Oposição diz que “inauguração” do Hospital do Câncer é um engodo

Marcelo e Othelino criticaram inauguração do hospital

Marcelo e Othelino criticaram inauguração do hospital

Os deputados Marcelo Tavares (PSB) e Othelino Neto (PCdoB) questionaram, na sessão desta terça-feira (26), o discurso de deputados governistas que foram à tribuna elogiar a mudança de perfil do Tarquínio Lopes, que passou a se chamar Hospital de Câncer do Maranhão, e que ainda foi “inaugurado” pela governadora do Maranhão, Roseana Sarney, nas antigas instalações.

 

Na tribuna, Othelino Neto reforçou o discurso do deputado Eduardo Braide (PMN) que teve, em 2011, aprovada uma emenda constitucional que criou o Fundo Estadual de Combate ao Câncer, mas que, até hoje, o Poder Executivo não encaminhou projeto de lei complementar para que sejam destinados recursos para o Hospital Aldenora Belo e para o agora Hospital do Câncer, antes Tarquínio Lopes.

 

“O governo do Maranhão, com a insensibilidade tradicional, demora três anos para regulamentar esse Fundo, porque trata esse assunto com tão pouca importância. E pior: brinca de cuidar do assunto quando diz que vai inaugurar, daqui a poucos dias, aquela clínica fantasma que recebe R$ 30 mil por mês de propriedade do candidato a governador apoiado pelo grupo Sarney, Edinho Lobão (PMDB)”, comentou Othelino Neto.

 

Segundo Marcelo Tavares, o governo só mudou o perfil do Tarquínio Lopes para Hospital do Câncer somente em razão de protestos de parlamentares da Oposição, que vem denunciando o descaso do governo com os pacientes com a doença no Maranhão.

 

Nada mais que o Geral

 

“É até bem-vindo este gesto do governo, mas nada mais é do que o Hospital Geral. Falam tanto e não houve nenhuma inauguração de hospital novo. É uma vergonha que nós tenhamos, ainda no ano de 2014, o Estado sem oferecer um serviço de radioterapia aos pacientes. De forma vergonhosa, o Maranhão, mais uma vez, deixa de apresentar uma solução correta, definitiva, exitosa para mais uma vez tentar enrolar a população”, disse Marcelo Tavares.

 

Marcelo acrescentou que, em vez de buscar uma solução definitiva para o problema, o Governo do Estado limitou-se a apenas fazer uma modificação do perfil do Hospital Tarquínio Lopes, que passa a ser agora um hospital contra o câncer. “Tudo bem, que seja, mas que, de fato, pudesse fazer todos os tratamentos necessários ao efetivo combate ao câncer. Este novo hospital está longe de apresentar a solução que a população do Maranhão precisa”, ressaltou.

 

Aldenora Belo superlotado

 

Othelino Neto reforçou as palavras de Marcelo Tavares, observando que o Hospital Aldenora Belo está superlotado e não tem condições de atender toda a demanda. “A rede pública ainda está muito longe de atender todas as pessoas que precisam desse tipo de assistência e, infelizmente, o governo do Maranhão não consegue tratar o assunto com a responsabilidade devida. E olha que é um assunto de grande repercussão social”, disse.

 

O deputado do PCdoB salientou que é grande o sofrimento das pessoas acometidas pelo câncer e que dependem do atendimento do serviço público de saúde. “Infelizmente, esta doença já provoca sofrimentos, os mais diversos, na pessoa que está doente, nos familiares. Enfim, é uma doença que tem, além dos transtornos que ela mesma impõe ao paciente, todo um conjunto de dificuldades que a família enfrenta”, afirmou.

Oposição pede CPI e impeachment de Roseana por corrupção

roseanasarneyApós a revelação no Jornal Nacional da propina recebida pelo governo do Maranhão para o favorecimento da construtora Constran no pagamento de precatórios (reveja), o deputado Marcelo Tavares (PSB) pediu que fosse instaurada imediatamente uma Comissão Parlamento de Inquérito (CPI) e que seja aberto o processo de impeachment da governadora Roseana Sarney (PMDB).

