça-feira (19), a Medida Provisória  número 250/17,  que cria o Programa Cartão Transporte Universitário. E mais uma vez, os deputados de oposição criticaram, criticaram, mas aprovaram a medida.

Em plenário, os trabalhos foram conduzidos pelo deputado Humberto Coutinho (PDT), que fez a verificação de quórum a pedido da oposição e leu o teor do Projeto de Lei de Conversão, de autoria da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania e Cidadania, oriunda da Medida Provisória nº 250/2017, que institui o Programa de Cartão de Transporte Universitário.

O Cartão Transporte Universitário vai auxiliar jovens que precisam percorrer distâncias de mais de 100 km entre suas residências e as instituições de ensino onde estão matriculados. Para o semestre 2017.2, o programa vai beneficiar mil universitários com o auxílio de R$ 800, em parcela única, que amenizará o impacto econômico na sua vida acadêmica e incentivará a a permanência e a continuidade dos estudos.

Seguindo exemplo do mestre Sarney, Temer chega a quase 90% de rejeição

Até quando o assunto é rejeição popular o presidente Michel Temer (PMDB) vem conseguindo seguir à risca as orientações do oligarca José Sarney, apontado como principal conselheiro do presidente.

Temer conseguiu emplacar taxa de rejeição tão alta quanto os índices de desaprovação acumulados por Sarney quando ele governou o país, no final da década de 1980, chegando a quase 90% de rejeição.

Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) com o Instituto MDA Pesquisas e divulgada nesta terça-feira (19), apenas 3,4% dos brasileiros julgam a administração do peemedebista positiva e 84,5% rejeitam o desempenho pessoal de Temer.

Com menos de 4% de aprovação, Temer conseguiu ter a pior avaliação da série histórica da pesquisa CNT/MDA, que vendo sendo realizada desde 1998, durante o primeiro mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

A intragável gestão Temer conseguiu uma vergonhosa façanha: ser pior avaliada do que o último ano do governo Sarney, que em 1989, no auge da crise da hiperinflação, contava com apenas 5% de aprovação entre os brasileiros.

Comissão da Assembleia irá vistoriar Ferryboat na próxima terça-feira (26)

Bira, presidente da comissão de assuntos municipais, anunciou o adiamento da vistoria

A Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa do Maranhão adiou para a próxima terça-feira (26) a vistoria ao Ferryboat, no mesmo horário, às 15h. O anuncio foi feito pelo presidente da Comissão, deputado estadual Bira do Pindaré (PSB).

“Eu peço à Mesa que oriente a comissão, a assessoria e toda a Casa para que a gente possa cumprir esse objetivo, e conto com a presença de todos os deputados desta Casa”, ressaltou.

A vistoria atende um requerimento do deputado estadual Junior Verde. Bira destacou que muitas vistorias já foram feitas, e que mudanças já aconteceram, mas que é preciso avaliar para que outros passos possam ser dados no sentido de melhorar ainda mais o atendimento para população da baixada.

Conselho federal aprova contas de Mário Macieira e desmoraliza Thiago Diaz

Mário Macieira tem contas aprovadas

Na manhã desta segunda-feira (18), a terceira Câmara do Conselho Federal da OAB aprovou por unanimidade as contas da diretoria da seccional maranhense da OAB de 2015. O órgão federal reformou o acórdão da seccional maranhense, que sob o comando do presidente Thiago Diaz, rejeitou as contas.

O presidente da Ordem maranhense vive mesmo um inferno astral. Está perdendo a cada dia força política na OAB e perdendo credibilidade por não cumprir muitas das promessas de campanha. Agora, a decisão do Conselho Federal também aponta para uma “caça às bruxas” de Thiago ao antecessor.