PSB deve ter disputa acirrada para deputado estadual

O Governador do Maranhão, Flávio Dino, quando assumiu a presidência do Partido Socialista Brasileiro (PSB), cuidou logo de convidar grande parte dos seus secretários e auxiliares para filiarem-se ao partido, visando as eleições de 2022.

Como uma espécie de “revoada”, os secretários e pré-candidatos a deputado estadual e federal estão indo para a legenda socialista. Acontece que já são 6 secretários. É pouco provável um único partido fazer uma bancada tão grande na Assembleia Legislativa, pela regra de hoje, sem coligação.

O secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula se filia, nesta quinta-feira (8), ao PSB. Além dele, também passarão a integrar as fileiras do partido os secretários Jefferson Portela (Segurança), Rogério Cafeteira (Esporte), Catulé Jr. (Turismo) e Marcos Pacheco (Políticas Públicas), além da presidente do Procon, Karen Barros. O esposo, deputado Duarte Jr., se filiou na legenda socialista na semana passada.

Entre eles, Jefferson deve disputar uma vaga de federal, ao lado de Duarte e Bira do Pindaré. Os demais, disputarão vagas de deputado estadual, ou seja, muita gente para poucas vagas.

Carlos Lula é o nome mais forte nome entre os novos socialistas com plenas condições de se eleger, em função do excelente desempenho que tem à frente da SES, sobretudo no período da pandemia.

Os demais brigarão muito. A legenda já possui o deputado de mandato Edson Araújo.

PCdoB deve se fundir ao PSB e ter novo nome do novo

As conversas para uma possível fusão entre PSB e o PCdoB estão adiantadas as.

No último final de semana, a direção nacional do PCdoB, que contou com a participação do governador Flávio Dino, discutiu a tese.

A princípio, o PCdoB se incorporaria ao PSB e os comunistas assumiriam, de início, o comando de seis estados, hoje controlados por socialistas mais ligados ao bolsonarismo.

O acordo já está praticamente fechado, restando apenas a distribuição dos diretórios nos estados.

O resultado da fusão entre PSB e PCdoB, pode ter um novo, existem duas opções: FÉ (Frente da Esperança) ou Socialistas.

O acordo seria que o novo partido apoiaria a candidatura de Lula à Presidência e teria Flávio Dino candidato ao Senado no Maranhão.

PSB com Weverton para governo e Flávio Dino para senado

O presidente estadual do PSB e membro da executiva nacional, ex-prefeito e ex-deputado Luciano Leitoa divulgou nota em relação ao posicionamento que o partido adotará nas eleições do próximo ano.

“O PSB está ao lado da pré-candidatura ao Senado, do governador Flavio Dino, e à pré-candidatura do senador Weverton Rocha ao Governo do Estado”, comunicou.

De acordo com Leitoa, a aliança entre PSB e PDT está consolidada no plano nacional e a direção nacional dá autonomia nos estados. “É a posição natural do partido, também aliado ao PDT no plano nacional, conforme tem sido reiterado em encontros e reuniões das duas legendas”.

A aliança entre o PDT e PSB, projetada para ser um laboratório dos partidos para a disputa presidencial de 2022, terminou as eleições formando uma espécie de cinturão em capitais de estados do Nordeste. Os dois partidos firmaram dobradinhas em sete capitais, com vitórias em três delas.

Veja a nota:

0 PSB/MA TEM POSIÇÃO

O Partido Socialista do Maranhão sempre teve posição clara nos embates políticos, ao longo da história, alinhado aos ideais da esquerda democrática.

Em relação às eleições de 2022 o PSB está ao lado da pré-candidatura ao Senado, do governador Flavio Dino, e à pré-candidatura do senador Weverton Rocha ao Governo do Estado.

É a posição natural do partido, também aliado ao PDT no plano nacional, conforme tem sido reiterado em encontros e reuniões das duas legendas.

Luciano Leitoa

Presidente estadual PSB/MA
Membro da executiva nacional.

Depois de tomar PSDB, Roberto Rocha foca em PPS e PSB

O senador Roberto Rocha não para de se movimentar para tomar legendas de gabarito alto que estão na aliança do governador Flávio Dino. Embora a engenharia seja difícil, Roberto Rocha trabalha diuturnamente para tomar mais dois partidos grandes do campo dinista após ser alçado presidente estadual do PSDB. São eles o PPS e o PSB.

Rocha já teve conversas com o presidente nacional do PPS, Roberto Freire e tenta convencê-lo da viabilidade de seu projeto para que interceda no Maranhão colocando o PPS em sua coligação. A articulação iria de encontro ao projeto do partido estadual, já que a deputada Eliziane Gama, está se fortalecendo a cada dia o nome como pré-candidata a senadora na chapa do governador Flávio Dino.