“A governadora deveria renunciar, não há mais condições dela continuar administrando o Estado. O governo acabou na noite de segunda-feira  quando a Rede Globo mostrou ao país o envolvimento da alta cúpula do governo em esquema de propina. Esse governo acabou vítima da corrupção”, afirmou Tavares.

Tavares afirmou que é justamente este tipo de prática que faz com que o Maranhão se encontre no estado de pobreza em que se encontra, lembrando que ainda foi oferecido primeiro R$ 300 mil e ainda acharam pouco. “É tão grave que quando veio a primeira vez com R$ 300 mil acharam pouco. Não, R$ 300 mil é pouco dinheiro, e aí, meus amigos, o Maranhão se transformou num Estado pobre, por essa razão, pela corrupção que corrói todos os dias a administração pública desse Estado. E por isso que faltam escolas, os hospitais não são inaugurados, a segurança pública não tem investimento, a agricultura é abandonada e o governo cobrando propina”, lamentou. 

Bira do Pindaré e Othelino Neto também falando do escândalo.

Para Tavares, PSB só coligaria com PPS se fosse a cabeça da chapa

marcelotavaresO deputado Marcelo Tavares (PSB) conversou com um grupo de jornalistas sobre a aproximação da deputada Eliziane Gama (PPS) com o presidente nacional do PSB, Eduardo Campos (reveja aqui). Sobre uma possível composição entre as duas legendas, Marcelo foi enfático: só se fosse para Eliziane ser vice de um nome do PSB.

A formatação é surreal mesmo entre o mais otimista defensor da candidatura de Eliziane Gama. Mas ainda assim, segundo Tavares, mesmo que houvesse um “terremoto político” e o partido fosse obrigado a coligar coma deputada, seria para os socialistas encabeçarem a chapa. “O PSB apoia a candidatura de Flávio Dino. Ainda que houvesse um terremoto político e nós forcemos obrigados a coligar com o PPS, com certeza, o PSB seria a cabeça da chapa por possuir em seu quadro políticos mais representativos que a deputada. Se por acaso isso viesse acontecer, o PSB seria locomotiva e não vagão”, pontuou.

Tavares citou José Reinaldo e Roberto Rocha como nomes do partido que poderiam encabeçar a chapa a ser composta com Eliziane. Porém, reafirmou que somente em um caso de imposição da Executiva nacional, pois o partido continua apoiando Flávio Dino.

Marcelo Tavares: “candidatura de Eliziane é boa para oposição”

O deputado Marcelo Tavares (PSB), que será o coordenador de campanha do pré-candidato Flávio Dino (PCdoB) ao governo do Estado, falou em conversa com jornalistas sobre a pré-candidatura da deputada Eliziane Gama (PPS). Para o futuro coordenador da campanha dinista, a candidatura de Eliziane ajuda Flávio.

Marcelo Tavares

Marcelo Tavares

Para Tavares, a pré-candidatura de Eliziane tem atrapalhado muito mais o pré-candidato governista, Luís Fernando Silva (PMDB), que não consegue ter espaço de crescimento em São Luís. Com Eliziane no páreo, LF não consegue passar dos 15% na capital, onde é feita a maior mídia em torno de seu nome.

Para Tavares, o oba-oba feito por governistas para a pré-candidatura, se dá pela tentativa de “escorar” seu candidato em uma votação que não é sua, apenas para que os índices de Flávio Dino sejam menores. “O problema é que como Luís Fernando não decola eles acharam uma muleta tentando se amparar no carisma de Eliziane”.

O socialista disse ter certeza que Eliziane não se aliaria ao grupo Sarney.

Em tempo: vale ressaltar também que a nota do Lauro Jardim, na coluna Painel, dando conta de que o deputado Domingos Dutra teria dito que Eliziane seria aliada do grupo Sarney surgiu de uma interpretação equivocada da coluna. Dutra afirmou que disse à coluna apenas que Eliziane estava em um projeto político diferente. As discórdias entre Dutra e Eliziane se deram pela aproximação dela com Marina Silva e a Rede Sustentabilidade, já que Dutra temia perder o controle do partido (que nem chegou a existir).