Adriano Sarney não garante apoio da federação PT/PCdoB/PT a Flávio Dino

Em entrevista, nesta segunda-feira, 14, o deputado estadual Adriano Sarney (PV) afirmou não haver decisão sobre o apoio da federação PT/PCdoB/PV à candidatura do atual governador Flávio Dino (PSB) ao Senado Federal.

Adriano agora é aliado e mais novo integrante do palanque de Carlos Brandão (PSDB), a escolha pessoal de Flávio Dino (PSB) para o governo.

“O PV fará parte da base do próximo governador Carlos Brandão, que toma posse agora no dia 31 de março”, afirmou o parlamentar.

As conversas sobre a formação da federação têm avançado, após o PSB, o partido do governador Flávio Dino, desistir de participar do grupo. Por isso, o neto de José Sarney, mesmo já fazendo parte do grupo brandonista, afirmou que o apoio a Dino não é certo.

“Nós não temos um consenso de candidato para senador e não temos consenso para um candidato a vice-governador. Temos até as convenções majoritária [para decidir]”, disse o deputado.

O presidente estadual do PV ainda ressaltou o apoio a Lula (PT), mesmo que há pouco tempo tenha flertado com o bolsonarismo, na tentativa de dar sobrevida política à própria família.

Flávio anuncia Leonardo Diniz como novo secretário de Segurança Pública

O governador do Maranhão Flávio Dino (PSB) anunciou nesta segunda-feira (07) o delegado Leonardo Diniz como o novo secretário de Segurança Pública.

Em postagem, Flávio agradeceu o ex-secretário pelo período trabalhado. “Agradeço ao delegado Jefferson Portela pelos serviços prestados”, disse.

Portela pediu exoneração após anunciar apoio ao senador Weverton para Governador e reafirmar sua pré-candidatura a deputado federal. Segundo ele, a partir de agora se dedicará exclusivamente na sua pré-campanha.

Flávio Dino e Carlos Lula abrem dois hospitais em menos de 30 dias

Nesta segunda-feira (31), o governador Flávio Dino e o secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula entregaram o Hospital Regional de Barra do Corda. Esta é a segunda unidade a ser inaugurada pelo Governo do Estado no mês de janeiro, a primeira foi a Maternidade de Paço do Lumiar.

Durante a solenidade de inauguração, o governador Flávio Dino relembrou dos investimentos feitos na região. “Nós ampliamos o polo de saúde de Presidente Dutra, ampliamos o Hospital Regional de Grajaú com UTI e agora a cidade de Barra do Corda recebe o Hospital Regional. É uma grande conquista e um salto gigantesco na saúde pública da região”, enfatizou.

O secretário Carlos Lula destacou a unidade promovida pelo governador para efetivar melhorias no sistema público de saúde. “Esse Hospital de Barra do Corda só é possível por conta de algo que o governador Flávio Dino tem feito todos estes anos: união. União de esforços, união de todos os grupos para construir a maior rede de saúde do Maranhão”, enfatizou.

O prefeito de Barra do Corda, Rigo Teles, comemorou o apoio do Governo para assumir o hospital que foi cedido pelo município. “Essa parceria foi para cuidar da saúde de Barra do Corda e da região. Nós não tínhamos condições de em tão curto prazo fazer a obra, equipar e entregar a população, mas, com a parceria do governo Flávio Dino, esse hospital foi entregue”, agradeceu.

Dr Adriano Brandes, diretor clínico do novo hospital, recordou a longa espera do povo barra-cordense por uma unidade de média e alta complexidade. “Nós precisamos esperar 186 anos, idade de Barra do Corda, para que o governador Flávio Dino e o secretário Carlos Lula viessem a resolver essa demanda de um hospital digno, um hospital que tem estrutura e suporte pra cuidar da nossa gente”, comemorou.

No mês de agosto do ano passado, o Governo do Maranhão já havia entregue a Policlínica de Barra do Corda, uma das 12 unidades em funcionamento no estado.

Lula dá recado claro a Flávio Dino: no Maranhão, seu candidato é Weverton

Nesta quarta-feira, 19, durante entrevista para sites independentes, o ex-presidente Lula (PT) deu um recado claro ao governador Flávio Dino e descartou a possibilidade de apoiar Carlos Brandão (PSDB) para sucede-lo no Palácio dos Leões.

O PT e PSDB são rivais históricos e dificilmente dividirão o mesmo palanque.

“O Flávio Dino tem o candidato dele, que é o vice, que é do PSDB. Ele sabe que é difícil a gente apoiar o PSDB. Nós temos a candidatura do Weverton, então eles vão ter que se acertar lá para facilitar a nossa vida”, disse Lula.