Embora muitos socialistas maranhenses desdenhem, é bom abrir os olhos. Hoje, a turma de Pernambuco controla o partido dando suporte ao presidente estadual no Maranhão Luciano Leitoa e ao projeto de reeleição de Flávio Dino. Mas o jogo continua e não é tão fácil quanto parece. A eleição nacional do partido é só em março de 2018 e o vice-governador de São Paulo, Mário França, não jogou a toalha. Até porque Geraldo Alckmin sonha em ter o partido na sua coligação para a presidência da República.

Caso Mário França vença, Rocha já está articulando para que o comando do PSB no Maranhão fique com a deputada federal Luana Alves. Vale lembrar que o marido de Luana, ex-prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves, foi quem levou Roberto Rocha para o PSB em 2012. Com Luana no comando do partido, estaria assegurada  a aliança com o PSDB.

Pode até não ser fácil Roberto conseguir fechar os acordos, mas ele não para de articular. Não será por falta de aviso…

 

Luciano Leitoa contrariou prognósticos e mostrou força

Prefeito de uma média cidade, Luciano Leitoa sempre se manteve balançando no comando do PSB do Maranhão. Pelo menos, não faltaram nomes de peso nacional que poderiam “tomar” o controle da legenda que é considerada grande. Mas já são cinco anos que Leitoa segue com a confiança da Executiva Nacional e da militância no Maranhão.

O deputado federal Zé Reinaldo Tavares, que já anunciou até a saída do PSB, havia afirmado categoricamente que seria presidente do partido para ser candidato a senador com todas as garantias. Acabou metendo os pés pelas mãos, contrariando as decisões da Executiva Nacional e perdendo espaço. Hoje, não tem ideia sobre por qual legenda será candidato (ou se será candidato).

O senador Roberto Rocha, que havia vencido Luciano em 2016, colocando o filho na presidência da Comissão municipal e o partido no palanque de Wellington do Curso. Além de filiar o ficha seja Ildon Marques em Imperatriz, fazendo com ele disputasse a eleição pela legenda socialista. A força que o senador mostrava naquele momento fazia crer que ele iria tomar o controle do partido para ser candidato a governador pelo PSB em 2018.

Mas Roberto se deu mal com as derrotas eleitorais e a teimosia de ir contra as determinações da direção nacional do partido. Agora, foi oficialmente convidado a se retirar do PSB.

Nem mesmo a deputada federal Luana Costa (ex-Luana Alves) ameaçou o prestígio de Leitoa entre os caciques e a base dos socialistas.

Assim, o prefeito irá levar o partido para as eleições do ano que vem. Certo mesmo é que o PSB estará na coligação do governador Flávio Dino.

Bira destaca Congresso Municipal do PSB em São Luís

O deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) subiu à tribuna, na manhã desta terça-feira (22), para registrar o Congresso Municipal do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em São Luís, ocorrido no último sábado (19) e que o elegeu presidente do diretório da capital para os próximos três anos. Uma decisão consensual de todas as forças que integram o partido, movimentos sociais e segmentos em torno das bandeiras de luta da sigla.

Um congresso muito significativo, classificou o socialista, pelo debate amplo e representação. “Agradeço a presença do nosso presidente estadual, Luciano Leitoa, que vai para a reeleição como presidente estadual do PSB e, dessa forma, nós caminhamos para a consolidação da renovação da aliança com o governador Flávio Dino”, afirmou.

Ele disse que faz questão de registrar, da tribuna, porque todos sabem da luta que travada no PSB, sobretudo em 2016, quando, de maneira injusta, foi impedido de ser candidato a prefeito da capital. Luta franca, aberta e pública. Sobre a questão nacional, Bira ressaltou que o partido fez uma autocritica, reconheceu os erros cometidos e tem retomado o caminho no curso natural da história que sempre foi reservado, alinhado com a sua história, marcada pela luta do povo.

 Para o deputado, uma posição muito coerente, contra as reformas trabalhista e previdenciária, propostas pelo governo Temer, e a orientação pelo prosseguimento da denúncia contra o presidente. “Esse é o PSB ao qual me filiei. Esse é o PSB de Miguel Arraes, de Eduardo Campos, de Ariano Suassuna e de tantos outros lutadores que embalaram os sonhos de transformar a realidade brasileira. De todos os partidos do Brasil, o mais nordestino de todos é o PSB, porque nasceu no Nordeste e continua sendo liderado pelo Nordeste e assim seguirá o seu caminho”, declarou.

O parlamentar anunciou que nos próximos dias 09 e 10 de setembro os delegados de todo o estado se reunirão no Congresso Estadual para escolher a nova direção do PSB no Maranhão; e que em outubro o Congresso Nacional do PSB que escolherá a direção nacional do partido para os próximos três anos.

“Assim, a gente completa o nosso ciclo, garantindo o processo congressual de forma ampla e de forma democrática, com a participação de filiados de todo o Brasil, escolhendo e definindo os rumos do partido para os próximos três anos. E, graças a Deus, o PSB segue o seu caminho aliado, alinhado e coerente com a sua história, que sempre foi ao lado do povo”, concluiu.

 

Zé Reinaldo oficializa saída do PSB e está próximo de fechar com o PSDB

Zé Reinaldo dá adeus ao PSB

O deputado Zé Reinaldo confirmou o que o Blog já havia adiantado logo após o voto favorável à reforma trabalhista: o fim da sua passagem pelo PSB. Reinaldo não quis seguir a orientação do partido, que fechou questão contrária às reformas e resolver fazer oposição ao governo Michel Temer.

Leia também: Voto pela reforma trabalhista complica a situação de Zé Reinaldo no PSB

Em artigo publicado nesta segunda-feira (1º), o próprio Zé Reinaldo demonstra que este é o motivo de sua saída do partido. “Eu estou saindo do PSB exatamente porque resolveu fechar questão contra as reformas trabalhista e previdenciária sem ouvir as bancadas da Câmara e do Senado”, afirmou.

No final da semana passada, Zé Reinaldo se encontrou com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, um dos principais líderes nacionais do PSDB. E logo depois do encontro resolveu anunciar sua saída do PSB. Ou seja, deve ter tido a garantia de que será abrigado no ninho tucano.

Voto pela reforma trabalhista complica a situação de Zé Reinaldo no PSB

O deputado federal Zé Reinaldo Tavares (PSB) não quis saber da orientação da direção nacional do PSB, nem da história do partido. Reinaldo votou a favor da reforma trabalhista contrariando a posição oficial da legenda.

Dos 30 deputados do PSB que votaram a matéria, 14 apoiaram a reforma. Entre eles, o maranhense. Já Luana Costa, votou com o partido contra a reforma.

O presidente nacional do PSB, Carlos Ciqueira, tirou os deputados que eram presidentes do partido nos estados, dos comandos estaduais. E a comissão de Ética do partido ainda analisa punições para outros deputados.

Há cerca de um mês, o Zé Reinaldo disse abertamente que trabalhava para ser o presidente do PSB no Maranhão. Com a afronta à direção nacional do partido, dificilmente poderá chegar ao comando do partido socialista. Esta reviravolta pode até leva-lo para outra legenda.

Insatisfação na militância

O desconforto é grande com o voto do Senador inclusive na militância socialista. Os deputados estaduais do partido, Rogério Cafeteira e Bira do Pindaré, têm feitos discursos criticando as reformas. E a insatisfação pode chegar também à pré-candidatura ao Senado de Zé Reinaldo.

Esta marcado para o dia 6 de maio o lançamento da pré-candidatura do socialista ao Senado em Tuntum. Líderes do partido dizem que podem desmobilizar seu pessoal para o evento, que pode até ser adiado.

PSB contra as reformas; Roberto Rocha terá que votar contra Temer

PSB está de saída do governo Temer. Roberto terá que votar contra presidente 

O PSB fechou questão e votará contra as reformas propostas pelo presidente Michel Temer. A decisão tomada ontem à noite coloca o PSB em rota de colisão com o Planalto.

Com isso, o partido caminha para se colocar na oposição ao governo Michel Temer. O pai do ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), disse que o cargo do filho está à disposição.

Caso o partido se coloque mesmo como oposição, o que aconteceria com a entrega do cargo, a base do governo Temer na Câmara perderá 35 integrantes, passando de 411 para 376. Para aprovar uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) como a da reforma da Previdência são necessários ao menos 308 votos.

Com a decisão, os deputados da bancada maranhense devem seguir a orientação do partido. São dois deputados socialistas: Luana Alves e Zé Reinaldo Tavares. Luana já havia se posicionado contra as reformas. Mas Zé Reinaldo votaria a favor do governo peemedebista.

Roberto Rocha

O posicionamento do PSB coloca o Senador Roberto Rocha em saia justa. Rocha é defensor do governo golpista. Rocha tem votado sempre de acordo com as vontades do Palácio do Planalto.

Com a determinação do PSB, pode estar sendo decretada a saída de Rocha do partido.

PSB define eleição de Zé Reinaldo para o Senado como prioridade para 2018

O PSB maranhense se reuniu na noite desta segunda-feira (13) sob a coordenação do presidente estadual da sigla, Luciano Leitoa (prefeito de Timon). A reunião contou com as presenças do ex-governador e deputado federal José Reinaldo, o prefeito Tema (presidente da Famem), deputado estadual Bira do Pindaré, secretário estadual de Governo Marcelo Coelho (Meio Ambiente), José Antônio Almeida, dentre outras lideranças do estado.

O Diretório Estadual do PSB-MA tratou do processo de recadastramento de filiados que acontece em todo o país, da estruturação do partido no estado e principalmente, discutiu rumos e posicionamento da sigla para o processo eleitoral de 2018.

Unanimemente, os membros do diretório estadual do PSB entendem que o processo de fortalecimento da sigla passa pela ocupação na chapa majoritária das próximas eleições e definiram o nome de Zé Reinaldo (principal representante da sigla, segundo os presentes) na disputa por uma das vagas de senador.

O partido deverá realizar Encontros Regionais como  estratégia para massificar o projeto.