Secretários que tiveram contato com Flávio devem suspender imediatamente agendas

Após o governador Flávio Dino (PSB) ser diagnosticado com a Covid-19, os secretários de primeiro escalão devem fazer os exames e suspender a agenda de inaugurações por todo o Estado.

A medida deve ser feita para garantir a segurança de não contagio para a população, assessores e correligionários.

Diversos secretários estiveram com Flávio nos últimos dias, principalmente, em aglomeração e sem máscara em eventos realizados pelo Governo do Estado e na festa de ano novo na residência do governador.

Por exemplo, os secretários Rodrigo Lago, Felipe Camarão, Carlos Lula, Márcio Jerry devem suspender suas agendas externas por cautela e respeito à segurança sanitária.

Dino admite que Brandão pode não ser o candidato

Em entrevista à TV Mirante, nesta terça-feira (21), o governador Flávio Dino admite que pode mudar de posição em relação a Brandão e respeitar posição do colegiado de partidos na reunião do final de janeiro.

“Tenho muita confiança na união e mudaria minha posição se a maioria a rejeitasse”, disse o governador.

Recentemente, o gestor declarou que seu candidato escolhido para disputar as eleições majoritárias em 2022 será o vice-governador Carlos Brandão. Mas, na entrevista, disse que sua opinião pode mudar se a maioria do seu grupo de apoio político rejeita-la.

“Nós temos 13 partidos que integram hoje o governo. Existem prefeitos, deputados e a bancada federal que nos apoia. Esses são os núcleos decisórios principais. Apresentei minha opinião e vou aferir. Se a maioria considerar que a minha posição está errada é óbvio que eu serei o primeiro a revê-la”, afirmou Flávio.

 

Lula se irrita com anúncio de Flávio Dino pró-Brandão

O ex-presidente Lula ficou desapontado com o atual governador Flávio Dino por ter anunciado o vice-governador, Carlos Brandão (PSDB) como sua preferência à sucessão.

Lula soube que Flávio faria o anúncio algumas horas antes da reunião e mostrou irritação com a definição.

O petista esperava que Dino anunciasse apoio ao senador e pré-candidato Weverton, que sempre foi aliado de Lula e esteve com ele nos piores e melhores momentos. Inclusive Lula contava que já estava acertado o acordo com o PDT porque já tinha avisado Flávio de sua preferência quando o governador falou do projeto Felipe Camarão.

Flávio, ainda, tenta filiar Brandão ao PSB, sigla que, nacionalmente, tenta uma federação com o PT. O governador vê a aliança como salvação para aliar o PT ao projeto Brandão. Mas pelo humor da direção nacional do PT ontem, a aliança não deve acontecer nem com a filiação do tucano ao PSB.

Felipe Camarão ainda é pré-candidato ao governo?

O cenário politico pode mudar nos próximos dias. Na próxima segunda-feira, 29, o Governador Flávio Dino reunirá os lideres partidários para decidir o nome do seu sucessor.

Entre os pretensos candidatos, está o atual secretário de Estado de Educação, Felipe Camarão. Mas será que ele segue como pré-candidato ao governo estadual até o fim?

Ele tem agenda em Viana na sexta-feira, 26, como pré-candidato. Mas todos os palacianos dão como certo que ele irá desistir na reunião que acontecerá no dia 29 e anunciar apoio ao vice-governador Brandão.

Estaria então fazendo a militância petista que o acompanha de trouxa? Ou a candidatura de Camarão é pra valer e ele vai contrariar o cenário que os brandistas dão como certo?

Flávio Dino lidera disputa para o Senado Federal

A pesquisa de intenção de voto realizada pelo Instituto Econométrica, divulgada nesta terça-feira, 09, mostrou que o atual governador Flávio Dino (PSB) lidera a disputa para a única vaga que será aberta para o Senado ano que vem.

Nos dois cenários nos quais seu nome foi colocado, o socialista possui considerável vantagem.

No primeiro, Dino pontuou com 45,3% da preferência dos entrevistados. Ele é seguido por Roberto Rocha (24,3%), Josimar de Maranhãozinho (9,8%) e Paulo Romão (4,2%).

10,1% nenhum deles e 6,3% não souberam ou não responderam.

No segundo cenário, o governador cravou 44,4% das intenções de voto, seguido por Roberto Rocha (24,5%), Josimar de Maranhãozinho (9,9%), Edivaldo Holanda Júnior (6,5%). Nenhum deles 9,1% e 5,7% não souberam ou não responderam.

Chama a atenção o percentual de rejeição, na qual o socialista aparece como vice-campeão.

36,4% disseram não votar em Maranhãozinho para o Senado. 32,3% rejeitaram o nome de Flávio Dino. Eles são seguidos por Paulo Romão (25%), Roberto Rocha (24,3%), Othelino Neto (15%), Edivaldo Holanda Júnior (14,7%). 1,6% não votaria em nenhum deles e 17% não souberam ou não responderam.